FM Towns Marty

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
FM Towns Marty
FM-Towns-Marty-Console-Set.jpg
Fabricante Fujitsu
Tipo Console de videogame
Geração 5ª Geração (Era 32-bit/64-bit)
Lançamento 1993 (Japão)
Mídia CD-ROM
CPU AMD 386SX at 16 MHz

FM Towns Marty (エフエムタウンズマーティー efuemutaunzumātī) foi um console de videogame que foi lançado em 1993 pela Fujitsu, exclusivamente para o mercado japonês. Era o sucessor do FM Towns, lançado em 1989. O FM-Towns Marty foi o primeiro console de 32 bits, com uma CPU 386 e leitor de CD e disquete. O console era compatível com todos os jogos lançados anteriormente para o FM-Towns e sua tecnologia era muito superior aos consoles 16 bits. Foi lançado apenas no Japão e sucumbiu diante do consoles 32 bits da Sony e Sega.

Em 1994, uma nova versão do console chamada FM Towns Marty 2 foi lançada. Tinha uma carcaça verde escura e um preço menor (66,000 yens) Mas de resto, era idêntico ao primeiro Marty. Acreditava-se que o FM Towns Marty 2 podia termelhorias semalhantes às do FM Towns 2, que tinha uma CPU, mas esse não foi o caso.[1] Também foi especulado que o FM Towns Marty tinha uma CPU 486, hporém foi descoberto que isso não passava de lenda.

Existia também o FM Towns Car Marty para instalações em um automóvel. Esse veio em duas versões, o MVP-1 (lançado em Abril de 1994) e o MVP-10 (lançado em Novembro de 1994). A única diferença entre o MVP-1 e o MVP-10 são os mecanismos de drive. Também havia a especulação de que o MVP-10 foi lançado porque o MVP-1 quebrava facilmente.

Nos dias atuais este console é um perfeito desconhecido e, dada suas características técnicas, uma peça única para colecionadores. Foi um dos consoles que ajudaram a dar o salto dos 16 bits para os 32 bits, uma das etapas mais interessantes da história dos vídeo games.

Recepção[editar | editar código-fonte]

Mesmo tendo um ótimo hardware do ponto de vista gamístico, tanto o FM Towns quanto o FM Towns Marty venderam muito pouco no Japão. Eles eram caros e o hardware customizado indicava que a expandibilidade não era fácil como a dos sistemas DOS/V (Clones do PC IBM com o DOS japonês ou o Microsoft Windows). A série de computadores PC98 da NEC eram dominantes no Japão quando o FM Towns Marty foi lançado, tornando difícil sua expansão de mercado antes da invasão do DOS/V dominar o mercado. Isso ocorreu mesmo com as características revolucionárias do FM Towns PC como os CD-ROMs bootáveis e um sistema operacional com GUI, algo que antecedeu o CD bootável do Windows 95 por 7 anos. Seu software hoje é caro e raro, devido a sua produções de baixa escala. Apesar da compatibilidade com jogos do FM Towns PC, problemas de compatibilidade afetaram o Marty assimm que novos títulos eram lançados tendo o FM Towns em mente, limitando seu pontencial a uma verdadeira "versão console" do Fujitsu FM Towns PC. O Marty tinha sua própria linha de jogos específicos do "Marty", mas eles não foram o suficiente para manter a posição niche do console entre console de mesa e computador pessoal

Quando a Fujitsu lançou o Marty 2 as vendas começaram a cresçer, mas a atitude corporativa era de que o Marty era uma causa perdida, e então o sistema foi cancelado. Isso levou a criação da "Lei de Marty" japonesa (マーティーの法則): "Se você não quer vender algo, então você não pode aumentar suas vendas"

Características tecnicas[editar | editar código-fonte]

  • CPU: 32-bit AMD 386
  • Velocidade da CPU: 16 MHz
  • Gráficos:
    • Resolução: 352x232 até 640x480
    • 32768 cores - 256 na tela

O Marty tinha apenas saídas componente e S-Video, outros conectores de vídeo não são possíveis. Como alguns jogos do FM Towns eram apenas VGA, o Marty tinha uma capacidade de down-scan 15 kHz para reprodução em tela de TV.

  • Sprites:
    • Até 1024 sprites, tamanho de 16 x 16
  • Som:
    • 6 canais FM
    • 8 canais PCM
  • Armazenamento:

Disquetes devem ser formatados em 1.2M (Estilo PC98). Isso pode ser feito com a GUI da BIOS. O drive de disco não aceita disquetes padrões de 1,44MB ou 720KB. para um PC ser compatível com os disquetes do FM Towns Marty ele deve ter um drive de disco, BIOS e sistema operacional que suporta o "3 Mode". Existem também drives de disco USB que suportam o "3 Mode".

  • Multi-Propsito:

A entrada de cartões IC do Marty é compatível com cartões PCMCIA tipo 1, incluindo cartões de bateria SRAM (acessíveis do menu da BIOS) que podem ser mapeados para uma letra de drive e usados como um drive pequeno. A Fujitsu lançou oficialmente o modem PCMCIA de 2400bps(FMM-CM301) para o FM Towns Marty. Esse modem estava num pacote com o TCMarty que também tinha uma entrada de impressora. Embora se acreditasse que a entrada de cartões IC do Fm Towns Marty serviria para expansões da memória RAM, esta informação é falsa.

  • Controles:
    • Direcional de 4 direções, 2 botões de tiro, select, and run
    • 2 entradas de controle padrão
    • Entrada de teclado

A conector do controle é o DB9, conhecido como "Atari Type" no Japão porque é basicamente igual ao conector do Atari 2600. Os botões Start e Selcet do controle do Marty eram o equivalente de apertar Cima e Baixo, ou Esquerda e Direita ao mesmo tempo. Um controle de seis botões da Fujitsu estava disponível para uso no jogo Street Fighter II da Capcom. A Capcom também lançou um adaptador para seu controle CPS Fighter que o tornava compatível com o FM Towns/Marty assim como o Sharp X68000.[2]

Referências

  1. FM Towns Marty Disassembly nfggames.com. Página visitada em 26 de Junho de 2011.
  2. controls:capcompowerstick [NFG Games + GameSX] gamesx.com. Página visitada em 26 de Junho de 2011.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre jogos eletrônicos é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.