Coluna de Focas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Coluna de Focas
Coluna de Focas
Tipo Coluna triunfal
Promotor / construtor Focas
Geografia
País Itália
Cidade Roma
Localidade Região VIII - Fórum Romano
Coordenadas 41° 53' 32.88" N 12° 29' 5.43" E
Coluna de Focas está localizado em: Roma
Coluna de Focas
Coluna de Focas

Colunas de Focas é uma coluna monumental localizada no Fórum Romano. Erigida diante da Rostra e dedicada (ou rededicada) em homenagem ao imperador bizantino Focas em 1 de agosto de 608, foi o último monumento a ser acrescentado ao Fórum. De ordem coríntia e canelada, a Coluna de Focas tem 13,6 metros de altura contando com seu plinto cúbico de mármore branco[1][2][3].

História[editar | editar código-fonte]

Em termos estilísticos, a coluna parece ter sido esculpida no século II para uma estrutura não identificada e depois reciclada. O plinto também foi reciclado e originalmente servia de base para uma estátua de Diocleciano; sua antiga inscrição foi raspada para abrir espaço para um texto novo. A base da coluna foi recuperada em 1813 e na inscrição em latim se lê o seguinte:

Optimo clementiss[imo piissi]moque / principi domino n[ostro] / F[ocae imperat]ori / perpetuo a d[e]o coronato, [t]riumphatori / semper Augusto / Smaragdus ex praepos[ito] sacri palatii / ac patricius et exarchus Italiae / devotus eius clementiae / pro innumerabilibus pietatis eius beneficiis et pro quiete / procurata Ital[iae] ac conservata libertate / hanc sta(tuam maiesta)tis eius / auri splend(ore fulge)ntem huic / sublimi colu(m)na(e ad) perennem / ipsius gloriam imposuit ac dedicavit / die prima mensis Augusti, indict[ione] und[icesima] / p[ost] c[onsulatum] pietatis eius anno quinto
Ao melhor, mais clemente e piedoso príncipe, nosso senhor Focas, imperador perpétuo, coroado por Deus, para sempre augusto triunfador, erigiu Esmaragdo, ex prepósito do palácio sagrado e patrício e exarca da Itália, dedicado a Sua Clemência pelas inúmeras benfeitorias de Sua Piedade e pela paz conquistada para a Itália e pela preservação de sua liberdade, estátua de Sua Majestade, brilhando com o esplendor do ouro aqui nesta altíssima coluna erigida e dedicada para sua eterna glória no primeiro dia do mês de agosto na décima-primeira indicção do quinto ano após o consulado de Sua Piedade.

A ocasião precisa que ensejou a honraria é desconhecida, mas sabe-se que Focas formalmente doou o Panteão ao papa Bonifácio IV, que o rededicou como a igreja de Santa Maria ad Martyres na mesma época. Acima do capitel coríntio, Esmaragdo, o exarca de Ravena, colocou uma "fulgurante" estátua dourada de Focas. Ao invés de uma marca da gratitude papal, como por vezes se declara que a Coluna de Focas seria, a estátua provavelmente indicava e sublinhava a soberania do imperador bizantino sobre Roma, que estava rapidamente se degradando sob a pressão dos lombardos, além de uma marca pessoal de gratidão de Esmaragdo, que havia sido reconvocado por Focas de um longo exílio e estava em débito com imperador por causa de sua posição em Ravena.

Em 610, Focas foi derrubado e assassinado por Heráclio e todas as suas estátuas conhecidas foram derrubadas e destruídas.

O monumento permanece hoje em sua localização original. Sua posição isolada e sem nenhum apoio entre as ruínas fizeram da Coluna de Focas um marco no Fórum Romano desde a Idade Média e quase sempre ela aparece em pinturas, gravuras do Fórum (vedutas). Porém, a elevação do nível da rua por causa da deposição gradual de lama e detritos já havia coberto completamente o plinto na época que Vasi e Piranesi fizeram suas gravuras da coluna (meados do século XVIII). O local só foi escavado até o nível original da época de Augusto no século XIX.

Referências

  1. «Statistiche demografiche ISTAT» (em italiano). Dato istat 
  2. «Popolazione residente al 31 dicembre 2010» (em italiano). Dato istat 
  3. «Istituto Nazionale di Statistica» 🔗 (em italiano). Statistiche I.Stat 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]