Hera

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa


Hera
Escultura de Hera no Louvre, uma cópia romana do original helenístico.
Rainha dos deuses
Deusa do casamento, das mulheres e do nascimento
Morada Monte Olimpo
Cônjuge Zeus
Pais Cronos e Reia
Irmãos Posídon, Hades, Deméter, Héstia e Zeus
Filhos Ares, Ênio, Hebe, Ilítia, Hefesto e Éris
Romano equivalente Juno

Na mitologia grega Hera (do grego: Ἥρα, transl. Hēra ou Ἥρη, transl. Hērē) é a deusa do casamento, deusa dos partos e das vacas equivalente a Terra (o planeta), na Mitologia romana, irmã e esposa de Zeus, Deusa dos deuses, e rege a fidelidade conjugal. Retratada como majestosa e solene, muitas vezes coroada com os polos (uma coroa alta cilíndrica usada por várias deusas), Hera pode ostentar na sua mão uma romã, símbolo da fertilidade, sangue e morte, e um substituto para as cápsulas da papoula de ópio.[1] A vaca, e mais tarde, o pavão eram animais relacionados com ela.

Retratada como ciumenta e agressiva contra qualquer relação extra-conjugal, odiava e perseguia as amantes de Zeus e os filhos de tais relacionamentos, tanto que tentou matar Héracles quando este era apenas um bebê. O único filho de Zeus que ela não odiava, antes gostava, era Hermes e sua mãe Maia, porque ficou surpresa com a sua inteligência e beleza.

Possuía sete templos na Grécia. Mostrava apenas seus olhos aos mortais e usava uma pena do seu pássaro para marcar os locais que protegia.

Hera era muito vaidosa e sempre quis ser mais bonita que Afrodite, sua maior inimiga.

História[editar | editar código-fonte]

Hera era, de acordo com alguns relatos, é a filha mais velha de Cronos e Réia, e uma irmã de Zeus. Apolodoro no entanto, chama Hestia a filha mais velha de Cronos; e Lactâncio chama-lhe de filha gemea de Zeus; Segundo os poemas homéricos, ela teria sido criada por Tétis, como Zeus havia usurpado o trono de Cronos; e depois ela se tornou a esposa de Zeus, sem o conhecimento de seus pais. Essa versão é diversamente modificada em outras tradições.

Sendo uma filha de Cronos, ela, assim como seus outros filhos, foi engolido por seu pai, mas depois liberado, e, de acordo com uma tradição Arcadiana, ela foi criada por Temeno, filho de Pelasgo. Os arquivos, por outro lado, relatam que ela havia sido criada por Eubéia, Prosymna e Acraea, as três filhas do rio Asterion; e de acordo com Olen (poeta grego), eram suas enfermeiras. Várias partes da Grécia também reivindicou a honra de ser sua terra natal; entre eles estão Argos e Samos, que foram os principais lugares de sua adoração.

Seu casamento com Zeus também ofereceu amplas possibilidades de invenção poética, e vários lugares na Grécia reivindicou a honra de ter sido palco do casamento, como Eubéia, Samos, Cnossus em Creta, e Monte Thornax, no sul de Argolis(Grécia). Este casamento foi uma parte proeminente na adoração de Hera sob o nome de hieros gamos; nessa ocasião todos os deuses honraram a noiva com presentes, e lhe apresentando uma árvore com maçãs douradas, que foi colocado por Hespérides no jardim de Hera, perto de Hiperbórea.

Os poemas homéricos não sabe nada de tudo isso, e só ouvimos, que após o casamento com Zeus, ela foi tratada pelos deuses do Olimpo com a mesma reverência que o seu marido. O próprio Zeus, de acordo com Homero, ouvia seus conselhos, e comunicado os seus segredos com ela, em vez dos outros deuses. Hera também acha-se no direito em censurar Zeus quando ele consulta os outros sem ela saber; mas ela é, não obstante, muito inferior a ele no poder; ela devia obedecê-lo incondicionalmente, e, como os outros deuses, ela é repreendido por ele. Portanto, Hera não é, como Zeus, a rainha dos deuses e dos homens, mas simplesmente a esposa do deus supremo. A ideia de ela ser a rainha do céu, com a riqueza real e poder, é de data muito posterior.Há apenas um ponto em que os poemas homéricos representam Hera como possuidor de poder semelhante com Zeus; ela é capaz de conferir o poder da profecia. Mas esta ideia não é desenvolvido em tempos posteriores.[2]

Templo de Hera, na Grécia.

Personalidade[editar | editar código-fonte]

Sua personagem, como descrito por Homero, não é de um tipo muito amável, e suas principais características são a inveja, obstinação, e uma disposição a brigas, que às vezes fazia com que o seu próprio marido tremer. Daí surgem conflitos frequentes entre Hera e Zeus; e em uma ocasião Hera, em conjunto com Poseidon e Atena, ela coloca Zeus em cadeia. Zeus, em tais casos, não só ameaça, mas bate nela; e uma vez que ele foi capaz de sair das nuvens, com as mãos acorrentadas, e com duas bigornas suspenso de seus pés. Ela está assustada com suas ameaças, e cede quando ele está com raiva; e quando ela é incapaz de obter os seus fins de qualquer outra forma, ela recorre à astúcia e intrigas. Assim, ela pede emprestado o cinto de Afrodite, que tem o poder de encanto e fascínio, para excitar o amor de Zeus. Com Zeus, ela era a mãe de Ares, Hebe e Hefesto. [3]

Propriamente falando, Hera era é a deusa do casamento e do nascimento das crianças. Vários epítetos e apelidos, como Eileithuia, Gamêlia, Zugia, Teleia, & c., Contêm alusões a este caráter da deusa, e a Ilitia e as Horae são descritas como sua filhas. Seu traje é descrito na Ilíada que ela monta em uma carruagem puxada por dois cavalos, acompanha por Hebe e as Horae. Seus lugares favoritos na Terra eram Argos, Esparta e Micenas.

Devido ao Julgamento de Páris, ela era hostil para os troianos, e na guerra de Tróia, ela lutou do lado dos gregos. Daí sua adoração prevaleceu sobre Hellias. Na Ilíada ela aparece como um inimigo de Heracles, mas é ferido por suas flechas, E na Odisseia ela é descrita como o defensor de Jasão. É impossível enumerar aqui todos os acontecimentos da história mítica em que Hera age uma parte mais ou menos importante; e o leitor deve referir-se às divindades particulares ou heróis, com cuja história ela está conectada.

Hera tinha santuários, e era adorado em muitas partes da Grécia, muitas vezes em comum com Zeus. Sua adoração não pode ser atribuída aos primeiros tempos: assim encontramos Hera, de sobrenome Pelasgis, adorado pelo Iolcos. Mas o principal local de seu culto foi Argos. Segundo a tradição, Hera tinha disputado a posse de Argos com Poseidon, mas o os deuses do rio agiram contra ela. Seu santuário mais célebre foi situado entre Argos e Micenas, no pé do Monte Eubéia. O vestíbulo do templo continha estátuas antigas das Graças, a cama de Hera, e um escudo que Menelau havia tomado em Troia de Euphorbus. A estátua colossal sentado de Hera neste templo, feito de ouro e marfim, foi o trabalho de Policleto. Ela usava uma coroa na cabeça, acompanhada pelas Graças e Horae; em um lado ela segurava uma romã, e na outra um cetro dirigido com um cuco.

Respeitando o significado real de Hera, os próprios antigos oferecem várias interpretações: alguns consideraram-la como a personificação da atmosfera, outros como a rainha dos céus ou a deusa das estrelas, ou como a deusa da lua, e ela é ainda confundida com Ceres, Diana, e Persefone. De acordo com visões modernas, Hera é a grande deusa da natureza, que era adorado em todo lugar desde os primeiros tempos. Os romanos identificaram sua deusa Juno com a Hera grega.

Jupiter e Juno. Annibale Carracci, século XVI.

Ainda possuímos várias representações de Hera. A imagem mais nobre, e que mais tarde foi visto como o ideal da deusa, era a estátua de Policleto. Ela era geralmente representada como uma mulher majestosa em uma idade madura, com uma bela testa, olhos grandes e amplamente abertos, e com uma expressão grave e comandante. Seu cabelo estava adornada com uma coroa ou diadema. Um véu freqüentemente trava para baixo a parte de trás de sua cabeça, para caracterizar a como a noiva de Zeus, e, de fato, o diadema, véu, cetro, e o pavão são seus atributos comuns. Uma série de estátuas e cabeças de Hera ainda existem. [4]

Principais Mitos[editar | editar código-fonte]

  • Seu casamento com Zeus: e sua sedução antes pelo deus sob a forma de um pássaro cuco;
  • O nascimento de Hefesto: que ela teria reproduzida sozinha e lançado do céu, porque ele era aleijado;
  • Sua perseguição aos consortes de Zeus: especialmente Leto, Semele e Alkmene;
  • Sua perseguição aos filhos bastardo de Zeus, como Herácles;
  • A punição de Ixion que foi acorrentado a uma roda de fogo por tentar violar a deusa;
  • A assistência aos Argonautas em sua busca pelo velo de ouro, seu líder Jasão sendo um de seus favoritos;
  • O julgamento de Paris, no qual ela concorreu com Afrodite e Atena, para o prêmio da maçã de ouro;
  • A Guerra de Tróia, em que ela favoreceu os gregos;

Referências

  1. Ruck, Carl A.P., and Danny Staples, The World of Classical Myth, 1994.
  2. http://www.theoi.com/Olympios/Hera.html
  3. http://www.theoi.com/Olympios/Hera.html
  4. Dicionário Grego e Romano: Biografia e Mitologia.