Anão gasoso

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Um anão gasoso é um planeta gasoso com um núcleo rochoso que se acumulou em uma grossa camada de hidrogênio, hélio e outros materiais voláteis, tendo como resultado um raio total entre 1,7 e 3,9 raios terrestres. O termo é usado em exoplanetas de três camadas, com regime de classificação baseado na metalicidade e período curto, que também inclui os rochosos, planetas terrestres semelhantes com menos de 1,7 raios terrestres e planetas maiores com 3,9 raios terrestres, nomeadamente gigantes gelados e gigantes gasosos.[1] Não é conhecida a existência de anões gasosos no Sistema Solar, mas eles são comuns em outros sistemas planetários.

Planetas gasosos menores e planetas mais próximos de sua estrela hospedeira perderá massa atmosférica mais rapidamente via de escape hidrodinâmico do que os planetas maiores e planetas mais distantes.[2][3]

O menor planeta extrassolar conhecido que é um provável "planeta gasoso" é Kepler-138d, que tem a mesma massa que a Terra, mas é 60% maior e, portanto, tem uma densidade que indica uma camada de gás de espessura.[4]

Um planeta gasoso de baixa massa ainda pode ter um raio semelhante a de um gigante gasoso se ele tiver a temperatura certa.[5]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Three regimes of extrasolar planets inferred from host star metallicities» (PDF) (em inglês). Consultado em 3 de março de 2016. 
  2. Feng Tian; Toon, Owen B.; Pavlov, Alexander A.; De Sterck, H. (10 de março de 2005). «Transonic hydrodynamic escape of hydrogen from extrasolar planetary atmospheres». The Astrophysical Journal. 621: 1049–1060. Bibcode:2005ApJ...621.1049T. doi:10.1086/427204. Predefinição:Citeseerx 
  3. «Mass-radius relationships for exoplanets» (em inglês). Consultado em 3 de março de 2016. 
  4. «Earth-mass exoplanet is no Earth twin – Gaseous planet challenges assumption that Earth-mass planets should be rocky» (em inglês). Consultado em 3 de março de 2016. 
  5. «Mass-Radius Relationships for Very Low Mass Gaseous Planets» (em inglês). Consultado em 3 de março de 2016.