Royal College of Music

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Fachada do Royal College of Music

O Royal College of Music ("Colégio Real de Música", também conhecido pelas suas iniciais em inglês, RCM) é um conservatório musical localizado no distrito de South Kensington, em Londres, Inglaterra, uma das principais instituições do gênero no mundo. Desde sua fundação, em 1882, um grande número de professores e alunos da RCM tiveram papel significante na formação da história e do desenvolvimento da música clássica ocidental nos séculos XX e XXI.[1] [2] [3]

História[editar | editar código-fonte]

O Royal College of Music, visto da Prince Consort Road, Londres.

O edifício do Royal College of Music, projetado pelo arquiteto inglês Arthur Blomfield, localiza-se na Prince Consort Road, no distrito cultural de South Kensington, ao lado do Imperial College e no lado oposto ao Royal Albert Hall, próximo ao Royal College of Art e a poucos minutos de distância do Museu de Ciências de Londres, do Museu de História Natural de Londres e do Museu Vitória e Albert. Uma edifício destinado a servir como residência para 170 estudantes foi construído em 1994, na Goldhawk Road, em Hammersmith, West London.[4]

Desde sua fundação, em 1882, pelo então Príncipe de Gales, o futuro rei Eduardo VII, o colégio esteve ligado com a família real. A rainha Elizabeth II é a sua atual patrona. Por quarenta anos, Elizabeth Bowes-Lyon, mãe de Elizabeth II, foi presidente da instituição; em 1993 o príncipe Charles passou a ocupar o cargo, enquanto a Rainha-Mãe tornou-se President Emerita.

O atual diretor do colégio é o clarinetista e professor Colin Lawson.[5] [6] .

Acadêmico[editar | editar código-fonte]

O colégio leciona todos os aspectos da música clássica ocidental, desde a graduação até o doutorado. Há também um Junior Department, onde 300 crianças de 8 a 18 anos são ensinadas, todos os sábados, sob a supervisão do diretor, Peter Hewitt.[7]

Museu[editar | editar código-fonte]

A instituição também tem um grande museu de instrumentos musicais, aberto ao público. O College's Museum of Instruments, que faz parte do Centre for Performance History, abriga uma coleção de mais de 800 instrumentos e acessórios, desde cerca de 1480 até a atualidade. Entre as pinturas que fazem parte da coleção do museu, estão dois retratos de Jan Ladislav Dussek e George Henschel.

Acervo[editar | editar código-fonte]

Devido em parte à visão de seus fundadores, em particular George Grove, o RCM possui um acervo significante de material para pesquisa, que data do século XV em diante. Entre seus destaques estão os manuscritos originais de obras como o quarteto para cordas Op. 64/1, de Haydn, o concerto para piano nº 24, de Mozart e o concerto para violoncelo de Elgar. O colégio ainda possui coleções extensas com a obra de Herbert Howells e Frank Bridge, além das trilhas sonoras para o cinema de Malcolm Arnold e Stanley Myers. O colégio também possui mais de 300 retratos contemporâneos de diversos compositores, como o de Carl Maria von Weber, feito em 1826 por John Cawse (o último feito durante a vida do compositor), o de Haydn feito por Thomas Hardy, em 1791, e a pintura de Bartolommeo Nazari, mostrando o castrato Farinelli no auge de sua fama.

Cerca de 10.000 negativos e fotografias compõe o arquivo mais substancial de imagens de músicos no Reino Unido. Os mais de 600.000 programas documentam os concertos no país desde 1730 até a atualidade.

Alunos destacados[editar | editar código-fonte]

Diversos estudantes do RCM acabaram se tornando notórios: (em ordem alfabética pelo sobrenome)

Referências