Roman Holiday

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Roman Holiday
Férias em Roma (PT)
A princesa e o plebeu (BR)
Audrey Hepburn in Roman Holiday trailer.jpg
 Estados Unidos
1953 • p&b • 118 min 
Direção William Wyler
Roteiro Ian McLellan Hunter e John Dighton
Elenco Audrey Hepburn
Gregory Peck
Eddie Albert
Género comédia romântica
Idioma inglês / italiano
Página no IMDb (em inglês)

Roman Holiday (br: A princesa e o plebeu / pt: Férias em Roma) é um filme estadunidense de 1953, do gênero comédia romântica, dirigido por William Wyler e com roteiro baseado em história de Dalton Trumbo.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Uma princesa entediada resolve se divertir anonimamente em Roma. Lá, ela acaba se envolvendo com um repórter que, inicialmente, pretende se aproveitar da situação para dar um "furo" mas, posteriormente, se apaixona pela jovem e resolve preservá-la.

Elenco[editar | editar código-fonte]

  • Audrey Hepburn .... Princesa Ann
  • Gregory Peck .... Joe Bradley
  • Eddie Albert .... Irving Radovich
  • Hartley Power .... sr. Hennessy
  • Harcourt Williams .... embaixador
  • Margaret Rawlings .... condessa Vereberg
  • Tullio Carminati .... general Provno
  • Paolo Carlini .... Mario Delani
  • Claudio Ermelli .... Giovanni
  • Alfredo Rizzo .... taxista
  • Laura Solari .... secretária
  • Heinz Hindrich .... dr. Bonnachoven

Principais prêmios e indicações[editar | editar código-fonte]

Applications-multimedia.svg A Wikipédia possui o

Oscar 1954 (EUA)

Globo de Ouro 1954 (EUA)

  • Venceu na categoria de melhor atriz - drama (Audrey Hepburn).

BAFTA 1954 (Reino Unido)

  • Venceu na categoria de melhor atriz britânica (Audrey Hepburn).
  • Indicado nas categorias de melhor filme e melhor ator estrangeiro (Gregory Peck e Eddie Albert).

NYFCC Award 1953 (New York Film Critics Circle Awards, EUA)

  • Venceu na categoria de melhor atriz (Audrey Hepburn).

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

Audrey Hepburn no teste para o papel de Princesa Ann
  • O projeto do filme Roman Holiday era inicialmente do diretor Frank Capra, que pretendia os atores Cary Grant e Elizabeth Taylor nos papéis principais. Cary Grant foi convidado para o papel de Joe Bradley, mas recusou o papel após ler o roteiro. Só então o papel foi oferecido a Gregory Peck.
  • O diretor William Wyler inicialmente queria que a atriz Jean Simmons interpretasse a Princesa Ann; quando ele soube que a atriz não estava disponível, chegou a cancelar temporariamente a produção do filme.
  • Quando a cena em que a princesa se despede de Joe foi rodada, a atriz Audrey Hepburn não conseguia chorar, como exigia o roteiro. Após várias tentativas infrutíferas, William Wyler reclamou, fazendo com que Audrey começasse a chorar, e só então a cena pode finalmente ser rodada com sucesso.
  • Na década de 1970 chegou a ser pensada a realização de uma seqüência para Roman Holiday, que reuniria mais uma vez Audrey Hepburn e Gregory Peck. No filme, Ann já seria uma rainha e Joe Bradley seria um romancista de sucesso, e seus filhos é que se apaixonariam. Porém, tal filme nunca chegou a sair do papel.
  • Quando Gregory Peck foi para a Itália para começar a rodar o filme, ele estava deprimido em razão da recente separação e iminente divórcio de sua primeira esposa, Greta. Entretanto, durante as filmagens, ele conheceu e se apaixonou por uma moça francesa chamada Veronique Passani. Após o divórcio, eles se casaram e permaneceram juntos até o falecimento do ator.
  • Gregory Peck estava tão convencido que Audrey Hepburn seria indicada ao Oscar de melhor atriz que solicitou que o nome dela aparecesse em primeiro lugar nos créditos; e ele tinha razão, Audrey foi a vencedora do prêmio.
  • O 11º episódio da série Gossip Girl leva o nome do filme.
  • Os dois principais atores (Peck e Hepburn), fazem uma pequena aparição no livro "A Marca de Atena" (de Rick Riordan), onde Reia, mãe de Rômulo e Remo, e Tiberino, Deus do rio Tibre, se assemelham muito aos atores da década de 50.

Refilmagem[editar | editar código-fonte]

Foi feito um remake para a televisão em 1987, com Tom Conti e Catherine Oxenberg nos papéis principais.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]