FAdeA

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
logomarca da FAdeA.
Linha de produção anos 1940.(foto: "Instituto Aerotécnico").
I.Ae. 30 Ñancú
I.Ae. 33 Pulqui II
FMA IA 63 Pampa, Paris Air Show, 1991
FAdeA I.A. 73 Unasur I

A Fabrica Argentina de Aviones S.A., antiga Fábrica Militar de Aviones - FMA e Lockheed Martin Aircraft Argentina, é um fabricante de aviões militares da Argentina.

Histórico[editar | editar código-fonte]

Sua fundação ocorreu em 10 de outubro de 1927, tendo o governo argentino como sócio majoritário. Foi privatizada em 1995 durante o governo de Carlos Menem, e adquirida pela norte-americana Lockheed Martin, a princípio numa concessão de 25 anos.

Mas no dia 24 de março de 2009, o Senado Argentino enviou um projeto de lei para a presidente Cristina Kirchner, com a proposta de re-estatizar a empresa, o que acabou ocorrendo em 17 de dezembro do mesmo ano, quando recebeu a denominação atual.

Projetos[editar | editar código-fonte]

A FAdeA desenvolveu inúmeros protótipos de aviões comerciais que nunca foram produzidos em larga escala, passando então a montar aviões sob licença.

Os prefixos utilizados para os aviões locais são:

  • Ae, para "Direccion General de Aerotecnica", no período de 1927 a 1936;
  • F.M.A., "para Fabrica Militar de Aviones", no período de 1938 a 1946;
  • I.Ae, para "Instituto Aerotécnico", no período de 1943 a 1952;
  • IA, no período de 1952 até 2007.

Pioneirismo em aviões supersônicos[editar | editar código-fonte]

Protótipo do supersônico argentino FMA I.Ae. 37 de 1953.

Foi uma das primeiras industrias aeronáuticas do mundo a trabalhar projetos com aviões supersônicos com o FMA I.Ae. 37 construído em 1953[1] .

Aeronaves e projetos[editar | editar código-fonte]

Ano Modelo Construídos Observações
Iniciou como Instituto Aerotecnico
1928 Avro 504K "Gosport" 31 Treinador biplano básico, sob licença. Primeira aeronave construída pela FMA.
1930 Dewoitine D.21 35 Biplano de combate, sob licença.
1931 Ae.C.1 1 Aeronave Civil de transporte (versão inicial); treinador básico (última versão). Primeiro design nacional.
1932 Ae C2 / Ae.M.E.1 2 Aeronave civil de transporte (C2); treinador básico militar (M.E.1)
1933 Ae.T.1 3 Aeronave de transporte comercial
1934 Ae.M.O.1 41 monplano de observação
1934 Ae.M.Oe.1 / Ae.M.Oe.2 6+14 Variante do Ae.M.O.1, observação e treinamento
1934 Ae.C.3 16 Aeronave civil
1935 Ae.M.B.1 / Ae.M.B.2 Bombi 1+14 Primeiro bombardeiro construído pela FMA
1935 Ae. M.S.1 1 Aeronave ambulância
1936 Ae.C.3G 1 Aeronave civil para passageiros.
1936 Ae.C. 4 1 Versão melhorada do protótipo C.3G
Nome alterado para Fabrica Militar de Aviones
1940 Curtiss Hawk 75 20 Fabricado sob licença do fabricante norte-americano do Curtiss Hawk 75
1940 Focke-Wulf Fw-44J "Stieglitz" 190 Fabricado sob licença do fabricante alemão Focke-Wulf Fw 44
1940 F.M.A. 20 "El Boyero" (I.Ae. 20) 130 Aeronave civil construída pelas "Industrias Petrolini"
1943 F.M.A. 21 1 Protótipo de treinador avançado, baseado no norte-americano NA-16-1P fuselage.
1943 I.Ae. 22 "DL" 206 Treinador avançado
1945 I.Ae. 23 1 Protótipo de treinador básico, baseado no Focke-Wulf Fw44J
1945 I.Ae. 25 Mañque 1 Assalto/transporte.
1946 I.Ae. 24 Calquín 100 Ataque e bombardeiro leve
1947 I.Ae. 27 Pulqui I 1 Protótipo de caça à jato, primeiro do tipo construído na América Latina.
1947 I.Ae. 31 Colibrí 3 Treinador de dois assentos.
1948 I.Ae. 30 Ñancú 1 Caça e ataque (protótipo)
1949 I.Ae. 32 Chingolo 1 Transporte e treinamento
1949 I.Ae. 34 Clen Antú 3+1+3 Planador, asa voadora. desenhado por Reimar Horten.
1950 I.Ae. 33 Pulqui II 5 Primeiro caça desenvolvido na América Latina.
1953 I.Ae. 35 Huanquero 2+3+20+9(+1+1) Avião de transporte; variantes "Constancia" e "Pandora", aviões executivos.
1953 I.Ae. 41 Urubú 4 Planador, desenhado por Reimar Horten.
1953 I.Ae. 43 Pulqui III 0 Projeto, caça supersônico.
I.Ae. 36 "Cóndor" 0 Projeto não realizado, transporte civil.
1954 I.Ae. 37 1 Interceptador supersônico com asas delta, desenhado por Reimar Horten. Apenas protótipo.
1960 I.Ae. 38 Naranjero 1 transporte e cargueiro, desenhado por Reimar Horten.
1953 I.Ae. 44 "DL" II 0 Treinador avançado (projetado e não construído)
1959 I.Ae. 45 Querandí 2 Transporte executivo
1957 I.Ae. 46 Ranquel 101+116 2 assentos.
1960 IA 35 Guaraní I 1 Transporte, derivado do I.Ae. 35 "Huanquero"
1963 FMA IA 50 Guaraní II 1+2+18+14 Transporte, derivado do IA 35 Guaraní I
Beechcraft T-34 Mentor 75 Treinador, sob licença
1960 Morane-Saulnier MS-760 Paris 48 Trainador, sob licença
1975 FMA IA 58 Pucará 120 Avião leve de ataque.
1990 Embraer/FMA CBA 123 Vector 2 Turbohélice regional de 19 passageiros, com conjunto com a Embraer, apenas protótipo.
FMA SAIA 90 Caça supersônico, apenas no projeto (meados dos anos 1980)
1984 FMA IA 63 Pampa 20+12 Treinador avançado AT-63, ainda em produção
Nome alterado para Lockheed Martin Aircraft Argentina SA
1999 A-4AR Fightinghawk 18 outros 18 pela Lockheed Martin, em Pasadena, CA.
2003 T-34 Mentor Reformado para as forças aéreas da Argentina e Bolívia.
2006 C-130 Hercules Reformado para as forças aéreas da Argentina e Colômbia.

Renacionalização[editar | editar código-fonte]

Em 2007 surgiu a notícia de que o governo argentino retomaria a fábrica junto à Lockheed Aircraft, e estaria buscando uma parceria com a brasileira Embraer.

Apesar dos rumores da parceria com a brasileira Embraer, a notícia não foi confirmada oficialmente.[2]

Alegando graves violações do contrato pela concessionária, o governo argentinou justificou a rescisão unilateral por parte do Estado, e em 17 de dezembro de 2009 a lei número 26.501, aprovada pelo Congresso, autorizou a recompra das ações junto à Lockheed Martin, o que acabou acontecendo. Foi divulgado que as metas de produção de aeronaves militares civis serão mantidas.[3] .


Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. FAdeA na Wikipédia em Espanhol [1].Wikipédia em Espanhol. Acesso em 22/05/2013.
  2. [2]
  3. Histórico (Em espanhol) [3]. FAdeA. Acesso em 24/05/2013.