Décimo Doutor

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Décimo Doutor
Décimo Doutor (Doctor Who).jpg
O Doutor
Primeira aparição "The Parting of the Ways"
Última aparição The End of Time (regular)
"The Day of the Doctor" (convidado)
Interpretado por David Tennant
Informações
Período 18 de junho de 2005–1 de janeiro de 2010[1][2]
de
temporadas
2ª temporada (2006)
3ª temporada (2007)
4ª temporada (2008)
Especiais (2008–10)
Aparições 36 histórias (47 episódios)
Companhias Rose Tyler
Martha Jones
Donna Noble
Mickey Smith
Jack Harkness

Astrid Peth[3][4][5]
Sarah Jane Smith[6]
Jackson Lake[7]
Rosita Farisi[8][9]
Christina de Souza[10]
Adelaide Brooke[11][12]
Wilfred Mott[13]

Cronologia
Precedido por Nono Doutor (Christopher Eccleston)
Sucedido por Décimo primeiro Doutor (Matt Smith)

O Décimo Doutor (em inglês Tenth Doctor) é a décima encarnação do protagonista da série britânica de ficção científica Doctor Who. Ele é interpretado por David Tennant, que aparece em três séries, bem como oito especiais. Tal como acontece com encarnações anteriores do Doutor, o personagem também apareceu em outras multimídias de Doctor Who. Tennant é o segundo de três atores escoceses a desempenhar o papel, sendo o primeiro Sylvester McCoy, que interpretou o Sétimo Doutor entre 1987 e 1989, e para um breve renascimento em 1996 e o ator Peter Capaldi a partir de 2013.

Na narrativa da série, o Doutor é um secular Senhor do Tempo alienígena do planeta Gallifrey que viaja no tempo em sua TARDIS, muitas vezes com companheiros. Quando o Doutor está gravemente ferido, ele pode regenerar seu corpo, ao fazê-lo, muda-se sua aparência física e sua personalidade. Tennant retrata a décimo encarnação. OS companheiros desta encarnação incluem a classe trabalhadora assistente de loja Rose Tyler (Billie Piper) (com quem se encontrou pela primeira vez em sua encarnação anterior), a estudante de medicina Martha Jones (Freema Agyeman) e a impetuosa trabalhadora temporária Donna Noble (Catherine Tate), ele eventualmente se juntou a todos eles até o final da série de 2008 no episódio "Journey's End", depois que ele tentou viajar sozinho para a duração dos especiais de 2008 a 2010.

Personalidade[editar | editar código-fonte]

O Décimo Doutor geralmente exibe uma forma alegre, falante, bem humorada, insolente e irreverente, mas nutri profunda raiva, arrependimento e vulnerabilidade abaixo de seu exterior mais eloquente. Em "School Reunion", ele reconhece que ele é menos misericordioso do que ele costumava ser, e aderiu ao seu código "um aviso", sempre dando compaixão, mas punindo seus inimigos se eles persistirem em suas hostilidades. Ele se irrita rápido ao perceber injustiça. Quando a primeira-ministra Harriet Jones destrói a nave Sycorax contra a sua vontade, ele arruína sua carreira política como castigo. Em "The Waters of Mars", ele vai tão longe a ponto de declarar-se acima das leis do tempo, embora haja conseqüências catastróficas, como resultado.

Em seus momentos mais sensatos, porém, o Doutor sente profundo pesar pelas muitas mortes das quais ele tinha visto. (O Momento mesmo o descreve como "o homem que lamenta" em "The Day of the Doctor".) Em "Journey's End", ele tem um flashback daqueles que morreram por ele incluindo Astrid Peth, Jenny, Luke Rattigan, Lynda Moss, ea anfitriã de "Midnight". Ele sempre mostra misericórdia até para seus inimigos mais irremediáveis, oferecendo Davros a chance de escapar da destruição da nave-mãe Dalek e insistindo em dar a um General Sontaran a oportunidade de escapar com vida, embora ele sabe que um Sontaran nunca iria recuar. A declaração do Décimo Doutor que ele "sente muito" pelo o que ele deve fazer torna um bordão ao longo da série. Em "The Doctor's Daughter", ele explica para a sua filha Jenny como "matar... infecta [você] e uma vez que o faz que você nunca vai se livrar dela."

Mais do que qualquer encarnação anterior, o Décimo Doutor serve como um galã romântico. Seu relacionamento com Rose se transforma em um amor mútuo evidente mas não reconhecido, e ele tem várias notoriedades, vários romances com figuras históricas como Madame de Pompadour e Rainha Elizabeth I (o último no qual, na verdade, ele se casa, ainda que um pouco sem intenção). Em "School Reunion", Sarah Jane Smith praticamente confessa que tinha sido apaixonada por ele. Martha Jones foge com o Doutor na 3ª Temporada, em grande parte por causa de uma atração óbvia por ele, mas seus sentimentos permanecem não correspondidos devido à sua preocupação persistente com Rose.

Por outro lado, ele expressamente destaca Donna como uma nova companheira de viagem justamente porque não têm nenhuma química romântica, embora depois ele é forçado a deixar Donna na Terra com sua memória apagada de todas as suas aventuras, mais tarde ele reconhece a queda emocional desta tragédia como sendo mágoa. Quando ele é envenenado em "O Unicórn and the Wasp" e pede Donna para lhe dar um choque de algum tipo, beijar ele se prova ser tão fora do personagem para ela que é suficiente para desencadear o processo de desintoxicação.

A solidão é demônio pessoal mais persistente do Décimo Doutor: Seu relacionamento com suas diversas companheiras é sempre de curta duração e muitas vezes acaba em tragédia. A culpa de sobrevivente de sua encarnação anterior agora assume a forma de isolamento extremo e uma sensação de melancolia por ser o último de sua espécie. Até mesmo a aparente morte de seu arqui-inimigo O Mestre causa-lhe tristeza, e de fato o Mestre decide morrer em vez de salvar sua própria vida se regenerando simplesmente para ferir o Doutor. Em "School Reunion", ele diz que a longa vida dos Senhores do Tempo é uma maldição, porque enquanto seus companheiros humanos algum dia o deixam e, eventualmente morrem, ele continua a viver. Enquanto eles podem passar o resto de suas vidas com ele, ele é incapaz de fazer isso de volta. Em "The End of Time", ele finalmente acaba se regenerando sozinho na TARDIS, apesar de visitar a todos os seus companheiros passados, enquanto ele tenta adiar a inevitável regeneração pelo o maior tempo possível.

O Décimo Doutor tem uma tendência a balbuciar, misturando um absurdo aparente com informações vitais, às vezes agindo de forma irregular para deixar seus inimigos desprevenidos. Em "The Christmas Invasion" e "dente e garra", ele se surpreende com sua própria grosseria não intencional ao fazer comentários depreciativos, e Jack Harkness, depois de se reunir com o Doutor, observa que sua "nova regeneração (é) um bocado insolente". [14] ele tem uma tendência a usar termos tecnológicos para descrever conceitos científicos antes substituindo-los com por uma explicação análoga mais simples, como a sua descrição de física temporal não-linear como "uma grande bola de coisas wibbly wobbly, timey wimey". [15] ele muda de humor muitas vezes, de raiva obsessiva para indiferença, e usa isso como uma forma de psicologia reversa.

Tanto Tennant e como o seu personagem expessam uma especial afeição pelo Quinto Doutor o personagem de Peter Davison e que imitou muito o estilo de Davison. A dupla co-estrelou o especial Children in Need em 2007 , "Time Crash", onde suas respectivas encarnações refletem sobre as semelhanças de suas personalidades e aventuras. O Décimo admite para o Quinto que ele era a encarnação passada favorita do Décimo.

Informações gerais[editar | editar código-fonte]

O produtor executivo Russell T Davies reviveu Doctor Who, após uma ausência de 16 anos com a estreia bem-sucedida de "Rose", em 2005. Após o anúncio de uma segunda temporada a ser encomendada pelo correspondente da BBC, veio à tona a história que Christopher Eccleston, que viveu o Nono Doutor, não voltaria para a segunda série. Em 16 de abril de 2005, a BBC anunciou que David Tennant havia sido escolhido para o papel do Décimo Doutor.[16] Sua primeira aparição na série foi durante 20 segundos após a regeneração do Nono Doutor no final de "The Parting of the Ways". Seu primeiro episódio completo como o Doutor, salvo uma aparição em um "mini-episódio" durante o show Children in Need de 2005, foi no especial de natal "The Christmas Invasion". Em seguida, ele apareceu na série de 2006, o segundo especial de Natal, na série 2007, no terceiro especial de Natal, e na série 2008. Ao invés de uma exibição tradicional, a série de 2009 apresenta uma série de cinco especiais e uma série de curtas de animação, todos estrelando Tennant como o Décimo Doutor, ele também co-estrelou em uma série de dois episódios de The Sarah Jane Adventuresspin-off de Doctor Who – naquele ano. Tennant também aparece em duas séries de animação, The Infinite Quest é contada com a terceira série, e Dreamland é contado entre os especiais entre 2008 e 2010. A "era do Décimo Doutor", neste artigo, refere-se ao período de Doctor Who em que David Tennant realizou o papel do Doutor. É basicamente o mesmo que a era "Russell T Davies" de Doctor Who , mas exclui as histórias de Christopher Eccleston e coloca mais ênfase em eventos dentro do show em oposição àqueles.

Recepção[editar | editar código-fonte]

O Décimo Doutor tem sido muito popular entre os fãs de Doctor Who. Em 2006, os leitores de Doctor Who Magazine votaram em Tennant como "O Melhor Doutor" e recebeu aclamação da crítica sobre o eterno favorito Tom Baker.[17] Ele também ganhou o National Television Awards de Ator Mais Popular em 2006 e 2007, e o prêmio de Desempenho Dramático em 2008 e 2010. O IGN classificou o Décimo Doutor como melhor Doutor em 2011.[18]

Referências

  1. «David Tennant quits as Doctor Who». News. BBC. 29 de outubro de 2008. Consultado em 29 de outubro de 2008 
  2. «David Tennant to leave Doctor Who». Doctor Who. BBC. 29 de outubro de 2008. Consultado em 29 de outubro de 2008 
  3. «Companion Piece». BBC News. 14 de agosto de 2007. Consultado em 1 de junho de 2010 
  4. «Who Should Be So Lucky?». 19 de dezembro de 2007. Consultado em 1 de junho de 2010 
  5. «Confidential at Christmas». Doctor Who Confidential. Temporada 4. Episódio 1  Parâmetro desconhecido |airdata= ignorado (ajuda)
  6. «Doctor Who – Sarah Jane Smith – Character Guide». BBC. Consultado em 1 de junho de 2010 
  7. Olsen, Anton (21 de julho de 2009). «Who's Your Favorite Doctor Who Companion?». Wired 
  8. Executive Producer Mark Cossey, Executive Producers For Doctor Who Russell T Davies, Julie Gardner, Producer Zoë Rushton, Series Producer Gillane Seaborne. «[Untitled]». Doctor Who Confidential. Séries 4. Episódio 14. BBC Three  Parâmetro desconhecido |nettrabalho= ignorado (ajuda); Parâmetro desconhecido |airdata= ignorado (ajuda)
  9. Collins, Robert (16 de dezembro de 2008). «Doctor Who: Velile Tshabalala». London. The Daily Telegraph. Consultado em 1 de junho de 2010 
  10. Cook, Benjamin (9 de janeiro de 2008 (cover date)). «Sands of time». Radio Times (11–17 de abril de 2009): 16–20  Verifique data em: |data= (ajuda)
  11. «TV – Tube Talk – Ten 'Waters of Mars' teasers». Digital Spy. 30 de outubro de 2009. Consultado em 1 de junho de 2010 
  12. «Lindsay Duncan to star in second Doctor Who Special of 2009». BBC. 19 de fevereiro de 2009. Consultado em 1 de junho de 2010 
  13. Davies, Russell T (7 de abril de 2009). «Dr Who's Easter special». BBC News. Consultado em 7 de abril de 2009 
  14. Writer Russell T Davies, Director Graeme Harper, Producer Phil Collinson (16 de junho de 2007). "Utopia". Doctor Who. BBC. BBC One.
  15. Writer Steven Moffat, Director Hettie MacDonald, Producer Phil Collinson (9 de junho de 2007). "Blink". Doctor Who. BBC. BBC One.
  16. «Tennant is tenth Doctor Who» (Nota de imprensa). BBC. 16 de abril de 2005. Consultado em 17 de janeiro de 2007 
  17. «David Tennant named 'best Dr Who'». BBC News. 6 de dezembro de 2006. Consultado em 25 de fevereiro de 2007 
  18. «Doctor Who: Ranking the Doctors». IGN. 22 de abril de 2011. Consultado em 16 de maio de 2011 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Décimo Doutor
Ícone de esboço Este artigo sobre uma personagem de ficção é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.