Ituverava

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém uma ou mais fontes no fim do texto, mas nenhuma é citada no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde dezembro de 2009)
Por favor, melhore este artigo introduzindo notas de rodapé citando as fontes, inserindo-as no corpo do texto quando necessário.
Município de Ituverava
"Salto das águas claras e brilhantes"
Bandeira desconhecida
Brasão de Ituverava
Bandeira desconhecida Brasão
Hino
Aniversário 10 de março
Fundação 16 de julho de 1818
Gentílico ituveravense
Prefeito(a) Walter Gama Terra (PR)
(2013–2016)
Localização
Localização de Ituverava
Localização de Ituverava em São Paulo
Ituverava está localizado em: Brasil
Ituverava
Localização de Ituverava no Brasil
20° 20' 20" S 47° 46' 51" O20° 20' 20" S 47° 46' 51" O
Unidade federativa  São Paulo
Mesorregião Ribeirão Preto IBGE/2008[1]
Microrregião Ituverava IBGE/2008[1]
Municípios limítrofes Uberaba(MG),Miguelópolis, Aramina, Buritizal, Jeriquara, Ribeirão Corrente, São José da Bela Vista, Guará e Ipuã
Distância até a capital 413 km
Características geográficas
Área 705 24 km² [2]
População 39 062 hab. Censo IBGE/2010[3]
Densidade 54,8 hab./km
Altitude 605 m
Clima Tropical de altitude Cwb
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,789 alto PNUD/2000 [4]
PIB R$ 515 296 mil IBGE/2009[5]
PIB per capita R$ 12 604,46 IBGE/2009[5]
Página oficial

Ituverava é um município do estado de São Paulo, no Brasil.Fica a aproximadamente 73 km de Uberaba, a 400 km de São Paulo e 100 km de Ribeirão Preto.

História[editar | editar código-fonte]

A história de Ituverava remonta ao bandeirantismo e, em seguida, ao fluxo de ocupação do centro-oeste brasileiro, quando foi estabelecido, na região, um posto de abastecimento para tropeiros e quando surgiu uma pequena comunidade de proprietários rurais. A cidade foi fundada pelo alferes João Alves de Figueiredo em 16 de julho de 1818, quando da construção da Capela do Carmo. Na época, a região fazia parte do "Velho Caminho de Goiás". Aos 10 de março de 1885, foi elevada à categoria de município e deixou de ser o Distrito de Paz de Nossa Senhora do Carmo da Franca do Imperador para ser "Ituverava", nome derivado da língua tupi que significa "salto brilhante".

A partir das trilhas deixadas pelos bandeirantes, assentaram-se os trilhos de estradas de ferro e, em seguida as rodovias, com a expansão da cultura cafeeira. Atualmente, pouco resta de sua arquitetura inicial, contabilizando-se alguns casarios antigos, o museu e a Igreja de Nossa Senhora do Rosário dos Homens Pretos, erguida pelos próprios escravos em 1820 e frequentada à época pelos mesmos.

Turismo[editar | editar código-fonte]

No âmbito turístico, a cidade conta com o Museu Histórico, o Centro Cultural, as Igrejas Nossa Senhora do Carmo, Nossa Senhora do Rosário e São João Batista, a Praça 10 de Março, o Parque Recreio (onde está situada a Cachoeira Salto Brilhante que denomina a cidade) e a Represa Paulo Borges, que faz parte do circuito turístico Projeto Portinari.

A cidade tem um comércio forte, infraestrutura relativamente boa, algumas indústrias e uma agropecuária de base canavieira. É referência regional em comércio, educação e saúde.

Educação[editar | editar código-fonte]

Ituverava ganhou destaque no estado por possuir duas instituições de ensino superior que estão entre as melhores do país, administradas e mantidas pela Fundação Educacional de Ituverava. As duas faculdades oferecem juntas (em 2009) 11 cursos superiores de graduação e 21 cursos de pós-graduação. Desde então, a cidade tem sido nomeada como uma cidade universitária.

A cidade também conta com cinco colégios particulares de grandes redes de ensino e uma escola técnica, transformando a cidade num grande polo educacional que recebe grandes contingentes de alunos e universitários que vem de outras localidades buscando educação de qualidade; o que, por sua vez, traz renda para dentro da cidade e alavanca a geração de empregos.

Geografia[editar | editar código-fonte]

A cidade localiza-se a uma latitude 20º20'22" sul e a uma longitude 47º46'50" oeste, estando a uma altitude de 605 metros. Possui uma área de 697,8 km². A maior parte de seu solo é formada por terra roxa e arenosa, originado da decomposição de basalto vulcânico, o que torna Ituverava um lugar excelente para a agricultura, especialmente para o cultivo de grãos, cana-de-açúcar, algodão, entre outras culturas.

Demografia[editar | editar código-fonte]

Dados do Censo - 2020 (Fonte: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística)

População total: 38 699

  • Urbana: 36 431
  • Rural: 2 268
  • Homens: 18 875
  • Mulheres: 19 824

Densidade demográfica (hab./km²): 54,89

Índice de Desenvolvimento Humano (IDH-M): 0,789

  • IDH-M Renda: 0,759
  • IDH-M Longevidade: 0,745
  • IDH-M Educação: 0,863

Fonte: Atlas do Desenvolvimento Humano do Brasil 2003, disponível no site do PNUD, baseados no Censo de 2000.[6]

Etnias[editar | editar código-fonte]

Cor/Raça Percentagem
Branca 65,48%
Negra 5,72%
Parda 27,62%
Amarela 1,13%
Indigena 0,05%

Fonte: IBGE - Censo Demográfico 2010[7]

Religião[editar | editar código-fonte]

Religião Porcentagem Número
Católicos 70,36% 27.227
Protestantes 19,16% 7.416
Sem religião 5,13% 1.983
Espíritas 3,28% 1.269
Budistas 0,11% 41

Fonte: IBGE - Censo Demográfico 2010[8]


Igreja Católica

Pertencente à Diocese de Franca, Ituverava apresenta as seguintes paróquias:[9]

  • Nossa Senhora do Carmo;
  • São João Batista.


Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil. Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial. Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 dez. 2010.
  3. Censo Populacional 2010. Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Página visitada em 11 de dezembro de 2010.
  4. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil. Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2000). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  5. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2005-2009. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 29 de fevereiro de 2012.
  6. http://www.pnud.org.br/atlas/ranking/IDH_Municipios_Brasil_2000.aspx?indiceAccordion=1&li=li_Ranking2003
  7. http://www.sidra.ibge.gov.br/bda/tabela/protabl.asp?c=3175&i=P&nome=on&qtu8=137&digt102=&qtu14=3&notarodape=on&tab=3175&sec287=0&opn8=0&opn14=0&unit=0&pov=1&opc1=1&poc2=1&OpcTipoNivt=1&opn1=0&qtu11=658&nivt=0&orc86=3&poc1=1&orp=7&qtu3=27&qtu13=47&opv=1&poc86=2&sec1=0&opc2=1&pop=1&opn2=0&opn15=0&orv=2&orc2=5&qtu2=5&opn10=0&qtu15=3&sev=1000093&opc86=1&sec2=0&opp=1&opn3=0&qtu6=5565&qtu102=14213&opn13=0&sec86=2776&sec86=2777&sec86=2778&sec86=2779&sec86=2780&orc287=6&sep=24922&orn=1&digt10=&opn11=0&qtu7=36&orc1=4&qtu1=1&opn9=0&cabec=on&opc287=1&qtu10=10282&digt11=&opn7=0&decm=99&poc287=1&pon=1&qtu9=558&opn6=3&digt6=Ituverava&opn102=0&OpcCara=44&proc=1
  8. http://www.sidra.ibge.gov.br/bda/tabela/protabl.asp?c=2103&i=P&nome=on&qtu8=137&qtu14=3&notarodape=on&tab=2103&opn8=0&opn14=0&unit=0&pov=3&opc1=1&poc2=1&poc133=2&OpcTipoNivt=1&opn1=0&nivt=0&poc1=1&sec58=0&orp=7&qtu3=27&qtu13=47&opv=2&sec1=0&opc2=1&opc133=2&pop=1&opn2=0&opn15=0&orv=2&orc2=4&opc58=1&orc133=6&qtu2=5&qtu15=4&sev=1000093&sec2=0&sec133=0&opp=1&opn3=0&qtu6=5565&opn13=0&orc1=3&poc58=1&qtu1=1&opn9=0&cabec=on&orc58=5&opn7=0&decm=99&ascendente=on&sep=38558&orn=1&qtu7=36&pon=1&qtu9=558&opn6=3&digt6=Ituverava&OpcCara=44&proc=1
  9. http://www.diocesefranca.org.br/diocese/foranias/

Ligações externas[editar | editar código-fonte]