Templo da Concórdia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para o famoso templo homônimo em Agrigento, veja Templo da Concórdia (Agrigento).
Templo da Concórdia
Reconstrução do Templo da Concórdia
Ruínas do Templo no Fórum Romano, perto do Tabulário
Local VIII Região - Fórum Romano
Construído em 367/167 a.C.
Tipo de estrutura Templo romano
Templo da Concórdia está localizado em: Roma
Templo da Concórdia

Templo da Concórdia foi um templo romano na cidade de Roma, dedicado à deusa Concórdia e que ficava na extremidade ocidental do Fórum Romano. Ele foi jurado em 367 a.C. por Marco Fúrio Camilo, mas só foi construído de fato em 167 a.C..[1] Ele foi destruído e restaurado muitas vezes ao longo dos séculos e sua restauração final, entre 7 e 10 d.C., na época do imperador Tibério (r. 14–37), foi descrita na "História Natural" de Plínio, o Velho. Por volta de 1450, o templo foi demolido e transformado num forno de cal e para fornecer mármore para outras obras na cidade.

História[editar | editar código-fonte]

A literatura romana atesta que ele foi jurado pela primeira vez por Marco Fúrio Camilo em 367 a.C. para comemorar a Lei Licínia Sêxtia (em latim: Leges Liciniae Sextiae) de Lúcio Sêxtio Laterano e a decorrente reconciliação entre os patrícios e a plebe depois da Secessão Aventina.

Ele era um foco frequente para recuperar a harmonia do Estado Romano, seja durante sua primeira reconstrução em 121 a.C. depois do assassinato de Caio Graco ou através de sua utilização para encontros do Senado Romano, especialmente em épocas de revoltas civis (Cícero discursou sua quarta catilinária ali).

Ele foi novamente restaurado entre 7 e 10 d.C. por Tibério, que já era herdeiro de Augusto, para aproveitar melhor o espaço limitado na área e é provável que tenha sido re-dedicado em 12 d.C. Esta restauração ficou famosa pela suntuosa ornamentação arquitetural em mármore e pelas inúmeras obras de arte gregas que foram abrigadas ali (listadas na "História Natural"), uma espécie de museu da Antiguidade.

Arquitetura[editar | editar código-fonte]

De costas para o Tabulário, aos pés do Monte Capitolino, o edifício teve que acomodar as limitações de espaço no local. A cela do templo, por exemplo, era quase duas vezes mais larga (45 metros) do que comprida (24 metros), assim como o pronau. Na cela, uma fileira de colunas coríntias estava sobre um plinto contínuo que se projetava da parede e dividia a cela em duas partes, cada uma com um nicho. Os capiteis destas colunas estavam decorados com pares de carneiros no lugar das volutas nos cantos. Atualmente, só restou o pódio, parcialmente coberto pela rua que leva ao alto do Campidoglio.

Este templo parece ter sido um modelo para outros templos da deusa Concórdia em outras partes do Império Romano — uma reprodução foi encontrada em Mérida, na Espanha, durante as escavações no fórum da cidade em 2002.[2]

Localização no período republicano[editar | editar código-fonte]

Planimetria do Comício (antes de César)
Em pontilhado, o traçado do Comício arcaico. Em cinza, a silhueta da Cúria Júlia, como indicativo de posição.


Localização atual[editar | editar código-fonte]

Planimetria do Capitólio antigo

Plan capitole.png

Iseu
Altar
"Cem Passos"


Referências

  1. Aicher, P.J. (2004). Rome Alive: A Source-Guide to the Ancient City Volume I (em inglês). [S.l.]: Bolchazy-Carducci. p. 94. ISBN 9780865164734 
  2. «Escavações em Mérida» (em espanhol). Abc.es 

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Templo da Concórdia