Acidente com o Cessna Citation prefixo PR-AFA em 2014

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Acidente com o Cessna Citation prefixo PR-AFA
Acidente aéreo
Modelo similar à aeronave envolvida na tragédia.
Sumário
Data 13 de agosto de 2014 (3 anos)
Causa Falha humana, condições meteorológicas e desorientação.[1]
Local Brasil Santos, São Paulo, Brasil
Origem Brasil Aeroporto Santos Dumont
Destino Brasil Base Aérea de Santos
Passageiros 5
Tripulantes 2
Mortos 7
Feridos 11 (em solo)
Sobreviventes nenhum
Aeronave
Modelo Cessna Citation Excel
Operador AF Andrade Empreendimentos e Participações Ltda.[2]
Prefixo PR-AFA

O acidente com o Cessna Citation prefixo PR-AFA ocorreu no dia 13 de agosto de 2014, quando uma aeronave Cessna, modelo Citation Excel caiu em Santos, litoral de São Paulo. Estavam a bordo sete pessoas, incluindo Eduardo Campos, candidato à presidência da República na eleição presidencial brasileira de 2014, marcada para 5 de outubro, menos de dois meses depois. Campos era também o líder nacional do PSB e havia sido governador de Pernambuco por duas vezes.

Além do presidenciável, estavam na aeronave mais quatro passageiros e dois tripulantes. Todos morreram no acidente.[3] Estava previsto que a ex-senadora e candidata a vice de Campos Marina Silva, embarcasse também no voo, porém desistiu no dia anterior.[4]

O acidente teve grande repercussão, não só pela gravidade, mas também por mudar o destino das eleições brasileiras em 2014 e o futuro da política no país.[5]

Acidente[editar | editar código-fonte]

Circunstâncias[editar | editar código-fonte]

A aeronave decolou às 9 horas da manhã do Aeroporto Santos Dumont no Rio de Janeiro com destino à Base Aérea de Santos, no litoral paulista.[6]

Havia muita névoa úmida e a visibilidade adiante era de 3 mil metros, no limite para aquele tipo de avião. As nuvens estavam muito baixas, a cerca de quase 300 metros do solo, quase o mínimo estipulado na carta. O vento era de cauda, 12 km/h. Ou seja, na mesma direção do pouso, o que dificulta frear o avião durante o pouso, especialmente numa pista molhada, como era o caso.[7]

Aeronave[editar | editar código-fonte]

O Cessna Citation 560 XLS+ é um jato executivo com capacidade para apenas nove passageiros e dois tripulantes. Este foi o primeiro acidente com vítimas fatais desde que o modelo entrou em serviço em 1996. O avião envolvido no acidente tinha nº de série 560-6066 e prefixo PR-AFA.[8]

A aeronave havia sido fabricada em 2010, sua Inspeção Anual de Manutenção havia sido feita em fevereiro de 2014 e seu Certificado de Aeronavegabilidade estava válido.[2] No dia 16 de junho de 2014, apresentou uma pane no sistema elétrico de ignição, o que impediu a decolagem.[7]

Investigações posteriores ao acidente levantaram uma suspeita de venda fraudulenta do avião pelo grupo AF Andrade, que estava em recuperação judicial, e que não poderia vendê-lo sem autorização. A venda teria sido feita a um empresário pernambucano, intermediada por um amigo e ex-sócio de Campos. Advogados das empresas envolvidas negaram as acusações de fraude. Até a data do acidente, a aeronave ainda não havia sido registrada no nome do novo dono.[9]

Investigações[editar | editar código-fonte]

Faltando pouco tempo para concluir o trajeto e no horário previsto, quando ia efetuar o pouso, o piloto arremeteu. Atribui-se isso à falta de visibilidade da pista, devido ao mau tempo.[7]

Os investigadores acreditam que, após arremeter, o piloto buscou fazer uma volta enquanto esperava melhorar o tempo para então tentar um novo pouso. Nesse momento se deparou com o problema que causou a queda, então buscando fazer um pouso de emergência numa área isolada, no caso, em um quintal próximo a uma piscina. Uma testemunha que mora perto do local do acidente diz ter visto uma "bola de fogo caindo do céu".[10] Um ajudante de armador que estava trabalhando no topo de uma obra que fica a 250 metros do local onde o avião caiu viu quando o avião passou perto dessa região: “Foi passando, inclinado, pegando fogo na asa e passou por detrás do prédio bege, a meia altura, e caiu inclinado”.[11]

A caixa preta do avião foi encontrada no mesmo dia do acidente e logo encaminhada para o Laboratório de Leitura e Análise de Dados de Gravadores de Voo, um dos departamentos do CENIPA, com sede em Brasília.[12] Porém, os técnicos do laboratório concluíram que as duas horas de áudio do gravador de voz, capacidade máxima de gravação do equipamento, não eram do voo acidentado. Não ficou claro aos investigadores as razões pelas quais a gravação era de outro momento.[13] O funcionamento de tal item é obrigatório e sempre deve ser verificado pelo comandante[2], porém, essa regra não vale para voos não remunerados.[14] Nesse modelo de Cessna, as caixas pretas gravam apenas a voz, e não os todos os dados de voo.[15]

No dia 20 de agosto foi divulgado um vídeo em que pode se ver a aeronave caindo em direção ao solo, sem sinais de fogo, fumaça ou danos à aeronave, intrigando os investigadores e apontando a uma possível falha humana.[16]

Causas[editar | editar código-fonte]

No dia 19 de janeiro de 2016 foi divulgado pelo CENIPA o relatório final a respeito das causas da queda da aeronave. Concluiu-se que um conjunto de fatores foram responsáveis pelo acidente, dentre os fatores estão: falha humana, condições inapropriadas para a operação no aeródromo e desorientação visual.[17]

Vítimas[editar | editar código-fonte]

Eduardo Campos, político brasileiro e uma das vítimas do acidente.

Com a queda, todos os sete ocupantes da aeronave morreram. Além de Eduardo Campos, morreram também o fotógrafo Alexandre Severo Gomes e Silva, o assessor de imprensa Carlos Augusto Ramos Leal Filho, o piloto Geraldo Magela Barbosa da Cunha, o piloto Marcos Martins, o cinegrafista Marcelo de Oliveira Lyra e o assessor da campanha de Campos e ex-deputado Pedro Almeida Valadares Neto.[18] Cerca de onze pessoas em solo ficaram feridas e foram levadas a hospitais da região.[19] Dos treze imóveis atingidos, dois foram interditados após análises do IPT.[20]

Velório[editar | editar código-fonte]

A data do velório das vítimas ficou inicialmente incerta, não tendo dia e horário para acontecer, devido à demora do processo de liberação dos restos mortais. Finalmente os corpos foram liberados no sábado pelo IML[21] e houve o velório no dia 17 de agosto. Eduardo Campos foi velado no Recife, juntamente com Carlos Augusto (Percol), Marcelo Lyra e Alexandre Severo. Foram prestadas homenagens e a missa campal em frente ao Palácio das Princesas.[22][23]

Cerca de 160 mil pessoas compareceram ao velório de Eduardo Campos, no Recife. Entre as figuras políticas presentes, estavam a presidente Dilma Rousseff, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o presidenciável Aécio Neves e a ex-senadora e nova candidata do PSB, Marina Silva.[24]

Consequências políticas[editar | editar código-fonte]

O fato fez com que todo o rumo das eleições fosse alterado. O PSB, partido ao qual Eduardo Campos pertencia, substituiu a sua candidatura pela de Marina Silva, que ficou em terceiro lugar na eleição.[25]

Luto oficial[editar | editar código-fonte]

Dilma Rousseff faz pronunciamento pelas mortes das vítimas do Acidente do Cessna Citation 560 XLS+

A presidente Dilma Rousseff decretou luto oficial no Brasil de três dias após o acidente.[26] O governo de Pernambuco decretou luto oficial de sete dias.[27] A prefeitura do Recife decretou luto oficial de oito dias.[28]

Quase todos os governos estaduais decretaram luto oficial, como os governos do Acre,[29] de Alagoas,[30] do Distrito Federal,[31] de Goiás,[32] de Mato Grosso do Sul,[33] do Pará,[34] da Paraíba,[35] do Piauí,[36] do Rio de Janeiro,[37] do Rio Grande do Norte,[38] do Rio Grande do Sul,[39] de Roraima,[40] de São Paulo,[41] de Santa Catarina [42] e de Tocantins.[43]

Várias prefeituras também declaram luto oficial, como em Santos,[44] Blumenau,[45] Teresina,[46] Petrolina [47] e Olinda.[48]

O Congresso Nacional divulgou nota de pesar pela morte de Eduardo Campos e decretou luto oficial de três dias.[49]

O presidente nacional da OAB, Marcus Vinicius Furtado Coêlho, decretou luto oficial da Ordem dos Advogados do Brasil.[50]

Instituições de ensino também decretaram luto oficial, como a Universidade Católica de Pernambuco [51] e a Universidade Federal de Pernambuco.[52]

Reações internacionais[editar | editar código-fonte]

  •  Argentina: O governo da Argentina expressou seu "pesar" pela morte de Eduardo Campos num acidente de avião: "O governo argentino expressa seu profundo pesar pela trágica morte de Eduardo Campos, ex-governador de Pernambuco e candidato socialista à presidência do Brasil e estende suas condolências ao governo do povo irmão que perdeu hoje um comprometido e respeitado referência de sua democracia".[53]
  •  Bolívia: O governo e o Estado Plurinacional da Bolívia expressaram solidariedade pela morte de Eduardo Campos, enviando condolências às autoridades e ao povo brasileiro, especialmente aos familiares, reiterando o espírito de amizade e companheirismo que une o povo da Bolívia e do Brasil.[54]
  •  Colômbia: O governo da Colômbia expressou pela morte de Eduardo Campos as "mais sentidas condolências, além de lamentar esta irreparável perda, fazemos extensivo nosso acompanhamento às famílias dos falecidos e ao Brasil neste doloroso momento".[55]
  • Costa Rica: O governo da Costa Rica expressou suas condolências pela morte de Eduardo Campos, declarados pela chancelaria costarriquenha: "A Costa Rica expressa profundo pesar pelo desaparecimento físico do candidato presidencial Campos e expressa sua solidariedade e sentidas condolências a seus familiares, ao povo e ao governo da presidente Dilma Rousseff. Campos se identificou com os valores democráticos, de justiça, paz e desenvolvimento social do Brasil".[56]
  • Equador: O governo do Equador expressou seu 'profundo pesar' pela morte de Eduardo Campos. O governo 'estende suas mais sinceras condolências e manifesta sua solidariedade com a família do candidato Campos e com o povo brasileiro'.[57]
A Casa Branca divulgou nota lamentando a morte de Eduardo Campos
  •  Estados Unidos: A Casa Branca divulgou nota lamentando a morte de Eduardo Campos: "Estamos profundamente entristecidos em saber do acidente de avião que aparentemente tirou a vida do candidato presidencial brasileiro Eduardo Campos, bem como de seus companheiros de viagem", diz a nota. "Estendemos nossas profundas condolências à família e a outros entes queridos do falecido e ao povo brasileiro. Os pensamentos e orações dos americanos estão com o Brasil neste momento trágico", finaliza.[58]
  •  França: A França, por meio do Embaixador francês, Sr. Denis Pietton, lamentou a morte de Eduardo Campos, solidarizando-se com a família Campos, bem como das demais vítimas do acidente.[59]
  •  Guatemala: "O governo da República da Guatemala lamenta profundamente o trágico acidente aéreo em que faleceu Eduardo Campos".[60]
  •  México: O governo mexicano expressou condolências pela morte de Eduardo Campos. O México "expressa seu profundo pesar ao povo e ao governo do Brasil, e em especial aos familiares das vítimas do lamentável acidente aéreo", assinala um comunicado da Secretaria de Relações Exteriores.[61]
  • Nações Unidas: A Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) expressou pesar pelo falecimento de Eduardo Campos: "Personagem político dos mais importantes da atualidade no Brasil, Eduardo Campos sempre foi um grande parceiro da UNESCO em sua trajetória como homem público, especialmente durante sua gestão como Ministro da Ciência e Tecnologia. Eduardo Campos sempre manifestou à UNESCO sua certeza de que investimentos em educação, ciência e tecnologia são prioritários no sentido de fazer avançar, de forma sustentável, o Estado brasileiro. A forma dedicada com que Eduardo Campos tratava assuntos educacionais, culturais e sociais em sua atuação ficará registrada em nossas memórias. A UNESCO lamenta profundamente esta perda significativa para a vida pública brasileira e manifesta suas condolências a sua esposa Renata, seus filhos, familiares, amigos e ao povo pernambucano".[62]
  •  Portugal: O governo de Portugal lamentou a morte de Eduardo Campos, candidato presidencial, e dos demais membros da sua comitiva e tripulação.[63]
  •  Paraguai: "O governo da República do Paraguai lamenta profundamente a trágica morte de Eduardo Campos e de seus acompanhantes num acidente aéreo em Santos. Nessas tristes circunstâncias expressa-se suas sinceras condolências ao governo e ao povo da República Federativa do Brasil e especialmente a família de Eduardo Campos e das demais vítimas".[64]
  • Uruguai: O Governo do Uruguai lamentou a morte “injusta” de Eduardo Campos e enviou uma mensagem de condolências às suas famílias.[65]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Conjunto de fatores motivou queda do avião de Eduardo Campos, diz FAB». G1. G1. 19 de janeiro de 2016. Consultado em 19 de janeiro de 2016 
  2. a b c «Nota à Imprensa». ANAC. 15 de agosto de 2014. Consultado em 16 de agosto de 2014 
  3. «Avião com Eduardo Campos cai em Santos (SP)». Folha de S.Paulo. Folha da manhã. 13 de agosto de 2014. Consultado em 14 de agosto de 2014 
  4. «Marina desistiu de voo que matou Eduardo Campos um dia antes». Veja. Abril. 13 de agosto de 2014. Consultado em 14 de agosto de 2014 
  5. «Imprensa internacional repercute morte de Eduardo Campos». G1. Globo. 13 de agosto de 2014. Consultado em 14 de agosto de 2014 
  6. «Queda de avião de Eduardo Campos». G1. Globo. 13 de agosto de 2014. Consultado em 14 de agosto de 2014 
  7. a b c «Investigadores da Aeronáutica analisam hipóteses para acidente». Jornal Nacional. Globo. 14 de agosto de 2014. Consultado em 15 de agosto de 2014 
  8. «Crash of a Cessna 560XLS+ Citation Excel in Santos: 7 killed». BAAA across (em inglês). B3A. 13 de agosto de 2014. Consultado em 17 de agosto de 2014 
  9. «PF e Polícia Civil apuram suspeita de fraude em venda de avião de Campos». Folha de S.Paulo. 13 de agosto de 2014. Consultado em 21 de agosto de 2014 
  10. «Brazil mourns death of presidential candidate Campos» (em inglês). BBC. 13 de agosto de 2014. Consultado em 15 de agosto de 2014 
  11. «Câmeras registram momento da queda de avião em Santos». Fantástico. 17 de agosto de 2014. Consultado em 18 de agosto de 2014 
  12. «Caixa-preta do jato que conduzia Campos será periciada em Brasília». G1. Consultado em 15 de agosto de 2014 
  13. «CENIPA faz leitura do gravador de voz da aeronave PR-AFA». FAB. Consultado em 15 de agosto de 2014 
  14. «Especialistas dos EUA vão investigar acidente com jato que matou Campos». BBC. 16 de agosto de 2014. Consultado em 16 de agosto de 2014 
  15. «Fantástico entra em jato igual ao que caiu em Santos e matou Campos». Fantástico. Consultado em 17 de agosto de 2014 
  16. «Vídeo de jato de Campos sugere falha humana, dizem especialistas». G1. Consultado em 21 de agosto de 2014 
  17. «Conjunto de fatores motivou queda do avião de Eduardo Campos, diz FAB». G1. G1. 19 de janeiro de 2016. Consultado em 19 de janeiro de 2016 
  18. «Veja a lista de mortos no acidente de avião que matou Eduardo Campos». G1. 13 de agosto de 2014. Consultado em 14 de agosto de 2014 
  19. «Dos 11 feridos na queda de avião, apenas bebê permanece internado». Zero Hora. 13 de agosto de 2014. Consultado em 14 de agosto de 2014 
  20. «Defesa Civil libera 11 dos 13 imóveis interditados após queda de avião». G1. Consultado em 14 de agosto de 2014 
  21. «Corpos de Eduardo Campos e de demais vítimas de acidente aéreo deixam IML de São Paulo». Veja. 16 de agosto de 2014. Consultado em 16 de agosto de 2014 
  22. «Estrutura para o velório de Eduardo Campos é montada em Recife». ZH. 15 de agosto de 2014. Consultado em 15 de agosto de 2014 
  23. «Velório de Eduardo Campos será no Palácio do Campo das Princesas». Estado de Minas. 14 de agosto de 2014. Consultado em 15 de agosto de 2014 
  24. «Mais de 160 mil pessoas acompanham velório e cortejo de Eduardo Campos em Recife - Jornal O Globo». Jornal O Globo. 17 de agosto de 2014. Consultado em 17 de agosto de 2014 
  25. «Resultado para presidente». Jornal Nacional. Consultado em 18 de outubro de 2014 
  26. «Dilma decreta luto oficial de três dias pela morte de Eduardo Campos». O Globo. 13 de agosto de 2014. Consultado em 14 de agosto de 2014 
  27. «Pernambuco declara luto oficial de sete dias». A Notícia. 13 de agosto de 2014. Consultado em 14 de agosto de 2014 
  28. «Recife declara luto de 8 dias pela morte de Eduardo Campos». Terra. 13 de agosto de 2014. Consultado em 14 de agosto de 2014 
  29. «Governo do Acre decreta luto oficial pela morte de Eduardo Campos». G1. 13 de agosto de 2014. Consultado em 15 de agosto de 2014 
  30. «Governador de AL decreta luto oficial de 5 dias». G1. 13 de agosto de 2014. Consultado em 15 de agosto de 2014 
  31. «Agnelo decreta luto oficial após morte de Campos». G1. 13 de agosto de 2014. Consultado em 15 de agosto de 2014 
  32. «Governador de Goiás lamenta morte de Eduardo Campos e decreta luto oficial de três dias». Diário de Goiás. 13 de agosto de 2014. Consultado em 14 de agosto de 2014 
  33. «André Puccinelli decreta luto oficial de três dias em MS». Correio do Estado. 13 de agosto de 2014. Consultado em 15 de agosto de 2014 
  34. «Governo do Pará decreta luto pela morte de Eduardo Campos». G1. 13 de agosto de 2014. Consultado em 14 de agosto de 2014 
  35. «Governador decreta luto na Paraíba e políticos lamentam morte de Campos». G1. 13 de agosto de 2014. Consultado em 14 de agosto de 2014 
  36. «Governo do Piauí decreta luto oficial de três dias pela morte de Eduardo Campos». 180 graus. 14 de agosto de 2014. Consultado em 15 de agosto de 2014 
  37. «Governador do RJ decreta luto de 3 dias pela morte de Eduardo Campos». G1. 13 de agosto de 2014. Consultado em 14 de agosto de 2014 
  38. «Governadora Rosalba Ciarlini decreta luto oficial de três dias em todo o RN». Notícias RN. 14 de agosto de 2014. Consultado em 15 de agosto de 2014 
  39. «Governo do Estado decreta luto oficial de três dias pela morte de Eduardo Campos». Governo do Estado do Rio Grande do Sul. 13 de agosto de 2014. Consultado em 15 de agosto de 2014 
  40. «Governo de Roraima decreta luto pela morte de Eduardo Campos». Folha Web. 13 de agosto de 2014. Consultado em 15 de agosto de 2014 
  41. «Alckmin decreta luto oficial em São Paulo». Band. 14 de agosto de 2014. Consultado em 15 de agosto de 2014 
  42. «SC decreta luto oficial de três dias por morte de Eduardo Campos». G1. 13 de agosto de 2014. Consultado em 14 de agosto de 2014 
  43. «Tocantins decreta luto oficial de três dias pela morte de Eduardo Campos». Folha do Bico. 14 de agosto de 2014. Consultado em 15 de agosto de 2014 
  44. «Prefeitura de Santos declara luto oficial pela morte de Eduardo Campos». G1. 13 de agosto de 2014. Consultado em 14 de agosto de 2014 
  45. «Prefeitura de Blumenau decreta luto oficial de três dias pela morte de Eduardo Campos». Jornal de Santa Catarina. 13 de agosto de 2014. Consultado em 14 de agosto de 2014 
  46. «Firmino Filho declara luto oficial pela morte de Eduardo Campos». Jornal de Luzilândia. 13 de agosto de 2014. Consultado em 15 de agosto de 2014 
  47. «Petrolina está em luto por cinco dias pela morte de Eduardo Campos». G1. 13 de agosto de 2014. Consultado em 15 de agosto de 2014 
  48. «Olinda em luto pelo falecimento do ex-governador de Pernambuco, Eduardo Campos». Prefeitura Municipal de Olinda. 13 de agosto de 2014. Consultado em 15 de agosto de 2014 
  49. «Decretado três dias de luto por Eduardo Campos no Congresso Nacional». Política Real. 14 de agosto de 2014. Consultado em 15 de agosto de 2014 
  50. «OAB decreta luto oficial por morte de Eduardo Campos». OAB. 13 de agosto de 2014. Consultado em 15 de agosto de 2014 
  51. «UNICAP decreta luto oficial de três dias pela morte de Eduardo Campos». UNICAP. 13 de agosto de 2014. Consultado em 15 de agosto de 2014 
  52. «UFPE decreta luto oficial de três dias pela morte de Eduardo Campos». UFPE. 13 de agosto de 2014. Consultado em 15 de agosto de 2014 
  53. «El Gobierno argentino envía condolencias por la muerte de Eduardo Campos, candidato socialista a la presidencia del Brasil». Ministerio de Relaciones Exteriores y Culto. 13 de agosto de 2014. Consultado em 15 de agosto de 2014 
  54. «Solidaridad con el pueblo de Brasil». Ministerio de Relaciones Exteriores Bolivia. 14 de agosto de 2014. Consultado em 20 de agosto de 2014 
  55. «Colômbia expressa condolências pela morte de Eduardo Campos». Bol. 14 de agosto de 2014. Consultado em 15 de agosto de 2014 
  56. «Costa Rica expressa condolências pela morte de Eduardo Campos». Bol. 13 de agosto de 2014. Consultado em 15 de agosto de 2014 
  57. «Governo do Equador expressa pesar pela morte de Eduardo Campos». MSN. 14 de agosto de 2014. Consultado em 15 de agosto de 2014 
  58. «Casa Branca lamenta morte de Eduardo Campos». G1. 13 de agosto de 2014. Consultado em 15 de agosto de 2014 
  59. «Message de condoléances». La France au Brésil. 13 de agosto de 2014. Consultado em 20 de agosto de 2014 
  60. «Comunicado 472-2014> Por el fallecimiento del candidato presidencial brasileño, Eduardo Campos». Ministerio de Relaciones Exteriores. 13 de agosto de 2014. Consultado em 15 de agosto de 2014 
  61. «México envia condolências pela morte de Eduardo Campos». EM. 13 de agosto de 2014. Consultado em 15 de agosto de 2014 
  62. «Nota de pesar da UNESCO por ocasião do falecimento de Eduardo Campos». ONU. 13 de agosto de 2014. Consultado em 15 de agosto de 2014 
  63. «O Governo Português lamenta a morte do candidato presidencial Eduardo Campos e restantes membros da sua comitiva e tripulação, na sequência da queda do avião em Santos, Brasil». Embaixada de Portugal no Brasil. 20 de agosto de 2014. Consultado em 20 de agosto de 2014 
  64. «Gobierno paraguayo expresa condolencias por el deceso del candidato presidencial brasileño». Ministerio de Relaciones Exteriores. 13 de agosto de 2014. Consultado em 15 de agosto de 2014 
  65. «Uruguai lamentou a morte de Eduardo Campos». La Info. 14 de agosto de 2014. Consultado em 15 de agosto de 2014