Uriah Smith

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde dezembro de 2011).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Uriah Smith

Uriah Smith (West Wilton, New Hampshire 1832Battle Creek, Michigan, 1903). Editor e autor que dedicou 50 anos de serviço à obra dos Adventistas do Sétimo Dia. Foi impressionado na infância pelo Millerismo de 1843-1844.


Vida[editar | editar código-fonte]

Quando tinha 13 anos, por causa de uma infecção, sua perna esquerda foi amputada acima do joelho, sem anestesia. De 1848 a 1851, freqüentou o Colégio Phillips, em Exeter, então rejeitou um atrativo convite para lecionar no Colégio Mount Vernon, New Hampshire. Na esperança de ganhar dinheiro para pagar a escola, trabalhou brevemente em um comércio que logo faliu. Em 1857, casou-se com Harriet Newall Stevens. Aproximadamente no fim de 1852 ele se tornou um Adventista guardador do Sábado. Sua primeira contribuição para a literatura Adventista foi um poema de 35.000 palavras intitulado “A Exortadora Voz do Tempo e da Profecia” publicado em série no periódico adventista Review and Herald em 1853 quando se uniu a sua irmã Annie, como funcionário no escritório do The Advent Review and Sabbath Herald em Rochester, Nova Iorque. Manteve uma ligação quase ininterrupta com a instituição até o tempo de sua morte.

Em 1855, a Review and Herald mudou-se para Battle Creek, Michigan quando seu nome apareceu pela primeira vez como editor. No primeiro número impresso em Battle Creek, ele escreveu: “Não assumo esta posição por comodidade, conforto ou ganho mundano; pois tenho visto por minha ligação com a Review até agora que nenhum desses se encontram aqui.”

Nos primeiros anos vários problemas financeiros surgiram, mas a Review and Herald cresceu. Por um tempo Smith era editor, revisor de provas, diretor administrativo e contador, ele se deparou com suas forças físicas no limite. Como resultado, em 1869, foi-lhe concedido um ano para recuperação e John N. Andrews foi o editor em sua ausência. No ano seguinte, Tiago White foi eleito editor associado, mas 12 meses mais tarde, Smith era novamente editor. Em 1873, seguindo-se um desacordo com White, Smith foi substituído em sua função de editor. Deixou Battle Creek e trabalhou por conta como escultor, mas em seis meses foi chamado para reassumir seu cargo.

Smith tinha considerável habilidade mecânica. Por sua perna artificial lhe permitir insuficiente liberdade de movimento, patenteou em 1863 um modelo aperfeiçoado com um joelho flexível e juntas. Em 1874, ele patenteou uma carteira escolar com um banco dobrável. Por isso, recebeu U$ 3.000,00 que lhe permitiram construir uma nova casa.

No ano de 1890 pode dedicar mais tempo a escrever. Smith viajou extensivamente, falando freqüentemente em reuniões campais. Em 1894, visitou muitos países europeus e o Oriente Próximo. Alonzo T. Jones tornou-se o editor da Review and Herald em 1897, tendo Smith como associado; mas Smith retornou ao cargo em 1901.

Em acréscimo aos seus deveres editoriais, ele assumiu outras responsabilidades. Foi o primeiro secretário da Associação Geral organizada em 1863 e manteve a posição em cinco diferentes ocasiões. Foi também instrutor de Bíblia no Battle Creek College por muitos anos. Trabalhou como tesoureiro da Associação Geral em 1876-1877.

Doutrina[editar | editar código-fonte]

Smith ensinava a idéia semi-ariana defendida por José Bates, Tiago White e outros, e negava a personalidade do Espírito Santo. Suas posições sobre certos aspectos da lei puseram-no em oposição a Ellet Joseph Waggoner, Alonzo T. Jones e outros em 1888. Às vezes, suas relações com Ellen G. White eram tensas ao ponto de ele questionar a natureza de suas visões e fazer distinção entre seus “testemunhos” e suas “visões.” Após 1888, quando ela endossou a nova ênfase sobre a justificação pel fé, ele até rejeitou aceitar alguns de seus conselhos para ele. Smith opôs-se à nova tendência durante este período, pensando que a santidade da lei de Deus estava sendo ameaçada pelo lugar dado à fé e à graça. Em 1891 reconciliaram.

Smith escreveu o livro Daniel and the Revelation (Daniel e Apocalipse). A obra recebeu endosso de Ellen G. White e teve influência sobre o ensino de profecias na Igreja Adventista do Sétimo Dia. Thoughts, Critical and Practical on the Book of Revelation foi publicado em 1867 e Thoughts, Critical and Practical on the Book of Daniel, em 1873. Estes livros, combinados em um volume, foram vendidos primeiramente por George King,. Este trabalho, agora intitulado The Prophecies of Daniel and Revelation, foi revisado diversas vezes durante a vida de Smith e posteriormente e ainda tem circulação. Entre outras obras, estão The United States in Prophecy (reescrito mais tarde como Marvel of the Nations), Here and Hereafter, e Looking Unto Jesus.

Smith defendia fortemente a separação da Igreja e do Estado, advogava a não-combatência, vigorosamente opunha-se à escravidão, não aprovava um Adventista do Sétimo Dia em cargos políticos e incansavelmente fazia campanhas contra as leis dominicais Deu contribuições significativas ao desenvolvimento de várias doutrinas da denominação Adventista do Sétimo Dia.

Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.