Clima do Paraná

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Mapa climático do Paraná.

O clima do Paraná encontra-se dividido em subtropical e tropical. O clima tropical ocorre na bacia do Paraná e no litoral. A distribuição das precipitações pluviométricas é grande o ano inteiro e as chuvas alcançam 3 000 mm por ano no sopé da serra do Mar. As médias térmicas ao ano estão acima de 20º C. Na parte norte-ocidental do território estadual, na direção setentrional do Trópico de Capricórnio, o clima dominante é o tropical de altitude. Os verões são chovediços e cálidos e os invernos não são chuvosos. O índice pluviométrico anual atinge 1 300 mm e a média térmica é de 20º C por ano.[1]

O clima subtropical possui duas variantes. O subtropical Cfa com verões cálidos, grande distribuição de chuvas, as quais chegam a 1 500 mm anuais, e média térmica de 19º C por ano. É o clima das terras médias e das planícies. O subtropical Cfb, com verões suaves, possui grande distribuição anual de chuvas (1 200 mm) e médias térmicas por volta dos 17º C por ano. Aparece nas regiões de maior elevação: planalto cristalino, porções de maior altitude da serra Geral, como Palmas e Guarapuava.[1]

Durante o inverno, acontecem geadas no estado inteiro. No litoral e no vale do rio Paraná elas não são muito frequentes e não atingem cinco primeiros-de-janeiro anuais. Mas na parte meridional e nas regiões planálticas de maior elevação, são registrados cerca de dez dias de geadas por janeiro. Nesses lugares possivelmente até neva.[1]

Visão geral[editar | editar código-fonte]

A maioria do território paranaense está situada na região de clima subtropical, onde temperaturas suaves são dominantes.[2]

Não obstante o enquadramento das isotermas dentre as menos elevadas do Brasil, diversas vezes as temperaturas absolutas são muito contrastantes. As máximas possivelmente atingem 40 °C por ano (Norte, Oeste, Vale do Ribeira e Litoral) e as mínimas, nos planaltos e nas serras, apresentam, com frequência, temperaturas inferiores a zero grau (Palmas -16.5 °C em 1975).[2]

Na maioria da parte do território do estado do Paraná, as temperaturas oscilam de 12 °C a 13 °C por ano, menos o litoral, em que as temperaturas percorrem em volta entre 8 °C e 9 °C.[2]

O estado paranaense não tem uma estiagem de grande nitidez. As isoietas apresentam média chuvosa de 1 200 mm a 1 900 mm por ano. As mais grandes aparecem no litoral, ao lado das serras, nos planaltos centro-meridionais e do orientais do Paraná.[2]

E por curiosidade, a cidade de Londrina, foi considerada pelo SIMEPAR, a cidade mais chuvosa do Paraná em novembro de 2015, quando choveu um acumulado de mais de 300 milímetros.[3]

Tipos climáticos[editar | editar código-fonte]

Segundo a classificação do clima de Maack, com base no sistema de Köppen, no estado de Paraná o clima dominante é do tipo C (Mesotérmico) e, depois, o clima do tipo A (Tropical Chuvoso), que dividem-se da seguinte forma:[2]

  • Af - Clima Tropical Superúmido: com média do mês mais cálido acima de 22 °C e do mês mais gelado a 18 °C, isento de estiagem e sem geadas. Ocorre no Litoral paranaense inteiro e na enconsta leste da Serra do Mar.[2]
  • Cfb - Clima subtropical úmido (mesotérmico): com média do mês mais cálido abaixo de 22 °C e do mês mais gelado abaixo de 18 °C, isento de estiagem, verão suave e geadas rigorosas com frequência exagerada. Está espalhado pelas terras de maior elevação dos planaltos e das serras (planaltos cristalino, paleozoico e basáltico).[2]
  • Cfa - Clima subtropical úmido (mesotérmico): com média do mês mais cálido acima de 22 °C e do mês mais gelado abaixo de 18 °C, isento de estiagem nítida, verão cálido e menor frequência de geadas. Está espalhado pelo norte, noroeste, oeste e sudoeste do estado inteiro, pelo vale do rio Ribeira, pela encosta leste da Serra do Mar e pelo litoral (embora as gedas sejam isentas nessa região).[4]
Mapa climático do Paraná.
Curitiba é a capital mais fria do Brasil.[5]

Massas de ar[editar | editar código-fonte]

Geada no Jardim Botânico de Curitiba em 24 de julho de 2013, um dia após ocorrer uma nevada na cidade.[6]

A massa de ar polar é originária das águas subantárticas e dirige-se à América do Sul por meio do Chile e da Argentina. Está subdividido em ambos tipos: Polar continental e Polar marítima.[7]

A Polar continental (mais seca) entra nos estados do Sul do Brasil, especialmente entre o outono e o inverno.[7] Faz com que aconteçam geadas e é responsável pelos típicos dias de sol dessa época do ano.[8]

A Polar marítima (mais úmida) chega ao Brasil meridional pelo litoral, exercendo influência em cima da costa, das regiões serranas das áreas planálticas vizinhas. Essa massa faz a temperatura cair rapidamente, tempo ruim, esfriamento chuvoso e muita chuva, como é o exemplo da região de Curitiba.[7]

As massas de ar frio são acentuadas no inverno, causando "ondas de frio", que formam geadas e e fazem cair neve.[7]

A massa de ar tropical continental é originária do Chaco Paraguaio, entrando pelo Paraná no lado sudoeste brasileiro. Vai se alargando especialmente no verão, provocando "tormentas", que, em uma grande quantidade de vezes, acompanham-se de granizo.[9]

A massa de ar tropical marítima vai se formando em cima do oceano Atlântico, movendo o ar em direção ao continente. Ao achar a barreira da Serra do Mar, provoca chuvas orográficas cujos maiores índices chuvosos acontecem no verão.[2]

A massa de ar equatorial continental vai se formando no sertão da América do Sul, em toda a Planície Amazônica. Dirige-se pelo Planalto Central do Brasil, alcançando, no verão, as regiões ocidental e setentrional do Paraná.[2]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Notas

Referências

  1. a b c Arruda 1988, p. 6094.
  2. a b c d e f g h i Wons 1994, p. 72.
  3. «Simepar dá título simbólico de cidade mais chuvosa do Paraná a Londrina» 
  4. Wons 1994, p. 74.
  5. «Sorvetes e picolés fazem sucesso na capital mais fria do Brasil». Consultado em 28 de maio de 2013 
  6. Fernando Castro e Adriana Justi (23 de julho de 2013). «Instituto de meteorologia confirma neve em Curitiba e Região». G1. Consultado em 11 de julho de 2015 
  7. a b c d Wons 1994, p. 70.
  8. Wons 1994, pp. 70-71.
  9. Wons 1994, p. 70.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Arruda, Ana (1988). «Paraná». Enciclopédia Delta Universal. 11. Rio de Janeiro: Delta 
  • Wons, Iaroslaw (1994). Geografia do Paraná 6 ed. Curitiba: Ensino Renovado 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]