Pero Lopes de Sousa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Pero Lopes de Sousa
Nascimento 1497
Lisboa
Morte 1539 (42 anos)
Nacionalidade Portugal Português
Ocupação Navegador, militar

Pedro Lopes de Sousa, senhor de Alcoentre (Lisboa, 14971539), foi um nobre português, navegador e militar. Irmão mais velho de Martim Afonso de Sousa, foi donatário da Capitania de Santo Amaro. Escreveu o Diário da Navegação, "o mais importante relato sobre a expedição de seu irmão ao Brasil",1 em 1530-1532.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Filho de família nobre, viveu na corte a infância e juventude. Ainda jovem, tornou-se navegador. Em dezembro de 1530 partiu, com o irmão, em missão ordenada pelo rei Dom João III de Portugal para explorar terras brasileiras. Em 1532, decidiu retornar a Portugal. Na viagem de volta enfrentou e aprisionou dois navios franceses ao largo de Pernambuco. Essa aventura lhe rendeu cinquenta léguas de terras no litoral do Brasil, oferecidas pela Coroa.

Em 1539, ocupando o posto de capitão-mor de uma esquadra de seis navios, partiu de Lisboa para a Índia. Na viagem de volta, naufragou próximo a Madagascar (Ilha de São Lourenço para os portugueses), e o seu corpo desapareceu no mar.

Obra[editar | editar código-fonte]

Em 1839, o historiador Francisco Adolfo de Varnhagen descobriu o seu "Diário da Navegação".

Na obra, Lopes de Sousa narra, além de sua biografia e a de seu irmão, episódios como a fundação das vilas de São Vicente e Piratininga e os descobrimentos do Rio de Janeiro, do Rio da Prata e da ilha de Fernando de Noronha. É peça chave para se entender a luta de séculos entre Portugal e Espanha pelo controle do estuário do Rio da Prata e o primeiro documento a descrever a costa sul-americana. Narra ainda o contacto com os degredados e a expulsão dos franceses.

Diz-se na "Brasiliana da Biblioteca Nacional", Rio de Janeiro, 2001:

'Navegador afeito à ação, Pero Lopes oferece passagens que emocionam o leitor, com um tom entre deslumbrado e surpreso diante da realidade geográfica e humana da terra visitada, como a chegada à baía do Salvador e do Rio de Janeiro, o relato da subida pelos rios Paraná e Uruguai, a fundação da vila de São Vicente, ou ainda, o ataque aos núcleos franceses que comerciavam o pau-brasil. Sobre a sua chegada ao Rio de Janeiro, diz: ´A gente deste Rio é como a da Bahia de Todos os Santos, senão quanto é mais gentil gente. Toda a terra deste Rio é de montanhas e serras muito altas. As melhores águas há neste que podem ser."

Armas de Brasão[editar | editar código-fonte]

Brasão da família Sousa

Seu Brasão D'Armas é descrito da seguinte forma: Esquartelado: o primeiro e o quarto de prata, com cinco escudetes de azul postos em cruz, cada escudete carregado de cinco besantes do primeiro esmalte, postos em sautor; o segundo e o terceiro de prata com um leão rampante de púrpura. Timbre: o leão do escudo.

Descendência[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Mini-biografia de Pero Lopes de Souza em Netsaber. Acesso em 16 de janeiro de 2012.

Ver também[editar | editar código-fonte]


Precedido por
Martim Afonso de Sousa
Donatário da Capitania de São Vicente
1572 — 1586
Sucedido por
Lopo de Sousa


Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.