Segunda batalha de Trípoli

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Batalha de Trípoli
Guerra Civil Líbia
Battle of Tripoli.svg
Frentes de luta da batalha por Trípoli.
Data 20 de agosto – 28 de agosto de 2011
Local Trípoli, Líbia
Desfecho Vitória das forças anti-Gaddafi
  • Rebeldes conquistam a capital Trípoli;
  • Diminuição do controle de Gaddafi sobre boa parte do país e colapso do seu governo;
Combatentes
Flag of Libya.svg Conselho Nacional de Transição (CNT)

Catar Qatar[1]


Flag of NATO.svg OTAN
Flag of Libya (1977-2011).svg Forças de Gaddafi
Comandantes
  • Brigada de Trípoli:

Flag of Libya.svg Mahdi al-Harati
Flag of Libya.svg Abu Oweis
Flag of Libya.svg Abdel Hakim Belhadj


  • OTAN:
Flag of NATO.svg Charles Bouchard
Flag of Libya (1977-2011).svg Muammar Gaddafi
Flag of Libya (1977-2011).svg Saif al-Islam Gaddafi
Flag of Libya (1977-2011).svg Saadi al-Gaddafi
Flag of Libya (1977-2011).svg Muhammad al-Gaddafi
Flag of Libya (1977-2011).svg Khamis Gaddafi
Flag of Libya (1977-2011).svg Al-Mu'tasim-Billah al-Gaddafi
Forças
8 000 combatentes[2] 10 000 soldados[3]
Baixas
1 700 mortos[4]
Pelo menos 128 soldados mortos e mais de 600 capturados[5]
Civis: entre 100 e 300 mortos[6]

Segunda Batalha de Tripoli (em árabe: معركة طرابلس ma‘arakat Ṭarābulus) foi uma luta para a tomada da capital da Líbia travada entre tropas rebeldes do Conselho Nacional de Transição (CNT) contra as forças militares leais ao ditador líbio Muammar al-Gaddafi, como parte da guerra civil da Líbia de 2011.[7] Esta batalha começou na noite de 20 de agosto de 2011 e continuou durante todo o dia em 21 de agosto. Ao anoitecer do dia 28, as forças rebeldes declararam que a capital já estava sob seu total controle e que o ditador fugira junto com seus familiares e outros cabeças de seu governo.[8]

A batalha[editar | editar código-fonte]

Em 20 de agosto, a batalha por Trípoli começou, sendo vários bairros tomados de assalto por forças da oposição na noite primeira noite. Tiros foram ouvidos em várias localidades da capital. Durante a madrugada, aviões da OTAN bombardearam a cidade. Os rebeldes afirmaram que controlavam o aeroporto internacional e vários distritos e fizeram muitos prisioneiros. Eles também afirmaram ter capturado um quartel nos arredores da cidade e apreenderam várias armas. Em paralelo, em um discurso televisionado pela rede de TV Al Jazeera, Gaddafi disse que houve alguns distúrbios de fora e eles foram subjugados e, mais tarde o ditador falou no rádio encorajando os líbios a pegar em armas contra os rebeldes. Já os moradores de Trípoli teriam recebido mensagens de texto em seus telefones móveis, instigando-os a participar da luta em defesa do regime. Então, uma apresentadora da televisão estatal teria dito ao vivo enquanto brandia uma arma: "eu vou matar ou morrer".[9]

Na tarde de 21 de agosto, o Conselho Nacional de Transição Líbio anunciou que as forças rebeldes continuavam a avançar na cidade. Os combatentes vinham em particular da frente do Jebel Nefoussa, que haviam recentemente conquistado a cidade de Zaouia, localizado a 40 quilômetros da capital. De acordo com a CNT, as forças da cidade de Misrata desembarcaram em Tripoli por mar.

Um grupo de líbios que vive no Brasil, após afixar a antiga bandeira do país, ficou a esperar na Embaixada da Líbia em Brasília. Um dos integrantes disse à Agência Brasil que eles só sairiam da representação diplomática depois de confirmada a saída do líder líbio, Muamar Gaddafi, do poder do país.[10] [11]

Em 23 de agosto, o jornal britânico The Guardian teria confirmado que forças rebeldes teriam tomado o Quartel-general de Gaddafi (Bab al-Azizia) no centro da capital após horas de luta.[12] Nenhum membro da família do ditador estava no complexo.[13] Gaddafi fez então um pronunciamento por rádio e alegou que a retirada do QG em Bab al Aziziya foi uma decisão 'tática'.[14]

Ao anoitecer do dia 23, um porta-voz do novo regime anunciou a tomada do Distrito de Abu Salim, conhecido reduto pró-Gaddafi, que ainda era uma região da cidade controlada por forças leais ao governo,[15] [16] [17] mas a notícia revelou-se precipitada, pois os combates naquele distrito prosseguiram até a noite do dia 25 de agosto.[18] Enquanto isso, tiros de canhão, metralhadoras e artilharia pesada ainda podiam ser ouvidas pela capital, em especial perto do Aeroporto Internacional de Trípoli enquanto os rebeldes lutavam para capturar uma importante estrada que corta a cidade.[19] O reporter Dan Rivers da CNN reportou que "tiroteios pesados ainda aconteciam perto do complexo de comando de Gaddafi".[20] Segundo agências de noticias internacionais, quase toda a capital Trípoli já estava sob controle rebelde no dia 26 de agosto, mas ainda haviam bolsões de resistência formados por militares pró-governo.[21]

Ao anoitecer do dia 27 de agosto, forças rebeldes afirmaram ter expulsado todas as tropas leais a Gaddafi em Trípoli,[22] apesar de vários jornalistas estrangeiros reportarem que tiroteios ainda podiam ser escutados por todos os cantos da cidade.[23]

Em 28 de agosto, as forças da oposição lançaram sua última ofensiva afim de tomar os últimos focos de resistência das tropas do governo. No dia 29, após horas de luta intensa, os últimos soldados de Gaddafi são expulsos de Salaheddin, na parte sul de Trípoli.[24] Após esta vitória, os rebeldes declararam que a capital já estava sobre seu total controle. Muammar Gaddafi, seus filhos e vários membros de sua família fugiram da cidade pouco antes de sua queda.[25] O ditador e os membros remanescentes do seu governo fugiram para a cidade de Sirte, onde uma intensa luta seria travada e terminaria com a morte de Gaddafi.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Qatar admits sending hundreds of troops to support Libya rebels, em inglês, acessado em 03 de março de 2012
  2. (em inglês) This Is The End, And There Will Be Blood "Rebel commanders have brought over 4,000 fighters into Tripoli so far" - 23 de agosto de 2011
  3. Spencer, Richard. "Libya: last act of bloody vengeance by Khamis Brigade", Telegraph, 28 August 2011. Página visitada em 19 November 2011.
  4. (em inglês) Libyan estimate: At least 30,000 died in the war
  5. (em inglês) Dina Zayed (21 de agosto de 2011). Rebels Kill 31 Gaddafi Fighters in Tripoli - TV. Reuters. Página visitada em 22 de agosto de 2011.
  6. (em inglês) Libyan estimate: At least 30,000 died in the war
  7. (em inglês) Al Qathafi Loyalist Says 70% Still Support Libyan Leader, 25 de agosto de 2011
  8. Rússia espera que transferência de poder na Líbia ponha fim a derramamento de sangue. iOnline. Página visitada em 22 de agosto de 2011.
  9. (em inglês) Libyan Rebels in 'Final Push' for Capital. Al Jazeera. Página visitada em 21 de agosto de 2011.
  10. Grupo contrário a Gaddafi aguarda na Embaixada da Líbia em Brasília saída dele do poder. Jornal do Brasil (22 de agosto de 2011). Página visitada em 22 de agosto de 2011.
  11. Grupos pró e contra Gadhafi entram em confronto na Embaixada da Líbia. G1. Página visitada em 22 de agosto de 2011.
  12. (em inglês) "Rebels Overun Gadhafi Compound". BBC News. Página visitada em 23 de agosto de 2011.
  13. (em inglês) Rebels Overun Gadhafi Compound. BBC News (23 de agosto de 2011). Página visitada em 23 de agosto de 2011..
  14. (em inglês) Gaddafi says withdraws from Tripoli compound. Reuters (23 de agosto de 2011). Página visitada em 24 de agosto de 2011.
  15. "Libya's new rulers contend with pro-Gaddafi district". Acessado em 22 de março de 2012.
  16. Rebels seize pro-Gaddafi Tripoli district-spokesman, em inglês, acessado em 03 de março de 2012
  17. (em inglês) Valdmanis, Richard (25 de agosto de 2011). "Libya Rebels Storm Tripoli's Abu Salim District". Reuters. Acessado em 26 de agosto de 2011.
  18. Libya rebels capture a key Khadafy stronghold, em inglês, acessado em 03 de março de 2012
  19. (em inglês) "Rebels say Gadhafi holed up; broadcast tells Libyans to stay in Tripoli, fight", 25 de agosto de 2011. Página visitada em 26 de agosto de 2011.
  20. (em inglês) "Rebels say Gadhafi holed up; broadcast tells Libyans to stay in Tripoli, fight", 26 August 2011. Página visitada em 26 August 2011.
  21. (em inglês) Rebels Seize Pro-Gaddafi Tripoli District - Spokesman. Reuters (23 de agosto de 2011). Página visitada em 26 de agosto de 2011.
  22. (em inglês) Paul Schemm; Hadeel Al-Shalchi (27 de agosto de 2011). Tripoli Faces Severe Shortages of Food, Fuel. Associated Press (via The Miami Herald). Página visitada em 28 de agosto de 2011.
  23. (em inglês) Staff (27 de agosto de 2011). Libya Live Blog: Saturday, August 27, 2011 22:23. Al Jazeera. Página visitada em 28 de agosto de 2011.
  24. (em inglês) "Rebels Claim Capture of Last Army Base in Tripoli". The News International. Acessado em 29 de agosto de 2011.
  25. Gadhafi Family Members in Algeria, Ambassador Says. CNN}. Página visitada em 29 de agosto de 2011.
Ícone de esboço Este artigo sobre tópicos militares é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.