Systematic Chaos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Systematic Chaos
Álbum de estúdio de Dream Theater
Lançamento 5 de Junho de 2007
Gravação Set/2006 – Fev/2007
Avatar Studios
Nova Iorque, Estados Unidos
Gênero(s) Metal progressivo
Duração 78:41
Idioma(s) inglês
Gravadora(s) Roadrunner Records
Produção John Petrucci
Mike Portnoy
Opiniões da crítica

O parâmetro das opiniões da crítica não é mais utilizado. Por favor, mova todas as avaliações para uma secção própria no artigo. Veja como corrigir opiniões da crítica na caixa de informação.

Cronologia de Dream Theater
Último
Último
Score
(2006)
Greatest Hit (...and 21 Other Pretty Cool Songs)
(2008)
Próximo
Próximo
Singles de Systematic Chaos
  1. "Constant Motion"
    Lançamento: 27 de Abril de 2007
  2. "Forsaken"
    Lançamento: 31 de Março de 2008

Systematic Chaos é o nono álbum de estúdio da banda de metal progressivo Dream Theater, lançado em 5 de Junho de 2007. A versão final do CD foi terminada e a lista de faixas foi divulgada em 21 de fevereiro de 2007. A faixa "Repentance" dá continuidade à saga dos AA de Mike Portnoy, iniciada no álbum Six Degrees of Inner Turbulence com a faixa "The Glass Prison".[1]

Faixas[editar | editar código-fonte]

N.º Título Letra Duração
1. "In the Presence of Enemies Pt. 1"
  • I. "Prelude"
  • II. "Resurrection"  
Petrucci 9:00
2. "Forsaken"   Petrucci 5:35
3. "Constant Motion"   Portnoy 6:55
4. "The Dark Eternal Night"   Petrucci 8:53
5. "Repentance"
  • VIII. "Regret"
  • IX. "Restitution"  
Portnoy 10:43
6. "Prophets of War"   LaBrie 6:00
7. "The Ministry of the Lost Souls"   Petrucci 14:57
8. "In the Presence of Enemies Pt. 2"
  • III. "Heretic"
  • IV. "The Slaughter of the Damned"
  • V. "The Reckoning"
  • VI. "Salvation"  
Petrucci 16:38

In the Presence of Enemies[editar | editar código-fonte]

John Petrucci escreveu quatro das sete músicas do álbum, contando uma história de ficção em cada uma delas. A primeira música a ser gravada é o épico de 25 minutos "In the Presence of Enemies" ("Na Presença de Inimigos"), que foi descrita por John Petrucci como sendo "a epítome de uma criação do Dream Theater". Ele também descreveu a música como "muito progressiva, muito longa", também notando que foi um bom ponto de partida para as outras composições do álbum. A música foi dividida em duas partes, uma vez que foi considerada boa tanto para abrir quanto para fechar o disco. De acordo com Mike Portnoy, a banda sentiu que ela era longa demais para abrir o álbum, mas eles não queriam encerrar o álbum com uma música longa, como haviam feito no último álbum. A música, entretanto, é normalmente tocada inteira nos shows.

Forsaken[editar | editar código-fonte]

John Petrucci disse que "Forsaken" ("Abandonado") é uma história contada através de uma "estrutura musical curta". A música fala de uma pessoa que é visitada à noite por uma vampiresa. Enquanto o homem acredita estar sendo levado a ver "coisas bonitas", na realidade está tendo seu sangue sugado pela vampiresa. Um videoclipe em anime foi produzido pelo estúdio japonês Gonzo e dirigido por Yasufumi Soejima, e foi lançado em 26 de janeiro de 2008. A banda deu permissão a Soejima para livre criação no design do clipe, que foi ambientado num cenário futurista.

Constant Motion[editar | editar código-fonte]

Mike Portnoy escreveu "Constant Motion" ("Movimento Constante") como uma metáfora para o transtorno obsessivo-compulsivo. Ela contém um andamento "pesado, acelerado, apressado", que segundo Mike Portnoy simboliza o movimento constante de suas inúmeras responsabilidades, para com a banda e seus projetos paralelos. Para "Constant Motion", a banda produziu seu primeiro videoclipe em mais de uma década. A faixa foi disponibilizada para download para o jogo de videogame Rock Band.

The Dark Eternal Night[editar | editar código-fonte]

John Petrucci escreveu "The Dark Eternal Night" ("A Eterna Noite Escura") sobre um faraó que viveu há muito tempo e retornou como um monstro para aterrorizar uma cidade. O final da música contém um solo improvisado de continuum que foi feito por Jordan Rudess enquanto a bateria estava sendo gravada. Os demais membros da banda gostaram tanto do solo que ele foi incluído definitivamente na música.

Repentance[editar | editar código-fonte]

Mike Portnoy escreveu "Repentance" ("Penitência") como a quarta parte de sua "Suíte dos AA", uma coleção de músicas de vários álbuns do Dream Theater que falam de sua jornada nos Alcoólicos Anônimos. A música discute os passos oito e nove do tratamento, que lidam com fazer uma lista das pessoas com a qual agiu-se errado e, se possível, fazer algo direto para remediar isso. Mike Portnoy, que em 2007 encontrava-se sóbrio por 7 anos e meio, convidou seus amigos e colegas músicos Mikael Åkerfeldt, Jon Anderson, David Ellefson, Daniel Gildenlöw, Steve Hogarth, Chris Jericho, Neal Morse, Joe Satriani, Corey Taylor, Steve Vai e Steve Wilson para gravarem com suas vozes trechos pedindo desculpas, expressando arrependimento ou culpa, sinceras e de si próprios. Estas gravações foram colocadas ao longo da música. Mike Portnoy dedicou "Repentance" a "Bill W. e todos os seus amigos". Bill W. foi um dos fundadores do grupo dos Alcoólicos Anônimos. Mike Portnoy planeja encerrar a Suíte dos AA no próximo álbum do Dream Theater.

Prophets of War[editar | editar código-fonte]

"Prophets of War" ("Profetas da Guerra") foi escrita por James LaBrie, que baseou-se vagamento no livro The Politics of Truth, de Joseph C. Wilson. A letra fala de possíveis motivos além dos divulgados para a Guerra do Iraque. O título é um trocadilho, onde a palavra "prophets" (profetas) pode ser confundida com "profits" (lucros). Durante a gravação da música, Mike Portnoy sugeriu que fãs poderiam cantar certas partes do refrão. Em resposta à mensagem colocada no site da banda, cerca de 400 fãs apareceram do lado de fora do estúdio para a gravação, mas só havia espaço para 60.

The Ministry of Lost Souls[editar | editar código-fonte]

Com quase 15 minutos de duração, "The Ministry of Lost Souls" ("O Clérigo das Almas Perdidas"), escrita por John Petrucci, fala de uma pessoa que morre enquanto salva uma mulher de se afogar. Entretanto, a mulher salva enche-se de arrependimento e culpa, até que ela consegue se reencontrar com seu salvador.

Lançamento e promoção[editar | editar código-fonte]

Ambas as edições normal e especial de Systematic Chaos foram lançadas em 4 de junho de 2007 no Reino Unido e 5 de junho nos Estados Unidos. Quando do lançamento de seu sétimo álbum junto à gravadora Warner, o Dream Theater mostrou-se desapontado com a falta de apoio que a banda recebeu. "Nossa antiga gravadora se apoiou em nossos fãs para fazer tudo... eles poderiam ter financiado melhor as gravações e ter colocado CDs nas lojas," disse Portnoy.[2] Em 8 de fevereiro de 2007, o Dream Theater assinou contrato com a gravadora Roadrunner para lançar o novo álbum.[3] Systematic Chaos foi praticamente escrito e gravado na ocasião da assinatura do novo contrato.[2] Ironicamente, a Warner comprou a Roadrunner uma semana depois de o Dream Theater ter assinado contrato.[4]

Mike Portnoy passou um mês dirigindo e editando um documentário intitulado Chaos in Motion: The Making of Systematic Chaos, que foi lançado na edição especial do álbum.[5] O disco bônus da edição especial também inclui uma mixagem 5.1 do álbum inteiro. O Dream Theater promoveu o álbum realizando a turnê Chaos in Motion, de 3 de junho de 2007 a 4 de junho de 2008. A turnê mundial contemplou 115 shows em 35 países.[6] Muitos concertos foram gravados para o quarto DVD da banda, intitulado Chaos in Motion 2007/2008. A compilação dos concertos tem previsão de lançamento para 23 de setembro de 2008.[7]

Integrantes[editar | editar código-fonte]

Guitarras[editar | editar código-fonte]

John Petrucci utilizou a afinação padrão na maioria das faixas deste álbum, não fazendo uso de guitarra barítono (apenas a de 7 cordas em algumas faixas):[8]

Faixa Guitarra Afinação Comentário
In the Presence of Enemies Pt. 1 6 cordas E A D G B E
Forsaken 6 cordas D G C F A D 1 tom abaixo
Constant Motion 6 cordas E A D G B E
The Dark Eternal Night 7 cordas B E A D G B E
Repentance 7 cordas B E A D G B E
Prophets of War 6 cordas E A D G B E
The Ministry of Lost Souls 6 cordas E A D G B E
In the Presence of Enemies Pt. 2 6 cordas E A D G B E

Além disso, John Petrucci usou o amplificador Mesa Boogie Mark IV no lugar do Roadking para os sons distorcidos. Para os sons limpos, ele continuou a usar o Mesa Boogie Lonestar.

Notas e referências

  1. Mike Portnoy (21 de fevereiro de 2007). SYSTEMATIC CHAOS track listing!! (em inglês). Fórum oficial de Mike Portnoy. Página visitada em 11 de maio de 2007.
  2. a b Mike Portnoy. 11-6-2007. YouTube video NCu_YqCBfro. Mike Portnoy Italian Interview. Roadrunner Records Italy. Página visitada em 1-7-2007. Evento ocorre aos 4:03.
  3. When Dream Theater & Roadrunner Records Unite!. Roadrunner Records. 8-2-2007. Página visitada em 30-6-2008.
  4. Titus, Christa L. 26-6-2007. Dream Theater causando 'caos' com novo álbum. Featured Artist, Billboard. Página visitada em 2-7-2008.
  5. Mike Portnoy. The Mirror. Evento ocorre aos 7:47.
  6. A Must Have for Dream Theater Fans!. Roadrunner Records. 10-7-2008. Página visitada em 10-7-2008.
  7. Chaos in Motion 2007/2008 Live DVD Sets to Be Released in September. Blabbermouth.net. 10-7-2008. Página visitada em 10-7-2008.
  8. DVD lançado em conjunto com o álbum: Chaos in Progress - The Making of Systematic Chaos