Uma História de Amor e Fúria

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Lutas (filme))
Ir para: navegação, pesquisa
Uma História de Amor e Fúria
Pôster promocional
 Brasil
2013 • cor • 75 min 
Direção Luiz Bolognesi
Produção Caio Gullane
Fabiano Gullane
Débora Ivanov
Gabriel Lacerda
Marcos Barreto
Laís Bodanzky
Luiz Bolognesi
Produção executiva Caio Gullane
Fabiano Gullane
Sônia Hamburger
Roteiro Luiz Bolognesi
Elenco Selton Mello
Camila Pitanga
Rodrigo Santoro
Gênero Drama, ficção científica
Idioma Português
Música Rica Amabis
Tejo Damasceno
Pupillo
Direção de arte Anna Caiado
Edição Helena Maura
Estúdio Buriti Filmes
Gullane/Lightstar Studios
Distribuição Europa Filmes
Lançamento 5 de abril de 2013
Orçamento R$ 4 milhões[1]
Site oficial
Página no IMDb (em inglês)

Uma História de Amor e Fúria (anteriormente títulado por Lutas e Rio 2096) é um filme de animação brasileira, do gênero ficção científica, escrito e dirigido por Luiz Bolognesi. O filme é produzido pela Gullane e Buriti Filmes, com a coprodução da Lightstar Studios.[2]

Foi lançado em 5 de abril de 2013 nos cinemas brasileiros.[3] O enredo conta a história de um homem que está vivo há 600 anos no Brasil. O protagonista passa por momentos marcantes da história do país, desde os conflitos indígenas na época da chegada dos europeus, passando pela Balaiada, no Maranhão, pela ditadura militar e a guerra pela água num futuro não tão distante em 2096.

Uma História de Amor e Fúria venceu o principal prêmio do Annecy International Animated Film Festival, na França, tornando-se a primeira animação brasileira a ser selecionada para essa competição. [4] Foi um dos 19 filmes submetidos ao Oscar de melhor filme de animação na edição 86 de 2014. [5]

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

A trama situa-se em quatro datas na história do Brasil: 1500, quando o país foi descoberto pelos exploradores portugueses, 1800, em eventos durante a escravidão; 1970, durante o ponto alto da ditadura e no futuro em 2096, quando haverá uma guerra sobre a água. O filme narra o amor entre Janaína (Camila Pitanga) e guerreiro nativo (Selton Mello) que, quando morrer, terá a forma de um pássaro. Durante seis séculos, a história do casal sobrevive através desses quatro estágios na história do Brasil.[1]

Gtk-paste.svg Aviso: Terminam aqui as revelações sobre o enredo.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Produção[editar | editar código-fonte]

Em 2001, quando o roteirista e diretor Luiz Bolognesi estava envolvido na produção do filme Bicho de Sete Cabeças, se perguntou no que queria fazer logo após terminar o trabalho. E o que mais queria produzir era um longa de animação. "Eu tenho duas paixões, que são quadrinhos e a história do Brasil. Então resolvi fazer um filme que misturasse essas duas coisas", afirmou Bolognesi. [6] Inicialmente o filme se chamaria Lutas e, posteriormente, teve o título alterado para Rio 2096, e logo depois finalmente foi anunciado que seria Uma História de Amor e Fúria.[7]

Além de traço e linguagem de HQ, o filme também teve inspiração de desenhos japoneses e outros sul-coreanos, numa tradição que vem de anime.[6] Luis Bolognesi não queria fazer uma animação toda feita no computador, então resolveu fazer o filme usando a técnica clássica de animação, de lápis sobre o papel. Bolognesi fez uma longa pesquisa com profissionais das áreas de história e antropologia para definir quais períodos da história do Brasil seriam mencionados no filme.[6] [7]

Recepção[editar | editar código-fonte]

Bilheteria[editar | editar código-fonte]

Até 05 de abril de 2013, Uma História de Amor e Fúria havia sido visto por 8.438 pessoas,[8] assim arrecadando R$ 110 mil reais em sua semana de estréia.[9]

Crítica[editar | editar código-fonte]

De acordo com o site AdoroCinema, Uma História de Amor e Fúria recebeu críticas geralmente positivas dos críticos especializados, atingindo uma média de 3,4 de 5 estrelas, baseado em 12 críticas veiculadas na imprensa.[10] Adriana Cruz do Cinema com Rapadura escreveu: "O enredo é bem construído e ver a história do Brasil contata de forma tão clara e tão bem arquitetada em animação mostra uma nova área cinematográfica que precisa ser mais explorada e, quem sabe, ampliada em nosso país".[11] Wilker Medeiros do CinePop disse que o "romance do filme consegue ir além e flertar com temas extremamente complexos e polêmicos como política, preconceito e apreciações históricas, intencionalmente equivocadas".[12]

Mariane Morisawa, do website Preview, sustentou que "a ideia é melhor que a realização, mas é um bom caminho a trilhar",[10] enquanto Marcelo Hessel, do site Omelete, teve uma avaliação menos positiva. Para Hessel, o filme é " menos um acerto de contas provocativo com o passado do que uma revisão politicamente correta da história do Brasil". O crítico lamentou ainda a falta de desenvolvimento das histórias, exibidas em segmentos, e o tom "didático" que o filme assume.[13]

Prêmios e indicações[editar | editar código-fonte]

Ano Prêmio Categoria País Resultado
2013 Holland Animation Film Festival  Países Baixos Pendente
2013 Annecy International Animated Film Festival Melhor Filme  França Venceu
2013 Strasbourg European Fantastic Film Festival Prêmio da Audiência  França Venceu
2013 4th Brapeq Brazilian Film Festival in China Melhor Filme  Brasil e  China Venceu

Referências

  1. a b Fonseca, Rodrigo (8 de outubro de 2012). 'Uma história de amor e fúria' tem estreia aplaudida no Festival do Rio O Globo. Visitado em 21 de janeiro de 2013.
  2. Uma História de Amor e Fúria. Disponível em: http://www.buritifilmes.com.br/longa.php?id=17. Acessado em 22/11/2012
  3. HESSEL, Marcelo. Uma História de Amor e Fúria | Rio de Janeiro distópico futurista em clipe exclusivo. Disponível em: http://www.buritifilmes.com.br/longa.php?id=17. Acessado em 22/11/2012
  4. 'Uma história de amor e fúria' vence Festival de Annecy G1 (17/06/2013).
  5. Oscars: 19 Films Submit for Feature Animation Variety. Visitado em 2013-11-05.
  6. a b c Lucas Salgado (5 de abril de 2013). Entrevista exclusiva com Selton Mello e Luiz Bolognesi, de Uma História de Amor e Fúria AdoroCinema. Visitado em 8 de abril de 2013.
  7. a b Curiosidades, bastidores, novidades, e até segredos escondidos de "Uma História de Amor e Fúria" e das filmagens! AdoroCinema. Visitado em 8 de abril de 2013.
  8. Bilheterias: sexta-feira, 5 de abril de 2013 AdoroCinema. Visitado em 14 de abril de 2013.
  9. Inácio Alaiola (11 de abril de 2013). RANKING BRASIL – CROODS voltam a liderar Diário do Nordeste, Blog de Cinema. Visitado em 14 de abril de 2013.
  10. a b 10 críticas de imprensa AdoroCinema. Visitado em 8 de abril de 2013.
  11. Adriana Cruz (7 de abril de 2013). Uma História de Amor e Fúria (2012): passado, presente e possível futuro de um País Cinema com Rapadura. Visitado em 8 de abril de 2013.
  12. Wilker Medeiros (4 de abril de 2013). Uma História de Amor e Fúria CinePop. Visitado em 8 de abril de 2013.
  13. Marcelo Hessel (4 de abril de 2013). Uma História de Amor e Fúria - Crítica Omelete. Visitado em 15 de junho de 2013.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um filme brasileiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.