Arco de Fábio

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Arco de Fábio
Tipo Arco do triunfo
Construção 121 a.C.
Promotor / construtor Quinto Fábio Máximo Alobrógico
Geografia
País Itália
Cidade Roma
Localidade Região VIII - Forum Romanum
Coordenadas 41° 53' 31" N 12° 29' 11" E
Arco de Fábio está localizado em: Roma
Arco de Fábio
Arco de Fábio

O Arco de Fábio (em latim: Fornix Fabiorum ou Fornix Fabianus ) foi o primeiro arco do triunfo construído na área do Fórum Romano e um dos mais antigos de Roma.

Localização[editar | editar código-fonte]

Dos vestígios deste arco foram identificados logo ao norte do Templo de César e seu vão atravessava a Via Sacra na extremidade oriental do Fórum[1], perto da Régia[2].

História[editar | editar código-fonte]

Desde períodos muito antigos, uma porta, provavelmente nada mais que uma cancela entre dois muros, marcava a entrada da Via Sacra no Fórum. Durante as celebrações das vitórias militares, os soldados passavam por esta porta como um ato de purificação com o objetivo de deixarem para trás a violência que traziam de volta da guerra[3]. Esta porta foi substituída por um pequeno arco (em latim: fornix ) construído pelo cônsul Quinto Fábio Máximo Alobrógico em 121 a.C. para celebrar sua vitória sobre os alóbroges, um povo gaulês[4]. Foi um dos primeiros monumentos do tipo construídos em Roma e o primeiro no Fórum[4]. Os arcos triunfais, uma evolução arquitetural destes primeiros fornices (pequenos arcos) foram construídos depois, principalmente na época imperial[5]. O monumento foi restaurado pelo neto de Alobrógico, Quinto Fábio Máximo, que foi edil curul entre 57 e 56 a.C.[1][4].

Ele foi citado muitas vezes na obra de Cícero, o que nos permitiu inferir sua localização:

Assim, Crasso, dissestes de Mêmio: ele se sentia tão grande que, chegando ao Fórum, se curvou ao passar sob o Arco de Fábio.
 
Cícero, De Oratore II 66[6].
De fato, quando Hortênsio, cônsul-eleito, estava chegando do Campo de Marte acompanhado de uma grande multidão que o conduzia, C. Curião atravessou a multidão. [...] Ele vei, perto do Arco de Fábio, Verres entre a multidão; ele se dirigiu a ela e o congratulou em voz alta
 
Cícero, In Verrem actio prima I, 7-19[7].

Descrição[editar | editar código-fonte]

A arquitetura é incerta e impossível de deduzir pelos fragmentos encontrados no local a partir de 1540, mas hoje desaparecidos e que podem ter sido incorretamente atribuídos ao arco[8]. Uma hipótese o descreve como um arco simples com 3,945 metros de largura composto de blocos de tufo e peperino revestido de placas de travertino, decorado com estátuas e ornamentos em bronze dourado[9]. Os fragmentos de uma inscrição encontrados no local são atribuídos a ele: [Q. FABIUS L. F. MAXS]UMUS [AID. CUR. RESTIT]UIT...ORI[10]. O arco estava decorado com estátuas de membros ilustres da gente Fábia e podem ser adições da época da restauração do arco por volta de 57 a.C.[4].

Localização[editar | editar código-fonte]

Planimetria do Fórum Romano
Planta do Fórum romano republicano.
Planta do Fórum romano imperial.


Referências

  1. a b Platner & Ashby 1929, p. 211.
  2. Coarelli 2007, p. 84.
  3. Duret & Néraudeau 2001, p. 295.
  4. a b c d Richardson 1992, p. 154.1.
  5. Duret & Néraudeau 2001, p. 295-296.
  6. Cícero|De Oratore II 66
  7. Cícero, In Verrem actio prima I, 7-19
  8. Richardson 1992, p. 154.1-2.
  9. Richardson 1992, p. 154.2.
  10. Platner & Ashby 1929, p. 212.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Richardson, Lawrence (1992). A New Topographical Dictionary of Ancient Rome (em inglês). [S.l.]: Johns Hopkins University Press. 488 páginas. ISBN 0801843006 
  • Platner, Samuel Ball; Ashby, Thomas (1929). A topographical dictionary of Ancient Rome (em inglês). [S.l.]: Oxford University Press 
  • Coarelli, Filippo (2007). Rome and environs. an archaeological guide (em inglês). [S.l.]: University of California Press 
  • Duret, Luc; Néraudeau, Jean-Paul (2001). Urbanisme et métamorphose de la Rome antique. Col: Realia (em inglês). [S.l.]: Les Belles Lettres