Bangui

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Disambig grey.svg Nota: Para a cidade filipina, veja Bangui (Filipinas).
Bangui
  Cidade  
Bangui collage.png
Localização
CAR-Bangui.png
Bangui está localizado em: República Centro-Africana
Bangui
Coordenadas 4° 22' 2" N 18° 34' 39" E
País Flag of the Central African Republic.svg República Centro-Africana
Prefeitura Emile Raymond Gros Nakombo
História
Fundação 1889
Administração
Prefeito Jean-Barkes Gombe-Kette
Características geográficas
Área total 67 km²
População total (2020) 889,231 hab.
Densidade 13,3 hab./km²
Altitude 369 m
Fuso horário UTC

Bangui é a capital e a maior cidade da República Centro-Africana (ou simplesmente Centráfrica). Localiza-se no sudoeste do país. Para fins administrativos internos no país, Bangui forma uma comuna autônoma cercada pela prefeitura de Ombella-M'Poko.

Com uma área de 67 quilômetros quadrados, a comuna de Bangui é a menor divisão administrativa de alto nível do país, mas a mais alta em termos de população. Tinha uma população estimada de 889.231 em 2020. É composta por oito distritos urbanos (arrondissements), 16 grupos (agrupamentos) e 205 bairros (quartiers).

Como capital da República Centro-Africana, Bangui atua como centro administrativo, comercial e comercial. A Assembleia Nacional, edifícios governamentais, bancos, empresas estrangeiras e embaixadas, hospitais, hotéis, principais mercados e a Prisão Central de Ngaragba estão todos localizados na cidade.

Foi fundada em 1889 nas margens do rio Ubangui.

História[editar | editar código-fonte]

A cidade foi fundada em 1889 na então colónia francesa "Alto Ubangui" (Haut-Oubangui). A cidade cresceu ao redor do posto militar francês no rio Ubangui.[1] Em 29 de dezembro de 1903 o Alto Ubangui é fundido com a colónia francesa Alto Chari, formando a colónia do Ubangui-Chari. Bangui passou a servir como centro administrativo da colónia francesa do Ubangui-Chari a partir de 1906.

Em 1º de janeiro de 1958, com a proclamação da independência da República Centro-Africana, foi declarada capital do novo país.

Em 1981, a cidade foi posta em estado de sítio no golpe de Estado que sucedeu a contestação dos resultados das eleições nacionais e a instabilidade política causada pela Operação Caban, liderada pelos franceses.[2]

Em maio de 1996, cerca de 200 soldados da República Centro-Africana se amotinaram na cidade de Bangui, exigindo salários em atraso e a renúncia de Ange-Félix Patassé. Na sequência, os soldados amotinados saquearam e provocaram mortes em tumultos na cidade. Em seguida, as tropas francesas estacionadas no país reprimiram a rebelião e restauraram o poder do presidente Patassé. Um segundo motim militar em Bangui estourou logo depois, levando o presidente Patassé a anunciar um governo de unidade nacional, nomeando como primeiro-ministro o professor e ex-embaixador centraficano na França Jean-Paul Ngoupandé.

Em março de 2003, o general François Bozizé marchou com cerca de 1000 militares em Bangui, enquanto o presidente Ange-Félix Patassé estava em uma conferência regional no Níger. Os combates em Bangui centraram-se na captura do aeroporto internacional e do palácio presidencial, consumando o golpe de Estado de 2003.[3]

Quando Michel Djotodia tomou o poder com um golpe de Estado,[4] as tropas Seleka levaram a cabo as batalhas de março de 2013 em Bangui, com confrontos deixando várias dezenas de mortos entre as tropas de segurança.[5] À medida que o país caía gradualmente na violência civil em 2013, milicianos anti-balaka entraram em Bangui, iniciando a batalhas de 2013 e 2014 em Bangui.[6][7][8]

Em 13 de janeiro de 2021 Bangui foi atacada por cerca de 200 rebeldes numa tentativa fracassada de derrubar o governo.[9]

Geografia[editar | editar código-fonte]

Clima[editar | editar código-fonte]

Dados climatológicos para Bangui (381 m) (1931-1955)
Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Ano
Temperatura máxima recorde (°C) 37,2 38,8 39,5 38,0 38,6 35,8 34,3 34,4 35,9 35,7 36,7 36,2 39,5
Temperatura máxima média (°C) 32,9 33,9 33,5 32,9 31,9 30,9 29,9 29,9 30,6 30,7 31,4 31,8 31,7
Temperatura média (°C) 26,0 27,1 27,4 27,1 26,5 25,3 25,1 25,1 25,4 25,5 25,7 25,7 26,0
Temperatura mínima média (°C) 19,5 20,2 21,3 21,4 21,1 19,7 20,3 20,3 20,2 20,2 20,0 19,3 20,3
Temperatura mínima recorde (°C) 13,0 13,1 16,2 14,4 16,0 16,5 15,0 17,0 17,2 17,3 16,9 13,8 13,0
Precipitação (mm) 20 39 116 142 167 134 174 240 185 190 89 24 1 520
Dias com precipitação 2 5 10 12 14 13 14 17 16 17 11 4 135
Umidade relativa (%) 70 64 71 76 79 81 83 83 83 83 81 75 77
Horas de sol 203 201 191 184 193 158 138 138 143 158 171 220 2 098
Fonte: Deutscher Wetterdienst[10]
Fonte 2: Danish Meteorological Institute (apenas sol)[11]

Economia[editar | editar código-fonte]

Bangui funciona como um centro administrativo, comercial e cultural. Durante a Segunda Guerra Mundial, o país teve um acréscimo na taxa de exportações de matérias como a borracha, algodão, café, urânio e diamantes.

É sede de fábricas de têxteis, fábricas de lapidação de diamantes, produtos alimentícios, cerveja, calçados e sabonetes.

Infraestrutura[editar | editar código-fonte]

A cidade abriga a Universidade de Bangui, inaugurada em 1970.

É servida pelo Aeroporto Internacional Bangui M'Poko.

Cultura e lazer[editar | editar código-fonte]

Após a independência nacional, Bangui se tornou cada vez mais o centro da atividade social e cultural na região.

Seu mais portentoso edifício religioso é a Catedral de Notre-Dame, que também é a sé da Arquidiocese Católica Romana de Bangui.

No futebol, a mais porpular mobalidade esportiva da cidade, há a predominância, nos campeonatos nacionais, das equipas Association Sportive de Tempête Mocaf, Olympic Real de Bangui, Sporting Club de Bangui, TP USCA Bangui

Referências

  1. Bangui Travel Guide (em inglês)]
  2. Doeden, Matt (2009). Central African Republic in Pictures (Visual Geography. Second Series). [S.l.]: Twenty First Century Books (February 2009). p. 30. ISBN 1575059525 
  3. Central African Republic: Mutinies, Civil Wars and a Coup, 1993—2003
  4. «Presidente de República Centroafricana huye del país tras incursión rebelde»  La Tercera, 24-3-2013.
  5. Heitman, Helmoed (2013). The Battle in Bangui: The untold inside story (PDF). South Africa: Parktown Publishers. pp. 25–35. ISBN 978-0-9921902-8-6 
  6. «« RCA : la force africaine prise pour cible à Bangui »» (em francês). RFI. 20 de dezembro de 2013 
  7. «« Centrafrique : les violences ont repris à Bangui »» (em francês). RFI. 20 de dezembro de 2013 
  8. Florence Richard (11 de junho de 2014). «A Bangui, déposez, armes !» (em francês). Libération 
  9. RCA : des assaillants armés capturés par les FACA avec l’aide des populations, de la MINUSCA et des partenaires bilatéraux, 14 de janeiro de 2021
  10. «Klimatafel von Bangui / Zentralafrikanische Rep.» (PDF). Federal Ministry of Transport and Digital Infrastructure. Consultado em 2 de novembro de 2016 
  11. «STATIONSNUMMER 64650» (PDF). Ministry of Energy, Utilities and Climate. Consultado em 2 de novembro de 2016. Arquivado do original em 16 de janeiro de 2013 
Ícone de esboço Este artigo sobre Geografia da República Centro-Africana é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.


O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Bangui