Yuan Shikai

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Yuan Shikai

Yuan Shikai (chinês tradicional: 袁世凯, chinês simplificado: 袁世凯, pinyin: Yuan Shìkǎi, Wade-Giles: Yuan Shih-k'ai) (16 de setembro de 1859 - 6 de junho de 1916) foi um importante general e político chinês durante o final da Dinastia Qing e nos primórdios da República da China pelo seu papel nos acontecimentos que antecederam na abdicação do último imperador da China, o seu regime autocrático, como primeiro Presidente da República da China, e sua curta tentativa de restaurar a monarquia chinesa, quando proclamou-se "Grande Imperador da China".[1]

Nascido na cidade de Zhangying na província de Henan. Destacou-se na Primeira Guerra Sino-Japonesa em que serviu como comandante das forças chinesas estacionadas na Coreia. Em 1902, foi nomeado pela imperatriz Cixi Ministro de Beiyang, área que compreende as províncias de Hebei, Liaoning e Shandong.

Tornou-se Presidente da República da China em 1912, depois de negociar com Sun Yat-sen, e impôs um governo autoritário equipado com amplos poderes de 1912 até 1915, levando a proclamar-se Imperador em 12 de dezembro de 1915, com o nome do reinado de Hongxia ("abundância constitucional").

O novo imperador era pai de três filhos, dos quais apenas o filho mais velho, o príncipe Yuan Keding, possuía a consideração de seu pai, mas por causa de um acidente se tornou inválido. O Imperador não gostava muito dos outros dois, os príncipes Yuan Kewen e Yuan Keliang, os quais considerava como "um falso erudito" e "um bandido", respectivamente.

A Bandeira de Yuan Shikai do "Grande Império Chinês".

Enfrentando uma forte oposição, que não aceitava a restauração da monarquia, foi forçado a deixar o trono em 22 de março de 1916, mas manteve o cargo de Presidente. Morreu de doença renal alguns meses depois.

No mesmo ano em que faleceu, causou um vácuo de poder e deixou a China no caos político e fazendo com que iniciasse o período de poder dos senhores da guerra.


Referências

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Barnouin, Barbara and Yu Changgen. Zhou Enlai: A Political Life. Hong Kong: Chinese University of Hong Kong, 2006. Retrieved at Google books on 12 March 2011.
  • Bonavia, David. China's Warlords. New York: Oxford University Press. 1995. ISBN 0-19-586179-5
  • Chen, Jerome. "Yuan Shih-K'ai; 1859–1916". George Allen & Unwin Ltd: Liverpool, 1961.
  • Spence, Jonathan D. "The New Republic." In "The Search for Modern China". 282. New York, NY: W.W. Norton & Company, 1999

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.