Nefilim

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox important.svg
Foram assinalados vários aspectos a serem melhorados nesta página ou secção:
  • Texto necessita de revisão, devido a inconsistências e/ou dados de confiabilidade duvidosa.

Nefilim, do hebraico נְפִלנ ְפִיל nefilím, que significa desertores, caídos, derrubados, mas tal termo é uma variação do termo נָפַל. Deriva da forma causativa do verbo nafál ou nefal (cair,queda,derrubar,cortar). Traz uma ideia de dividido, falho, queda, perdido, mentiroso, desertor.

Literalmente os que fazem os outros cair ou mentir.

No Dicionário de Strong são chamados de tiranos. Em aramaico Nephila designa a constelação de Orion, que entre os hebreus era o anjo Shemhazai (Semyaza, Samyaza, Semyaze), conforme relatado no Livro de Enoque.

Citações bíblicas[editar | editar código-fonte]

A Bíblia faz menção aos Nefilins como "anjos caídos", "espíritos impuros" ou "demônios", e no tal apócrifo Livro de Enoque como "vigilantes", sendo em ambos os tais anjos que copularam com as filhas dos homens e engendraram esta raça híbrida dos gigantes.

Na Bíblia esta palavra refere-se aos filhos de [Elohim] אלהים, os valentes e heróis da antigüidade como relata o Livro do Gênesis 6:4.

Havia naqueles dias gigantes na terra; e também depois, quando os filhos de [Elohim] אלהים adentraram às filhas dos homens e delas geraram filhos;estes eram os valentes que houve na antiguidade, os homens de fama.

Lembrando que a palavra Elohim em hebraico está no plural e significa Deuses e Deusas trazendo a referência lógica e clara de onde surgiram os Nefilins. Nefilim portanto é o grupo de Elohim que se rebelaram adquirindo o epíteto que corretamente significa: Os Deuses desertores.

Os gigantes são o resultado de uma união entre duas espécies, seres que foram alterados geneticamente devido a compatibilidade entre as mulheres humanas e os Nefelins. Na Bíblia, podemos identificar alguns dos descendentes dos Nefelins na terra por serem antigos governantes, como aponta o livro de Números 13:33

Também vimos ali os Nefilins, isto é, os filhos de Anaque, que são descendentes dos nefilins; éramos aos nossos olhos como gafanhotos; e assim também éramos aos seus olhos.

No livro de Números temos uma referência da genealogia dos Nefelins entre os homens e também o local onde habitavam. Números 13:22

E subindo para o Negebe, vieram até Hebrom, onde estavam Aimã, Sesai e Talmai, filhos de Anaque.(Ora, Hebrom foi edificada sete anos antes de Zoã no Egito.)

Já no livro de Deuteronômio podemos conhecer um pouco das características físicas dos Nefelins. Deuteronômio 9:2

Um povo grande e alto, filhos dos anaquins, que tu conhecestes, e dos quais tens ouvido dizer: Quem poderá resistir aos filhos de Anaque?

Neste versículo há uma segunda referência aos filhos de Deus, onde são chamados de Anaquins. A palavra anaquin tem origem na palavra anunnaki do idioma sumério, que significa aqueles que do céu desceram à Terra, o que corrobora o versículo bíblico com narrativas Sumérias e Mesopotâmica como a Epopeia de Atra Hasis.

Ainda no livro de Deuteronômio podemos identificar outras referências aos Nefelins como apresenta o capítulo 2 versículos 10 e 11. Deuteronômio 2:10,11

Antes haviam habitado nela os Emins, povo grande e numeroso, e alto como os Anaquins;Eles também são considerados Refains como os anaquins; mas os moabitas lhes chamam Emins.

Depois de compreendermos estes versículos fica mais esclarecedor a batalha citada no livro do Gênesis, no capitúlo 14:5.

Por isso, ao décimo quarto ano veio Quedorlaomer, e os reis que estavam com ele,e feriram aos Refains em Asterote-Carnaim, aos Zuzins em Hão, aos Emins em Savé-Quiriataim

Mesmo não tendo nenhuma outra referência na Bíblia sobre os Zuzins podemos logicamente concluir que os Zuzins também eram descendentes dos Nefelins na Terra. No livro de Deuteronômio podemos compreender que alguns povos apenas davam outros nomes aos filhos de Deus ou Nefelins e seus descendentes. Deuteronômio 2:20

Também essa é considerada terra de Refains; Outrora habitavam nela Refains, mas os Amonitas lhes chamam Zanzumins

Deuteronômio 3:13

e dei à meia tribo de Manassés o resto de Gileade, como também todo o Basã, o reino de Ogue, isto é, toda a região de Argobe com todo o Basã. O mesmo se chamava a terra dos Refains

Flávio Josefo faz uma distinção entre os gigantes e o fruto das relações entre os "Filhos de Deus" e as "filhas dos homens", quando afirma em sua obra: "... e os grandes da terra, que se haviam casado com as filhas dos descendentes de Caim, produziram uma raça indolente que, pela confiança que depositavam na própria força, se vangloriava de calcar aos pés a justica e imitava os gigantes de que falam os gregos." (Antiguidades Judaicas). Aparece pela primeira vez em Génesis 6 traduzido como Gigantes, na maioria das versões bíblicas.

Foi traduzido para o grego como grigori e para o latim como Gigantes como se pode verificar na Vulgata.

Na tradução Almeida (ALA),"filhos de Deus" se refere aos descendentes de Sete, nessa mesma tradução o hebraico nefilím é vertido por "gigantes". Os Nefilins são descritos como "os poderosos [em hebr. hag gibborím] da Antiguidade" e os "homens de fama [ou "heróis", MC]".

Diz a narrativa na bíblia que Deus teria decretado um dilúvio, atualmente é conhecido pela ciência moderna que o nosso planeta passa por um processo cataclísmico e cíclico e após a ocorrência do mesmo toda a sociedade humana foi destruída. O relato termina com dilúvio bíblico eliminando a raça humana juntamente com os Nefilins, os filhos dos filhos de Deus. Por fim, recomeça uma nova humanidade e os genitores dos Nefilins são eliminados como afirma o livro de Josué Josué 15:14

E Calebe expulsou dali os três filhos de Anaque: Sesai, Aimã e Talmai, filhos de Anaque.

Origens do conceito[editar | editar código-fonte]

Similaridades com os sumérios[editar | editar código-fonte]

Muitos estudiosos afirmam que os Anunnaki são a própria espécie dos Nephilins como o escritor Zecharia Sitchin. De acordo com Sitchin, os Nefilim são os habitantes de Nibiru/Marduque o desconhecido 9º planeta do nosso sistema solar. Os sumérios tinham grandes conhecimentos de astronomia para sua época e retrataram a passagem deste corpo celeste como mostra o cilíndro VA-243.

Conceito cristão[editar | editar código-fonte]

Os teológos e estudiosos da Bíblia até hoje divergem sobre a natureza dos Nephilim e dos "Filhos de Deus", mencionados em Gn 6. Há duas possíveis interpretações:

  • G. H. Pember argumenta em favor da teoria que diz que os "Filhos de Deus" de Gn 6 são na verdade anjos que vieram a Terra para terem intercurso com mulheres, tiveram filhos, sendo por isso punidos e lançados no inferno, segundo a Segunda Epístola de Pedro 2:4 (é interessante notar que no original a palavra não é "inferno", e sim "tártaro" :na mitologia grega,tártaro,era o sub-nivel do Hades para os amaldiçoados.), e seus filhos se tornaram pessoas híbridas, metade humano, metade angélico (ver As Eras Mais Primitivas da Terra). Essa teoria é defendida por teólogos como John Fleming (1), S. R. Maitland (2), Caio Fábio (ideia advogada no seu livro de ficção Nephilim), Charles Ryrie, em sua Bíblia de estudo e pela maioria dos primeiros cristãos. Esteve em voga na Idade Média É também o ponto de vista de Fílon de Alexandria e dos apócrifos de Enoque e do Testamento dos Doze Patriarcas.
  • Teoria de que não eram anjos, mas sim descendentes de Sete, que ainda seguiam a Deus. As "filhas dos homens" eram filhas de Caim, afastadas de Deus, e seus filhos foram heróis posteriormente, mas a Bíblia considera-os caídos, porque se afastaram de Deus. Argumenta-se que os anjos não podem procriar e que "filhos de Deus" referia-se aos seguidores de Deus. Essa teoria foi propagada por Agostinho, C. I. Scofield, Gordon Lindsay, entre outros, sendo a mais aceita. (ver uma defesa desta teoria [1]).

Há outras teorias como a de pano de fundo evolucionista que diz que os "filhos de Deus" eram descendentes de Adão e as "filhas dos homens" de uma raça inferior, como, por exemplo, a Neandertal. Atualmente pesquisas científicas comprovaram que aproximadamente 4% de nosso DNA é de origem Neandertal. Alguns veem ai a comprovaçao desta linha teórica.

Ainda outras teorias apresentam essa Mistura de [Filhos de Deus] com os [Filhos dos Homens] como uma hipotética experiência genética que os [Anjos] teriam feito nos seres humanos da época, na tentativa de evoluí-los.... No início da criação não haveria de ter os filhos dos caídos antes da geração noé pelo simples fato de que o dilúvio dizimou a terra, não sobrando sobre ela qualquer vida. Mais ainda há uma outra teoria de que o dilúvio não foi total, afinal não se tem provas geológicas de que aconteceu em todo o planeta, até porque naquela época se usava o termo "terra" para uma região, como por exemplo "Jó um homem da terra de Uz", ou outro termo bíblico "as terras indonitas", então por citar dilúvio em toda a terra não quer dizer que alagou totalmente o planeta, e sendo assim, os filhos dos anjos caídos poderiam ter perpetuado na face da terra.

Os Nephilim na ficção[editar | editar código-fonte]

No RPG brasileiro Rebelião: Ascensão e Queda (Editora Daemon, 2007), os Nefilim são seres híbridos nascidos da união de humanos e anjos caídos, que se libertaram do Inferno após 1908. As nove hierarquias de anjos são identificadas pelo tipo de asa que ostentam. O RPG foi criado pelo Universo Germinante, www.universogerminante.net

No RPG Diablo II, desenvolvido pela bem conhecida empresa Blizzard North (que eventualmente se dissolveu), os Nefilim (Nephalem) seriam os primeiros humanos no Santuário (Sanctuary), resultado das relações proibidas entre anjos e demónios, com potencial para serem maiores que os seus criadores. Para evitar que os Nephilim ganhassem cada vez mais poder e se revoltassem, foi implementada a Worldstone, com o objectivo de enfraquecer os Nefilim a cada nova geração.

No RPG/Hack N' Slash Darksiders 2, desenvolvido pela americana Vigil Games, define os Nephilim como uma união amaldiçoada entre anjos e demônios. Quando os mesmos tentaram dominar o Jardim do Éden líderados pelo primeiro Nephilim, Absalom, quatro Nephilims em particular se rebelaram com seu povo e os mataram para que a balança entre os mundos fosse mantida, eram estes Guerra, Morte, Fome (Fúria no jogo) e Peste (Disputa no jogo), que fizeram um pacto com os juízes do purgatório para se tornarem os Cavaleiros do Apocalipse que serviriam como mediadores para as disputas entre anjos e demônios.

No jogo DmC:Devil May Cry, os irmãos Dante e Vergil, no decorrer da historia são classificados como Nephilim, hibridos da união de um anjo(Eva)com um demônio(Sparda). Caçados e Temidos pelos seres do sub-mundo, são os unicos seres capazes de derrotar o Rei Demônio (Mundus). Pois possuem habilidades e inteligência que nem os demônios e nem os anjos puros poderiam ter.

No jogo Tomb Raider - The Angel of Darkness (2003), os Nefilins são apresentados como seres híbridos originados da relação entre anjos e humanos. Há 600 anos formaram uma aliança com o alquimista Pieter Van Eckhardt, a partir da qual o mesmo ganharia a imortalidade ao trazer a raça de volta à existência no século XXI.

Caio Fábio, aborda o assunto em seu romance Nephilim.

Os nefilins também aparecem na trama da série “Os Instrumentos Mortais”, onde são chamados os Caçadores de Sombras (Shadowhunters), que caçam e matam demônios e Downwolders (vampiros, lobisomens, feiticeiros etc.) que "saem da linha". Na série, os Caçadores de Sombras surgiram quando o Anjo Raziel misturou seu sangue com o de humanos no Cálice Mortal, que pode transformar crianças mundanas em Caçadores de Sombras, aliás.

Em um dos livros de Tess Gerritsen, "O Clube Mefisto", a patologista Maura Isle encontra em sua porta o símbolo dos nefilins. No livro, existem varias citações referentes ao Livro de Enoque e liga os "Vigilantes" à maldade dos dias atuais.

Na série de livros Hush, Hush da autora Becca Fitzpatrick ,os nefins são descritos como imortais filhos de anjos com humanos .

Na série "Supernatural", no penúltimo capítulo da oitava temporada, há referência a um Nefilim.

Na série de livros Fallen, Nefilins são filhos de anjos caídos com humanos, e que herdaram algum tipo de poder angelical.

Também no romance fantástico da escritora Luíza Salazar, Os Sete Selos. Aborda novamente a questão dos anjos caídos como demônios porém apenas lúcifer possui asas e ainda toda a questão batalha entre céu e inferno, nesse meio os nephilim que são descritos no livro são duas filhas do Anjo Gabriel e estas não são imortais suas asas aparecem apenas em caso de perigo extremo.

No filme Noé de 2014, são seis anjos caídos exilados para a Terra por sua lealdade à humanidade, transformados em raça de criaturas gigantes de pedra que Deus deixou em nosso planeta, conhecidos como "Guardiões" ou "Vigilantes", dos quais Noé se aproxima para atraí-los para a sua causa[1] [2]

Referências

  1. Hall, Peter (July 10, 2012). Just How Much of a Fantasy is Aronofsky's 'Noah'?. movies.com. Página visitada em July 24, 2012.
  2. http://variety.com/2014/film/reviews/film-review-noah-1201130643/

Referências para consulta[editar | editar código-fonte]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

SITCHIN Zecharia, O 12º PLANETA,Livro I das Cronicas da Terra, Tradução Teodoro Lorent, São Paulo Madras ISBN 978-85-370-0697-9

Referências Bíblicas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre religião é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.