Dragon Quest VI: Realms of Revelation

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Dragon Quest VI: Realms of Revelation
Capa original do jogo
Desenvolvedora Heartbeat (SFC)
ArtePiazza(DS)
Publicadora(s) SFC
DS
Diretor Manabu Yamana
Produtor Yukinobu Chida
Designer Yūji Horii
Compositor(es) Koichi Sugiyama
Artista Akira Toriyama
Plataforma(s) Super Famicom
Série Dragon Quest
Conversões/
relançamentos
Android[1]
iOS
Nintendo DS
PlayStation
Data(s) de lançamento Super Famicom
  • JP 9 de dezembro 1995
Nintendo DS
  • JP 28 de janeiro 2010
  • AN 14 de fevereiro de 2011
  • EU 20 de maio de 2011
Gênero(s) RPG eletrônico
Modos de jogo Um jogador
Classificação Permitido para todas as idades i CERO (Japão)
Inadequado para menores de 13 anos i ESRB (América do Norte)
Orientação dos pais recomendada i OFLCA (Austrália)
Inadequado para menores de 12 anos i PEGI (Europa)
Inadequado para menores de 6 anos i USK (Alemanha)
Último
Último
Dragon Quest V: Hand of the Heavenly Bride
Dragon Quest VII
Próximo
Próximo

Dragon Quest VI: Realms of Revelation (ドラゴンクエストVI 幻の大地 Doragon Kuesuto Shikkusu Maboroshi no Daichi), também conhecido como Dragon Quest VI: Realms of Reverie na Europa,[2] é um RPG eletrônico desenvolvido pela companhia japonesa Heartbeat[3] e publicado pela Enix[4] (atual Square Enix) para o Super Famicom, sendo parte da série Dragon Quest. É o último jogo da trilogia Zenithia.[5] Foi lançado no Japão em 9 de dezembro de 1995.[4] Este jogo foi desenvolvido pela Heartbeat, enquanto os jogos anteriores da série haviam sido desenvolvidos pela Chunsoft. Em julho de 2007, a Square Enix anunciou uma série remakes de Dragon Quest IV: Chapters of the Chosen, Dragon Quest V: Hand of the Heavenly Bride e Dragon Quest VI: Realms of Revelation para o Nintendo DS, sendo esse o primeiro remake do último jogo para outro console. Foi lançado pela primeira vez na América do Norte em 14 de fevereiro de 2011 e na Europa em 20 de maio de 2011.[6]

Enredo[editar | editar código-fonte]

Cenário[editar | editar código-fonte]

Captura de tela de uma batalha na versão original do jogo

Como outros jogos da série Dragon Quest, o cenário de Dragon Quest VI é muito medieval, com muitos castelos, cavaleiros e magia.[7] O mundo principal é dividido em "Mundo Real" (Real World) e "Mundo dos sonhos" (Dream World), separados um do outro mas com mapas similares. Para ir de um mundo ao outro, a equipe usa deformações especiais (como poços), sobe ou desce escadas no mapa do mundo ou cai em buracos do "mundo dos sonhos" para o "mundo real".

Se algo não puder ser encontrado no "mundo real", pode aparecer no "mundo dos sonhos". Outra similaridade a outros jogos da série é o "Reino do Medo" (Dread World). Este mapa separado possui uma ilha escura com um mar psicodélico a seu redor e alguns dos monstros mais fortes do jogo. O chefe final, Mortamor, mora lá.[8] Quando Mortamor é derrotado, o jogador pode acessar um calabouço especial e encontrar o chefe final secreto, Noktumus.

Recepção[editar | editar código-fonte]

Resenha crítica
Publicação Nota
Famitsu 34 / 40 (SNES)[9]
34 / 40 (DS)[10]
1UP.com B (DS)[11]
G4 4 / 5 (DS)[11]
Game Informer 8.5 / 10 (DS)[12]
GamesRadar 8 / 10 (DS)[11]
GameTrailers 8.5 / 10 (DS)[11]
Nintendo World Report 8.5 / 10 (DS)[13]
Official Nintendo Magazine 85% (DS)[14]
PALGN 9 / 10 (DS)[11]
Pontuação global
Publicação Nota média
GameRankings 80% (DS)[14]
GameStats 8.1 / 10 (DS)[11]

Apesar do alto preço de 11.970 ienes,[15] o jogo vendeu 3,2 milhões de cópias no Japão, sendo o jogo mais vendido de 1995.[16] Em 2010, o remake para Nintendo DS vendeu quase um milhão de cópias no Japão em sua primeira semana.[17] Até março de 2010, o jogo havia vendido mais de 1,2 milhões de cópias.[18]

De acordo com a revista Nintendo Power, planejava-se lançar o jogo na América do Norte na primavera de 1996 sob o título de “Dragon Warrior V”.[19] No entanto, tal lançamento nunca ocorreu pois a Enix já havia desistido do mercado norte-americano.[20] A Square, uma das únicas companhias que ainda desejavam traduzir RPGs eletrônicos para o inglês, estava muito ocupada tentando vender seus próprios jogos nos país.[20] A equipe da Nintendo Power escreveu em seu volume 81 um artigo sobre Dragon Quest VI, tendo a esperança de que o jogo fosse lançado nos EUA. Também afirmou que a série poderia não ser tão atraente à audiência americana por haver muitas lutas no jogo e pouca aventura.[7] Outros críticos mencionaram que é muito tedioso desenvolver as classes das personagens e que os dois mundos do jogo são muito grandes, duas possíveis razões contra o lançamento nos EUA.[20]

Dragon Quest VI ficou em sétimo lugar entre os 10 melhores jogos japoneses nunca lançados nos EUA, classificação feita na edição de maio de 2005 da revista GamePro.[21] Kurt Kalata, do website Gamasutra, elogiou o enredo do jogo, particularmente seu cenário inovador. Disse que embora seja comparável ao mundo de The Legend of Zelda: A Link to the Past, Dragon Quest VI apresenta um cenário único de mundo real e mundo dos sonhos, que Kalata sugere que tenham influenciado jogos posteriores da Square, como Chrono Cross e Final Fantasy X. Também elogiou as melhorias na jogabilidade, incluindo o aprimoramento do sistema de classes desde Dragon Quest III, sendo agora mais semelhante ao sistema de Final Fantasy V; elogiou também a adição de uma mochila que torna o gerenciamento do inventário melhor que o dos jogos anteriores da série. Conclui que o jogo “ainda é fantástico”.[20]

Referências

  1. http://www.eurogamer.net/articles/2013-10-08-dragon-quest-1-8-all-coming-to-ios-and-android
  2. Square Enix (21/05/2008). Experience Dragon Quest in the Palm of Your Hand Zenithia Trilogy Announced for Europe. Press release. Página visitada em 2 de agosto de 2013.
  3. Kurt Kalata. The History of Dragon Quest. Gamasutra. Página visitada em 2 de agosto de 2013.
  4. a b Dragon Quest VI Tech Info. Gamespot. Página visitada em 2 de agosto de 2013.
  5. Henry Gilbert (23/12/2012). Everything you need to know about Dragon Quest. GamesRadar. Página visitada em 2 de agosto de 2013.
  6. Dragon Quest VI: Realms of Revelation Related Games. Gamespot. Página visitada em 2 de agosto de 2013.
  7. a b Nintendo Power Vol. 81, pp. 64–67. Nintendo of America, 1995. Consultada em 6 de abril de 2007
  8. Girl: "I heard the demon emperor lives in the dark world." Dragon Quest VI. Enix. (Enix). Super Famicom. (25/07/2007)
  9. Ashcraft, Brian (17/07/2009). How Do Dragon Quest’s Famitsu Scores Stack Up?. Kotaku. Página visitada em 2 de agosto de 2013.
  10. Gifford, Kevin (02/03/2010). Japan Review Check: Dragon Quest VI, Reginleiv. 1UP.com. Página visitada em 2 de agosto de 2013.
  11. a b c d e f Dragon Quest VI: Realms of Revelation. GameStats. Página visitada em 2 de agosto de 2013.
  12. Phil Collar (09/02/2011). Dragon Quest VI: Realms of Revelation. Game Informer. Página visitada em 2 de agosto de 2013.
  13. Nathan Mustafa (22/02/2011). Dragon Quest VI: Realms of Revelation. Página visitada em 2 de setembro de 2013.
  14. a b Dragon Quest VI: Realms of Revelation. GameRankings. Página visitada em 2 de agosto de 2013.
  15. Dragon Quest VI Official Page. Square Enix. Página visitada em 2 de agosto de 2013.
  16. 販売本数ランキング. Game Ranking. Página visitada em 2 de agosto de 2013.
  17. Gantayat, Anoop (2010-02-01). DQM: Joker 2 Announced. IGN. IGN. Página visitada em 2 de agosto de 2013.
  18. 【ゲームソフト販売本数ランキング TOP30】集計期間:2010年3月15日〜3月21日 – ファミ通.com]. Famitsu. Página visitada em 2 de agosto de 2013.
  19. "Epic Center: The Epic Calendar", Nintendo Power #76, Nintendo, Setembro de 1995, p. 51.
  20. a b c d Kalata, Kurt (04/02/2008). The History of Dragon Quest. Gamasutra. Gamasutra. Página visitada em 2 de agosto de 2013.
  21. In: GamePro staff. GamePro Magazine, Maio de 2005. [S.l.]: IDG Entertainment, 2005. p. 46.
Ícone de esboço Este artigo sobre jogos eletrônicos é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.