Batuk Freak

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Batuk Freak
Álbum de estúdio de Karol Conká
Lançamento 8 de abril de 2013 (digital gratuito)
6 de agosto de 2013 (digital)
Gravação 2009-2013
Gênero(s) Hip hop
Duração 38:57
Formato(s)
Gravadora(s) Deckdisc
Produção Nave Beats
Cronologia de Karol Conká
Ambulante
(2018)
Singles de Batuk Freak
  1. "Boa Noite"
    Lançamento: 12 de junho de 2011
  2. "Gandaia"
    Lançamento: 20 de dezembro de 2011
  3. "Corre, Corre Erê"
    Lançamento: 16 de agosto de 2012

Batuk Freak é o álbum de estréia da rapper brasileira Karol Conká, lançado digitalmente e gratuitamente em 8 de abril de 2013 no site oficial da revista VICE e em 6 de agosto de 2013 na loja iTunes pela gravadora Deckdisc. Foi produzido por Nave Beats,[1] entre 2009 e 2013.

O primeiro single "Boa Noite", ganhou boa recepção e fez Conka receber uma indicação de "Aposta" no MTV Video Music Brasil 2011. Seguiu com os clipes das canções "Gandaia" e "Corre, Corre Erê", com os três totalizando mais de um milhão e quinhentas mil visualizações no Youtube.

Antecedentes e produção[editar | editar código-fonte]

Após Conka conhecer MC Cadelis e o Cilho em 2002, ambos formaram um quarteto chamado "Agamenon", lançando um mixtape com sete canções no programa Coletivo MTV,[2] e foi contratada por dois anos pelo selo "Upground Beats" com Cadelis, Nairóbi, Mike Fort, São Nunca, Guerra Santa e Nel Sentimentum, promovendo-se com dois mixtapes. Em 2009, com carreira solo, disponibilizou no myspace algumas músicas soltas, como “Me Garanto”, “Marias” e “Boa Festa”,[3] começando a composição do álbum em seguida.[2]

Para a produção do álbum, Conká convidou o produtor Nave, a quem conheceu desde o início da sua carreira, dizendo: "O Nave me conhece muito bem. Inclusive, esse foi um dos motivos de eu ter chamado ele pra produzir o disco. Ele é um dos produtores que melhor consegue se adaptar à personalidade de cada MC".[4] Ambos então começaram uma pesquisa "intuitiva" atrás de amostras de canções antigas de MPB e músicas estrangeiras como Santigold, M.I.A., Erykah Badu e "Thinkin Bout You" do cantor americano Frank Ocean, que inspirou a dupla. Conká descreve suas rimas, na fase de produção, como "rap de fábula", que quer dizer "levar ilusão para as pessoas, para que tudo fique bem – ao menos durante o tempo em que elas ouvem a minha música: a alegria é agora e amanhã”.[5]

Lançamento e promoção[editar | editar código-fonte]

"Batuk Freak" estava previsto para ser lançado no fim de 2011,[2] e foi prometido para 2012 em seguida, com Conká alegando: "estamos trabalhando sem parar nele [álbum], não quero lançar qualquer coisa".[6] O disco foi lançado digitalmente em 8 de abril de 2013 no site oficial da revista VICE e será liberado em versão física pela gravadora Deckdisc.[7][8] Na internet, o álbum foi disponibilizado gratuitamente, cobrando apenas a taxa "Pay with a tweet", ferramenta que trocou com o usuário a obra por uma divulgação do disco nas redes sociais Facebook e Twitter, com Conká dizendo: "Nos tempos de hoje, com a internet, colocar o álbum para download deixa tudo mais acessível, ainda mais sendo de graça. E, com certeza, essa ferramente vai trazer novos ouvintes para o disco".[4] Nas lojas iTunes, foi liberado para compra em 6 de agosto de 2013.[9]

O primeiro single "Boa Noite" foi lançado em 12 de junho de 2011 no iTunes Store[10] e o videoclipe dois dias depois,[11] recebendo boas opiniões e fazendo Conka ser indicada em "Aposta" no MTV Video Music Brasil 2011.[12] O vídeo para a canção "Gandaia" foi disponibilizado no Youtube em 20 de dezembro de 2011[13] e para "Corre, Corre Erê" em 16 de agosto de 2012.[14] O webclipe promocional para "Olhe-se" com Tuty foi lançado em 2 de maio de 2013.[15] Os três primeiros vídeos totalizaram mais de um milhão e quinhentas mil visualizações no Youtube.[16]

Composição[editar | editar código-fonte]

O álbum inicia com a faixa afrobeat "Corre, Corre Erê",[17] e foi idealizada a partir "da imagem de um campinho de futebol com moleques jogando bola", dizendo que todos tem uma criança interior e vontade de correr pelo mundo.[18] "Gueto ao Luxo" é uma música "eletrônica um tanto esquizofrênica" que traz toques de dubstep e 8-bit,[19] com batidas carnavalescas que "quis quebrar o mito das limitações mostrando que é possível transitar em mundos diferentes", com uma letra interpretada como consumista.[17][18][20] O hino de protagonismo feminino "Vô Lá" fala sobre "dever de pegar o que é nosso e o direito de consumir o que queremos [...] temos ambição, mas não temos coragem de ir “lá” tentar uma recompensa" e é iniciado pelo toque de repente.[18][21] O single "Gandaia" foi idealizado como "um hino para momentos de balada com as [...] amigas. A flauta nordestina dá um ar sapeca à canção que conta o que rola numa noite de gandaia", e chamada de "composição fútil".[18][20] "Você Não Vai" é uma faixa lenta de soul e R&B,[19][22] que mostra um lado sarcástico e ao mesmo tempo desafiador de Conká, com letra carregada de flows e melodias mais densas, inspirada no fato da rapper ter sido muito subestimada no início da carreira.[18] "Bate a Poeira" tem batidas de house e hip hop,[23] e é sobre "tolerância de um modo geral, na religião, sexo, raça e padrões de beleza", sendo uma gíria que quer dizer: “joga fora” ou “se liberta”.[18]

"Sandália" com Rincon Sapiencia, é uma canção de multi-gêneros musicais, passando pelo rap-reggae,[22] dub e influências do hip hop,[4] falando sobre a limitação constante que há na sociedade,[18] com um refrão embalado pelo som da capoeira.[19] "Mundo Lôco", que se aproxima do dubstep,[20] é uma fábula criada por Conká, convidativa para dançar e sentir a natureza.[18] "Que Delícia" é uma balada soul e R&B sexy e romântica,[19][22][24] concentrada no teclado elétrico, guitarra delineada[23] e influenciada pelo ragga,[25] que fala sobre carícia, companhia, chamego e "do quanto é gostoso flertar, provocar, maliciar e se entregar pra uma pessoa."[18] "Olhe-se" com Tuty, é uma faixa de "hip hop original",[23] que usa uma metáfora sobre se olhar no espelho, olhar para si mesmo e enxergar o que realmente é.[18] O single "Boa Noite" é um batuque eletro-orgânico,[21] que mostra quem Conka realmente é, de onde ela vem e para onde quer ir, contendo batidas fortes "pra emocionar e ouvir alto".[18] A última canção "Caxambu", regravação de Almir Guineto, é um samba de raiz com influência de atabaques, soul, R&B, funk carioca e break.[19][22]

Recepção da crítica[editar | editar código-fonte]

Críticas profissionais
Avaliações da crítica
Fonte Avaliação
Vai Ser Rimando (positiva)[24]
Na Mira do Groove 3.0 de 5 estrelas.[20]
Folha de S.Paulo (bom)[22]
Gazeta do Povo (positiva)[26]

"Batuk Freak" recebeu uma aclamação positiva da crítica. O site de rap Vai Ser Rimando notou que o álbum tinha um discurso diferente de outros trabalhos de rap brasileiro, fugindo de letras politizadas e priorizando o que gira em torno do mundo de Conka. O editor confirma: "Ela [Conka] nunca foi preto no branco [...] é só você ver suas apresentações, a capa do seu CD e o nome dele pra você entender. Ela é colorida da cabeça aos pés e seu som não poderia fugir disso. E ela conseguiu refletir isso no seu CD!"[24] Tiago Ferreira do Na Mira do Groove descreveu o disco: "um pop que abrange da periferia à classe média alta que gosta de rebolar em baladas cujas entradas ultrapassam os 100 paus", e encerrou chamando-o de "meio termo".[20] A Folha de S.Paulo, com a matéria escrita por Rodrigo Levino, frisou a espera pelo trabalho desde 2010 e afirmou "'Batuk Freak' cumpre a expectativa e dá um passinho para a frente, tirando a cantora da casa das apostas".[22] Luiz Cláudio Oliveira da Gazeta do Povo afirmou que o disco se destaca por sua forte influência com as afrobeat: "Atabaques, cuícas, tamborins, apitos, tambores, samples, vozes, baixos e synths sincopados preenchendo todos os arranjos e criando uma atmosfera interessante e contagiante durante o disco inteiro."[26]

Faixas[editar | editar código-fonte]

Edição padrão
N.º TítuloCompositor(es) Duração
1. "Corre, Corre Erê"  Karol Conká, Nave 2:56
2. "Gueto ao Luxo"  Conká, Nave 3:05
3. "Vô Lá"  Conká, Nave 3:14
4. "Gandaia"  Conká, Nave 2:56
5. "Você Não Vai"  Conká, Nave 3:29
6. "Bate a Poeira"  Conká, Nave 3:33
7. "Sandália" (com Rincon Sapiencia)Conká, Nave, Sapiencia 3:45
8. "Mundo Loco"  Conká, Nave 3:28
9. "Que Delícia"  Conká, Nave 3:53
10. "Olhe-se" (com Tuty)Conká, Nave, Tuty 2:57
11. "Boa Noite"  Conká, Nave 2:46
12. "Caxambu"  Bidubi, Elcio do Pagode, Jorge Neguinho, Zé Lobo 2:54
Duração total:
38:57[27]

Histórico de lançamento[editar | editar código-fonte]

País Data Formato Editora discográfica
 Brasil[7][9] 8 de abril de 2013 Download digital gratuito
6 de agosto de 2013
 Estados Unidos[28] 17 de fevereiro de 2014

Referências

  1. «Lançamento: Karol Conka - "batuk Freak"». VICE Brasil. 8 de abril de 2013. Consultado em 31 de maio de 2013 
  2. a b c Flores, Letícia (29 de agosto de 2011). «MC curitibana aponta no rap nacional com primeiro clipe e gravação do álbum de estreia». Revista TPM. Consultado em 8 de dezembro de 2011 
  3. Faria, Luciana (4 de novembro de 2011). «Conheça Karol Conká». Noiz. Consultado em 8 de dezembro de 2011 
  4. a b c Monteiro, Marcelo (8 de abril de 2013). «Rapper curitibana Karol Conka lança aguardado disco de estreia». Amplificador. O Globo. Consultado em 17 de junho de 2013 
  5. a b Gaspar, Stefanie (12 de dezembro de 2011). «Karol Conká . Fantasia de Menina». Soma. Consultado em 17 de junho de 2013 
  6. «Karol Conka lança clipe de "Corre, Corre Erê"; veja com exclusividade». Folha de S.Paulo. 16 de agosto de 2012. Consultado em 17 de junho de 2013 
  7. a b «Karol Conká lança seu primeiro álbum, "Batuk Freak", baixe». Soma. 8 de abril de 2013. Consultado em 31 de maio de 2013 
  8. «Sucesso no Youtube, Karol Conka lança primeiro álbum dia 8 de abril na internet». Deckdisc. 8 de abril de 2013. Consultado em 15 de junho de 2013 
  9. a b «Batuk Freak de Karol Conka». iTunes Store. 6 de agosto de 2013. Consultado em 17 de agosto de 2013 
  10. «Single Boa Noite - Single by Karol Conka». iTunes. Apple Inc. 12 de junho de 2011. Consultado em 9 de dezembro de 2011 
  11. Inácio, Bruno (15 de junho de 2011). «Karol Conka lança o vídeo do single "Boa noite"». Rapevolusom. Consultado em 18 de junho de 2013 
  12. «A difícil disputa de Aposta do VMB». Gazeta do Povo. Consultado em 10 de dezembro de 2011 
  13. «Karol Conká - "Gandaia"». Rolling Stone. 20 de dezembro de 2011. Consultado em 18 de junho de 2013 
  14. «KAROL CONKA EM "CORRE, CORRE ERÊ" NO THE CREATORS PROJECT SP 2012». VICE. 16 de agosto de 2012. Consultado em 18 de junho de 2013 
  15. Finatto Jr., Paulo (3 de maio de 2013). «Karol Conká para olhar». Noize. Consultado em 7 de julho de 2013 
  16. «Karol Conka lança "Batuk Freak" com show em Sorocaba». Sorocaba. 15 de maio de 2013. Consultado em 27 de setembro de 2013 
  17. a b Tamie, Sylvia. «Disco: "Batuk Freak", Karol Conká». Miojo Indie. Consultado em 10 de julho de 2013 
  18. a b c d e f g h i j k Finatto Jr., Paulo. «Faixa a Faixa Karol Conka». NOIZE. Consultado em 10 de julho de 2013 
  19. a b c d e «Karol Conka: do samba ao luxo em Batuk Freak». BLCKDMNDS. 9 de abril de 2013. Consultado em 5 de setembro de 2013 
  20. a b c d e Ferreira, Tiago (16 de abril de 2013). «Crítica: Karol Conká - Batuk Freak». Na Mira do Groove. Consultado em 2 de agosto de 2013 
  21. a b Juniani. «Karol Conka (2013 – Batuk Freak)». Discoteca Nacional. Consultado em 2 de agosto de 2013 
  22. a b c d e f Levino, Rodrigo (31 de julho de 2013). «Crítica: Com 'Batuk Freak', Karol Conká avança e deixa de ser aposta». Folha de S.Paulo. Consultado em 1 de setembro de 2013 
  23. a b c Rolim, Gabriel (25 de abril de 2013). «Karol Conka - Batuk Freak». Monkey Buzz. Consultado em 5 de setembro de 2013 
  24. a b c «Batuk Freak: o batuque frenético com o selo Karol Conká de qualidade». Vai ser Rimando. 16 de abril de 2013. Consultado em 5 de setembro de 2013 
  25. «Karol Conká: inspirada na potência dos beats». Revista Continente. 13 de maio de 2013. Consultado em 10 de setembro de 2013 
  26. a b Luiz Cláudio Oliveira (17 de abril de 2013). «Rap se escreve Conká e la Nave vá». Gazeta do Povo. Consultado em 16 de setembro de 2013 
  27. «Karool Conka - Batuk Freak». Rdio. 6 de agosto de 2013. Consultado em 1 de setembro de 2013 
  28. a b «Amazon.com: Batuk Freak: Karol Conka:MP3 Downloads» (em inglês). 17 de fevereiro de 2014. Consultado em 25 de maio de 2014