Ave Sangria

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Ave Sangria
Informação geral
Origem Recife, Pernambuco
País Brasil
Gênero(s) rock psicodélico, baião, rock progressivo
Período em atividade 1969 - atualmente
Integrantes Marco Polo
Ivson Wanderley
Paulo Rafael
Almir de Oliveira
Zé da Flauta
Júnior do Jarro
Gilú Amaral
Juliano Holanda
Ex-integrantes Israel Semente Proibida
Agrício Noya
Ivson Wanderley
Página oficial www.avesangria.com
Integrantes em 2019

Ave Sangria é um conjunto musical brasileiro de rock psicodélico, um dos principais expoentes da cena musical psicodélica pernambucana dos anos 1970, junto com Alceu Valença, Flaviola e O Bando do Sol, Lula Côrtes, Marconi Notaro e Lailson.[1][2]

Inicialmente chamado de Tamarineira Village, o conjunto mudou de nome por sugestão de uma cigana que os integrantes conheceram no interior da Paraíba.[3] Era formado por Marco Polo (vocais), Ivson Wanderley (guitarra solo e violão), Paulo Raphael (guitarra base, sintetizador, violão, vocal), Almir de Oliveira (baixo), Israel Semente (bateria) e Agrício Noya (percussão). Seu trabalho mais conhecido é o álbum Ave Sangria de 1974.

O grupo foi alvo da censura do governo militar.[2] A ilustração da capa do primeiro disco da banda sofreu modificações, sendo definida pelos integrantes como um "papagaio drag queen".[4]

Em 2019, 45 anos após o lançamento do primeiro álbum, voltam ao mercado fonográfico com Vendavais, disco que conta com 3 integrantes da formação original: Almir, Marco Pólo e Paulo Rafael. O disco foi eleito um dos 25 melhores álbuns brasileiros do primeiro semestre de 2019 pela Associação Paulista de Críticos de Arte.[5]

Integrantes[editar | editar código-fonte]

Atuais[editar | editar código-fonte]

Ex-integrantes[editar | editar código-fonte]

  • Israel Semente - bateria, percussão e backing vocal (1969-1982) (falecido em 1990)
  • Agrício Noya - percussão (1969-1979) (falecido em 2015)
  • Ivinho - guitarra (1969-1979, 2014) (falecido em 2015)

Músicos de apoio em turnê[editar | editar código-fonte]

  • Zé da Flauta - flauta transversal
  • Ebel Perrelli - percussão (2009-atualmente)
  • Nando Barreto - baixo e backing vocal (2009-atualmente)
  • Jerimum - percussão (2010-2012)
  • Marco da Lata - baixo e backing vocal (2011)
  • Cris Rás - guitarra (2011)
  • André Sette - teclados (2011)
  • Rodrigo Duplicata - bateria (2011)
  • Breno Lira - guitarra (2009-2011)
  • Cassio Sette - teclado e backing vocal (2009-2011)
  • Wellington Santana - baixo e backing vocal (2009)

Discografia[editar | editar código-fonte]

Álbuns de estúdio[editar | editar código-fonte]

Álbuns ao vivo[editar | editar código-fonte]

  • 1974 - Perfumes e Baratchos

Compactos[editar | editar código-fonte]

  • 1974 - O Pirata - RCA
  • 1975 - Lá Fora - RCA

Singles[editar | editar código-fonte]

  • 2020 - Janeiro

Bootlegs[editar | editar código-fonte]

  • 2009 - Tamarineira Village 1975 - ao vivo em Recife - CD Kopka

Referências

  1. «Ave Sangria». Dicionário Cravo Albin da Música Popular Brasileira. Consultado em 10 de março de 2013 
  2. a b Nunes, Gabriel. «13 "heróis desconhecidos" do rock nacional Ave Sangria - "Geórgia, A Carniceira" (1974)». Rolling Stone Brasil. Grupo Spring de Comunicação. Consultado em 16 de junho de 2017 
  3. «Ave Sangria lançará disco ao vivo com último show histórico de 1974». Revista O Grito!. UOL. 8 de agosto de 2014 
  4. Camila Holanda e Marcos Sampaio (4 de outubro de 2011). «Ave Sangria: um escândalo psicodélico pernambucano». O Povo 
  5. Antunes, Pedro (16 de agosto de 2019). «Os 25 melhores discos de 2019 até agora, segundo a APCA [LISTA]». Rolling Stone Brasil. Grupo Perfil. Consultado em 2 de janeiro de 2021 
Flag of Brazil.svgGuitarra masc.png Este artigo sobre uma banda ou grupo musical do Brasil é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.