Tarzan e a Mulher Diabo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Tarzan e a Mulher Diabo
Tarzan and the She-Devil
 Estados Unidos
1953 • p&b • 75 min 
Direção Kurt Neumann
Produção Sol Lesser Productions
Elenco Lex Barker
Joyce Mackenzie
Raymond Burr
Monique van Vooren
Gênero Aventura
Idioma Inglês
Distribuição RKO
Página no IMDb (em inglês)

Tarzan e a Mulher Diabo (Tarzan and the She-Devil, no original em inglês) é um filme norte-americano de 1953, do gênero aventura, dirigido por Kurt Neumann e estrelado por Lex Barker e Joyce Mackenzie.

A produção[editar | editar código-fonte]

Tarzan e a Mulher Diabo foi o último filme de Lex Barker no papel do herói. Barker desejava alargar seus horizontes profissionais, apesar sentir-se grato ao personagem, que lhe deu o estrelato.[1] Por essa época, os atores queriam maior liberdade sobre suas carreiras e não se submetiam mais a longos contratos com os estúdios. (Isso, aliado à concorrência da televisão e às leis antitruste, acabaram por dar um fim ao star system, que vigorava em Hollywood desde a década de 1930). Barker, influenciado por essa tendência, disse ao produtor Sol Lesser que, após Tarzan e a Mulher Diabo, poderia até voltar a vestir a tanga do rei das selvas, desde que houvesse um contrato para cada produção. A Lesser, um acordo assim não interessava; então, quando as filmagens terminaram, ele fez saber que o cargo de Tarzan estava vago.[1]

O filme deveria chamar-se Tarzan Meets the Vampire (Tarzan Encontra a Vampira), mas o diretor Neumann julgou o título pouco realista e o renomeou para o atual.[1] A "mulher diaba", no fim das contas, era apenas uma cruel caçadora de marfins.

Barker conheceu sua quinta Jane, Joyce Mackenzie, a nova aposta de Lesser em sua incansável procura pela nova Maureen O'Sullivan.

A aventura foi recebida com frieza pelo público. Um dos motivos mais citados é o fato de que o herói passava grande parte da ação prisioneiro.[1] [2]

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Uma expedição de caçadores de marfim, liderados pela sedutora Lyra, além de Vargo e Fidel, escraviza os membros de uma tribo. Tarzan interfere e é capturado. Jane, que ele julgava morta, também é presa sem ele saber. Abatido, Tarzan não tenta escapar mesmo quando é cruelmente torturado. As coisas só mudam de figura quando o Homem Macaco descobre que Jane está viva. Ele, então, chama seus amigos elefantes.[1]

Recepção crítica[editar | editar código-fonte]

A revista Variety explicou porque o filme não foi bem recebido: "Um Tarzan mais manso que em qualquer outra ocasião é oferecido aqui, o que resulta em tédio durante boa parte de seus setenta e cinco minutos. Os únicos chamativos são o título e a reputação passada da série... Manter o herói manietado por um longo período foi imperícia dos roteiristas".[1]

Os autores de The RKO Story bateram na mesma tecla: "Lex Barker passa muito tempo (...) como um prisioneiro indefeso -- situação que causou grande consternação entre os fãs, que esperavam dele todo tipo de façanhas super-humanas."[1] Ao fim e ao cabo, completam, "apesar do estrondo [dos elefantes] no final, este foi um dos mais tediosos exemplares da saga de Tarzan".[1]

Para Leonard Maltin, estamos diante de uma "bobagem tediosa", em que o destaque é Raymond Burr, "excepcionalmente bem como um bandido".

Elenco[editar | editar código-fonte]

Ator/Atriz Personagem
Lex Barker Tarzan
Joyce Mackenzie Jane
Raymond Burr Vargo
Monique van Vooren Lyra, a Mulher Diabo
Tom Conway Fidel
Michael Grainger Philippe Lavarre
Henry Brandon M'Tara
Robert Bice Maka

Referências

  1. a b c d e f g h ESSOE, Gabe, Tarzan of the Movies, sexta impressão, Secaucus, EUA: The Citadel Press, 1968 (em inglês)
  2. JEWELL, Richard B. e HARBIN, Vernon, The RKO Story, terceira impressão, Londres: Octopus Books, 1984 (em inglês)

Referências bibliográficas[editar | editar código-fonte]

  • CASSAL, A. B., Mundo de Tarzan, in Fanzim, Edição de Natal, Porto Alegre, 1993
  • ESSOE, Gabe, Tarzan of the Movies, sexta impressão, Secaucus, EUA: The Citadel Press, 1968 (em inglês)
  • JEWELL, Richard B. e HARBIN, Vernon, The RKO Story, terceira impressão, Londres: Octopus Books, 1984 (em inglês)
  • SILVA, Diamantino da e LOSSO, Umberto, Tarzan, O Mito da Liberdade, in Mocinhos & Bandidos Especial, São Paulo, 1986

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]