Estoril

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde junho de 2014).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Portugal Estoril  
—  freguesia portuguesa extinta  —
Praia do Tamariz, no Estoril
Praia do Tamariz, no Estoril
Bandeira de Estoril
Bandeira
Brasão de armas de Estoril
Brasão de armas
Estoril está localizado em: Portugal Continental
Estoril
Localização de Estoril em Portugal Continental
38° 42' 24" N 9° 23' 52" O
Concelho primitivo Cascais
Concelho (s) atual (is) Cascais
Freguesia (s) atual (is) Cascais e Estoril
Extinção 2013
Área
 - Total 8,79 km²
População (2011)
 - Total 26 397
    • Densidade 3 003,1/km2 
Gentílico: Estorilense
Orago Santo António

Estoril foi uma freguesia portuguesa do concelho de Cascais, com 8,79 km² de área e 26 397 habitantes (2011).

Densidade: 3003,1 hab/km². Tem por orago Santo António.

Foi extinta em 2013, no âmbito de uma reforma administrativa nacional, tendo sido agregada à freguesia de Cascais, para formar uma nova freguesia denominada União das Freguesias de Cascais e Estoril com a sede em Cascais.[1]

Nas proximidades do Estoril foi assinado, sob mediação portuguesa, o Acordo de Bicesse, entre o MPLA e a UNITA.

Segundo algumas fontes,[quem?] o topónimo "Estoril" deriva etimologicamente da palavra "estéril", ou desabitado.[carece de fontes?]

O Estoril dispõe de alguns atrativos e pontos de interesse, nomeadamente a proximidade da capital, uma rede eficiente de transportes e acessos rodoviários, o Parque Natural de Sintra-Cascais, de rara beleza, dois aeroportos, inúmeras infra-estruturas hoteleiras de 4 e 5 estrelas, o maior casino da Europa, um autódromo e vários campos de golfe de grande prestígio.

História[editar | editar código-fonte]

A sua proeminência recente teve início no começo do século XX por Fausto de Figueiredo (detentor da concessão de exploração de jogo, no Casino Estoril).

Finalmente, sob a visão de Fausto Cardoso de Figueiredo e do seu sócio, Augusto Carreira de Sousa, surge, em 1913, o projeto do Estoril enquanto centro turístico de ambições internacionais.

O início da I Guerra Mundial implicou atrasos consideráveis na sua concretização, pelo que só em 16 de Janeiro de 1916 se procedeu à colocação da primeira pedra para a construção do casino.

Segue-se um período de intensa construção nas zonas conquistadas ao pinhal, às terras de lavoura e às pedreiras, facilitada, desde 1940, pelo fácil acesso rodoviário proporcionado pela estrada marginal, junto ao mar. O concelho assume-se, então, como centro turístico de primeira ordem, recebendo durante e depois da II Guerra Mundial um elevadíssimo número de refugiados e exilados, de entre os quais importa destacar D. Juan de Borbón, Conde de Barcelona, e os Reis Humberto II de Itália, Carlos II da Roménia e Simeão II da Bulgária, o Regente Miklós Horthy da Hungria e inúmeras figuras do panorama desportivo e cultural. Foi aqui que, em 1956, ocorreu a tragédia da morte do Infante Afonso de Espanha, com apenas catorze anos.[carece de fontes?]

Nesta freguesia, na povoação de São João do Estoril, situava-se a residência de férias de António de Oliveira Salazar, então Presidente do Conselho de Ministros.

Conta-se[quem?] que terá sido a mando deste que se terá feito a Estrada Nacional n.º 6, mais conhecida como Avenida Marginal, para que este pudesse se deslocar de automóvel mais depressa e mais despercebido a Lisboa, dado que o caminho até aí se fazia por estradas em terra batida, nas quais se tinha de circular a uma velocidade bastante reduzida, com muitas paragens numa altura em que já circulavam bastantes automóveis.[carece de fontes?]

Povoações[editar | editar código-fonte]

Política[editar | editar código-fonte]

Out of date clock icon.svg
Esta se(c)ção pode conter informações desatualizadas.

Se sabe algo sobre o tema abordado, edite a página e inclua informações mais recentes.

A freguesia do Estoril é administrada por uma junta de freguesia, liderada por Luciano Gonçalves Mourão, eleito nas eleições autárquicas de 2009 pela coligação criada pelo PSD, de nome Viva Cascais (PSD/CDS-PP). Existe uma assembleia de freguesia, que é o órgão deliberativo, constituída por 19 membros.

O partido mais representado na Assembleia de Freguesia é a coligação Viva Cascais (PSD/CDS-PP) com 12 membros (maioria absoluta) – 3 dos quais do CDS-PP –, seguida do PS com 5, da CDU com um, e do Bloco de Esquerda também com um. Esta assembleia elegeu os 6 vogais da Junta de Freguesia, todos da coligação Viva Cascais (PSD/CDS-PP), sendo 2 do CDS-PP. O presidente da Assembleia de Freguesia é Manuel Basílio de Castro da coligação Viva Cascais (PSD/CDS-PP), sendo este do PSD.

Eleições de 2009
Órgão PSD PS CDS-PP CDU BE
Assembleia de Freguesia 9 5 3 1 1
Junta de Freguesia 5 0 2 0 0

Património[editar | editar código-fonte]

Praias[editar | editar código-fonte]

Associações e Coletividades[editar | editar código-fonte]

Eventos[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Diário da República, 1.ª Série, n.º 19,Lei n.º 11-A/2013 de 28 de janeiro (Reorganização administrativa do território das freguesias). Acedido a 2 de fevereiro de 2013.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Estoril