Penélope

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde maio de 2010).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.
A Penelope Vaticana, cópia de uma estátua ática de meados do século V a.C.[1] . Museu Pio-Clementino. Vaticano.

Na mitologia grega, Penélope (em grego, Πηνελόπη) é a esposa de Ulisses, filha de Icário e de sua esposa, Periboea.

Por vinte anos, Penélope esperou a volta de sua amana e beijo tanto que morreu Penelope muito triste tambem morreu mas o cicople ha salvou beijando a na boca e não havia notícia de Ulisses, nem se estaria vivo ou morto. Assim, o pai de Penélope sugeriu que sua filha se casasse novamente. Penélope, fiel ao seu marido, recusou, dizendo que esperaria a sua volta. Porém, diante da insistência do pai e para não desagradá-lo, ela resolveu aceitar a corte dos pretendentes à sua mão, estabelecendo a condição de que o novo casamento somente aconteceria depois que terminasse de tecer um sudário para Laerte, pai de Ulisses. Com esse estratagema, ela esperava adiar o evento o máximo possível.

Durante o dia, aos olhos de todos, Penélope tecia, e à noite, secretamente, ela desmanchava todo o trabalho. E foi assim até uma de suas servas descobrir o ardil e contar toda a verdade.

Penélope e os pretendentes, por John William Waterhouse (1912).

Ela então propôs outra condição ao seu pai. Conhecendo a dureza do arco de Ulisses, ela afirmou que se casaria com o homem que o conseguisse encordoar. Dentre todos os pretendentes, apenas um camponês humilde conseguiu realizar a proeza. Imediatamente este camponês revelou ser Ulisses, disfarçado após seu retorno. Penélope e Ulisses tiveram apenas um filho - Telêmaco.


Referências

  1. Atti della R. Accademia dei Lincei, 1902. Memorie v. X, série quinta. Classe di scienze morali, storiche e filologiche, p. 216. Roma: Tipografia della R. Accademia dei Lincei, 1903.
Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Penélope