Patati Patatá

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Patati Patatá
Os palhaços Patati Patatá
Informação geral
Origem São Paulo
País  Brasil
Gênero(s) Infantil
Período em atividade 1985–presente
Gravadora(s) Som Livre
Influência(s) Bozo, Carequinha, Arrelia
Página oficial www.patatipatata.com.br
Integrantes
Wagner Rocha (Patati)
Henrique Pinheiro Namura (Patata)
Ex-integrantes
Rinaldi Faria

Patati Patatá é uma dupla brasileira de palhaços formada por Wagner Rocha e Henrique Pinheiro Namura.[1] Ela, é mais conhecida como "a dupla de palhaços mais amada do Brasil".

A dupla lançou em 2010 o DVD Patati Patatá pela Som Livre que foi certificado com Platina Triplo, mais de 150 mil cópias vendidas.[2]

Em 2011, a dupla foi contratada pelo SBT para apresentar o programa infantil Carrossel Animado, até 2013 quando a dupla foi demitida do SBT por conta da baixa audiência do programa, e pelo não faturamento dos produtos vendidos pela dupla.[3] Eles chegaram a ser recontratados, mas depois saíram do canal novamente[4] , pois atualmente estão sendo licenciados para terem um programa em um canal infantil pago.

Carreira[editar | editar código-fonte]

1985: Início[editar | editar código-fonte]

Originalmente, Patati Patatá era um grupo formado por artistas circenses, composto pela Garota Pupy, Mágica Alacazam e a dupla de palhaços Tuti Fruti e Pirulito.[5] Rinaldi Faria e seu irmão que apresentavam mágica e cantava, respectivamente, eram sempre chamados para apresentarem com o grupo.[6] Em 1985, a dupla de palhaços e a Garota Pupy morreram depois de um acidente de automóvel.[5] Para retornarem com o grupo para finalizar a agenda de shows deixada pela antiga formação, Rinaldi e seu irmão foram chamados para para substituir dois integrantes.[6] [5] Depois do término dos trabalhos, a detentora do marca decidiu não continuar com o grupo.[7] Anos mais tarde em 1989, Rinaldi ganhou a marca e financiou a volta da mesma.[7]

1989: Retorno do Patati Patatá[editar | editar código-fonte]

Na volta, do Patati Patatá, desta vez em dupla, as apresentações eram feitas em circos e nas escolas, onde segundo Rinaldi, ganhava mais dinheiro, já que era onde se concentravam mais crianças.[5] Nessas apresentações, não era cobrado cachê, mas estes alunos eram chamados pela dupla a tirar fotos, sendo cobrados posteriormente.[5]

Com 17 anos de idade, Rinaldi resolveu expandir o negócio e criou mais duplas para conseguir atender mais escolas.[5]

2010–2011: Patati Patatá e estreia no SBT[editar | editar código-fonte]

Entre tantas conquistas, está a realização de uma turnê nacional, em 2010, que, mesmo antes do programa, percorreu as maiores casas de espetáculos do Brasil, mostrando a todos o enorme sucesso que havia conquistado. Em 2012, já com a turnê Volta ao Mundo, Rinaldi pode contabilizar o sucesso de sua marca ao lotar todas as sessões no Citibank Hall, no Rio de Janeiro, e no Credicard Hall, em São Paulo, com o show da dupla Patati Patatá.

Consolidada, hoje a marca é referência no mercado infantil e tornou-se um verdadeiro case de sucesso, estudado por universidades de marketing e respeitado por acadêmicos, pela mídia e, especialmente, pelo público, que aplaude a dupla de palhaços no Brasil e no mundo.

Além da magia levada às crianças, a dupla de palhaços foi recordista em vendas de DVDs no ano passado. Ao todo, os palhaços somam 12 CDs, oito DVDs e duas coleções com as 100 mais da pré-escola, sendo que seu último trabalho Coletânea de Sucessos já ultrapassou a marca de 250 mil cópias vendidas, conquistando o Disco de Diamante.

A marca tornou-se tão forte no mercado que é licenciada por 54 empresas e possui mais de 850 produtos, desde brinquedos, passando por álbuns de figurinhas, ovos de páscoa, roupas, material escolar, decoração para festas e produtos para higiene.

A grande aceitação do público infantil fez com que a marca fosse premiada pela Licensing Brasil em três categorias das quatro que concorreu. Venceu como Melhor Brinquedo Licenciado, com os bonecos Patati Patatá, da Multibrink; Melhor Produto Licenciado – Festa, com o painel decorativo Patati Patatá da FestColor; e Melhor Licença Pré-Escolar por dois anos consecutivos, concorrendo com grandes marcas internacionais. Outra grande premiação conquistada em 2012 foi a de Melhor Programa Infantil 2012 no Troféu Imprensa.

Além dos prêmios, outro exemplo de força da marca são as ações de merchandising no Carrossel Animado: ao longo de 2012 foram 616 ações, dado que coloca o programa como número 1 em termos de ações de merchandising do SBT. A imagem da dupla também está ligada a ações beneficentes, como visitas a hospitais, ONGs, instituições de caridade, sempre com o intuito de colaborar com a recuperação e arrecadação de fundos para tais entidades.

Discografia[editar | editar código-fonte]

Álbuns de estúdio[editar | editar código-fonte]

  • Na Cidade dos Sonhos (2011)

Álbuns ao vivo[editar | editar código-fonte]

Filmografia[editar | editar código-fonte]

Programas[editar | editar código-fonte]

Ano Título
2011 - 2013 Carrossel Animado
2013 Bom Dia & Cia

Tours[editar | editar código-fonte]

  • Patati Patatá, um Show de Alegria (2011)
  • Volta ao Mundo (2012)

Referências

  1. Gatinhos? Veja fotos dos palhaços Patati e Patatá sem a maquiagem. R7 Entretenimento. R7 (6 de janeiro de 2012). Página visitada em 1 de abril de 2014.
  2. Patati Patatá. ABPD. Página visitada em 23/10/2010.
  3. Oliveira, Fernando (29 de abril de 2013). SBT demite os palhaços Patati e Patatá. Na TV. Internet Group. Página visitada em 30 de abril de 2013.
  4. Oliveira, Fernando (30 de abril de 2013). SBT volta atrás e faz acordo financeiro para manter Patati e Patatá. Na TV. Internet Group. Página visitada em 1 de maio de 2013.
  5. a b c d e f Ferretti, Caio (19 de abril de 2012). Reportagem - Patati Patatá. Revista Trip. Universo Online. Arquivado do original em 1 de abril de 2014. Página visitada em 1 de abril de 2014.
  6. a b Ferreira, Gabriel (17 de abril de 2014). A palhaçada aumentou com a marca Patati Patatá. PME. Exame. Página visitada em 1 de abril de 2014.
  7. a b Patati Patatá: o rei da palhaçada. Época. Globo.com (24 de março de 2011). Página visitada em 1 de abril de 2014.[ligação inativa]
  8. Ricco, Flávio; Carlos, José (2 de fevereiro de 2013). Marlene Mattos vende palhaços do SBT para a Argentina. Coluna do Fálvio Ricco. Universo Online. Página visitada em 2 de fevereiro de 2013.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.