Corina Freire

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Corina Freire
Nascimento 14 de dezembro de 1897
Silves, Portugal
Nacionalidade português
Morte 1975 (78 anos)
Ocupação Cantora lírica soprano e actriz

Corina Freire (Silves, 14 de dezembro de 1897Lisboa, 1975), foi uma cantora lírica soprano e actriz portuguesa.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nascida Corina Carlos Freire, filha ilegítima de João José Freire, farmacêutico e proprietário e de Bazília Nunes de Sousa, doméstica, cresceu no seio de uma família abastada, onde prevalecia o gosto pelas artes, o que lhe permitiu desenvolver, desde criança, a aprendizagem e o gosto pelo canto e pela música. Foi legitimada pelo casamento de seus pais, ocorrido a 19 de agosto de 1905, em Lisboa.[1]

Deixa o Algarve após um breve casamento e ruma a Lisboa, onde trabalhou como pianista e cantora na Valentim de Carvalho.[1][2]

Estreou no teatro de revista em 1927 com "Rosas de Portugal" de Silva Tavares, sendo a sua última aparição neste género em "O Mar também tem amantes" (1939).

Foi a primeira portuguesa a trabalhar no Olympia de Paris e a cantar para Eduardo VIII, Príncipe de Gales, depois duque de Windsor.[3][2]

Efectuou temporadas em vários países, tendo em Paris integrado o espectáculo "Parade du Monde" ao lado de Maurice Chevalier.

Depois de se retirar dos palcos, por volta de 1940, deu aulas particulares de canto, nomeadamente a um seu jovem parente, António Calvário, futura vedeta da música ligeira portuguesa. [2]

Referências

  1. a b Mariz, Paulo (5 de dezembro de 2019). «Corina Freire (1897-1975)». Consultado em 15 de janeiro de 2021 
  2. a b c Marreiros, Glória (2000). Quem foi Quem? "00 Algarvios do século XX. Lisboa: Edições Colibri. pp. 213–216. ISBN 972-772-192-3 
  3. «Corina Freire» (PDF). Vida Mundial (1889): 35. 27 de maio de 1976