Raamá

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde Outubro de 2012).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.

Raamá ou Ramá (Hebreu: רעמה, Ra‛mâh) significa “alto, exaltado, ou trovão”. O nome é mencionado pela primeira vez como o quarto filho de Cuche, que é o filho de Cam, que é o filho de Noé, em Gênesis 10:7, e mais tarde aparece como um país que negocia com a cidade-estado fenícia de Tiro, em Ezequiel 27:22. Tem sido relacionada com Rhammanitae mencionado por Estrabão no sudoeste da Península Arábica, e com uma cidade árabe de Regmah na cabeça do Golfo Pérsico. Ele é o irmão de Ninrode, que fundou várias cidades da Mesopotâmia, incluindo a Babilônia e Nínive.

Este país de Raamá é geralmente dito como estar em algum lugar na região do Iêmen; Sabá, filho de Raamá, e seus descendentes, são muitas vezes acusados de estarem incluídos entre os sabeus. Os Iemenites de pele escura são os descendentes do avô de mesmo nome do seu progenitor, Cuxe ou Cuche, comumente traduzido na Bíblia como a Etiópia, que significa escuro. Dedã, filho de Raamá. Aparentemente, tem relação com uma região da província Tabuk, da Arábia Saudita.

No entanto houve também uma cidade israelita chamada Ramá, próximo a Tiro.

Referências[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre a Bíblia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.