Pilos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde novembro de 2012).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Baía de Pilos

Pilos ou Pilo (em grego: Πύλος; transl.: Pylos; em italiano: Navarino; em veneziano: Zonklon) é uma cidade grega, situada na prefeitura de Messénia, no sudoeste da periferia do Peloponeso. Foi uma importante cidade durante o período micénico, e subsequentemente, na Grécia Clássica, onde foi uma aliada de Esparta na Guerra do Peloponeso. No século XII foi ocupada pela República de Veneza.

Demografia[editar | editar código-fonte]

População da cidade nos últimos censos:

  • 1991: 2 014
  • 2001: 2 104

Mitologia[editar | editar código-fonte]

Pylas era o rei de Mégara, mas matou o seu tio Bias, entregou Mégara para seu genro Pandião II, mudou-se para o Peloponeso com várias pessoas e fundou Pilo[1] . Segundo Pausânias, a cidade foi fundada pelos léleges, liderados por Pilo filho de Cleson[2] , mas logo depois conquistada por Neleu e os pelasgos de Iolco[2] .

Neleu foi sucedido por seu filho Nestor, que liderou as forças de Pilos na Guerra de Troia[3] .

Na obra Odisseia, Pilo foi a cidade à qual Atena, utilizando como disfarce a figura de Mentor, aconselhou Telêmaco, o filho de Penélope e Odisseu, a visitar em sua jornada em busca do pai desaparecido[4]

Referências


Ícone de esboço Este artigo sobre Geografia da Grécia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.