Dinamite pangaláctica

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

A Dinamite Pangaláctica é uma bebida fictícia citada no livro O Guia do Mochileiro das Galáxias, de Douglas Adams, como "o melhor drinque do Universo", inventada por Zaphod Beeblebrox. O guia informa que beber uma Dinamite Pangaláctica causa um efeito semelhante a ter o crânio esmagado por uma fatia de limão envolvida em uma barra de ouro de bom tamanho.

Receita[editar | editar código-fonte]

O Guia também ensina como fazer sua própria Dinamite Pangaláctica, eis a receita:

  1. Uma garrafa de Aguardente Janx.
  2. Misture com uma parte de água dos mares de Santragino V.
  3. Dissolva três cubos de mega-gim arturiano na mistura (se não for congelado da maneira correta, perde-se o benzeno).
  4. Faça com que quatro litros de metano dos pântanos de Fália borbulhem através da mistura, em memória de todos aqueles mochileiros bem-aventurados que morreram de prazer nos pântanos de Fália.
  5. Equilibre numa colher de prata virada ao contrário uma dose de extrato de Hipermenta Qualactina, com toda a fragrância inebriante das tenebrosas Zonas Qualactinas, sutil, doce e místico.
  6. Acrescente um dente de tigre-do-sol algoliano e veja-o dissolver-se, espalhando os fogos dos sóis algolianos no âmago do drinque.
  7. Uma pitadinha de zânfuor.
  8. Uma azeitona.
  9. Beba... mas com muito cuidado.

O guia também informa quais os planetas em que se servem as melhores Dinamites Pangalácticas, qual o preço da dose e quais as organizações de voluntários existem para ajudar o consumidor do drinque a se recuperar posteriormente.

Ver também[editar | editar código-fonte]