Discord

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Discord
Logo do Discord
Logo do Discord
Desenvolvedor Discord Inc.
Plataforma Android, Windows, Linux, MacOS, iOS, iPadOS, Xbox One, Xbox Series S
Lançamento 13 de maio de 2015 (7 anos)
Versão estável 112-12 (Android e iOS) (4 de fevereiro de 2022; há 5 meses)
Versão em teste 88.12 (20 de agosto de 2021; há 11 meses)
Idioma(s) Inglês, Francês, Português do Brasil, Espanhol, Alemão, Coreano, Chinês, Holandês, Japonês, Sueco, Polonês, Russo, Italiano, Vietnamita, Ucraniano, Turco, Sueco, Búlgaro, Grego, Tcheco, Norueguês e Dinamarquês.
Escrito em JavaScript, React, Elixir e Apache Cassandra.
Sistema operacional Microsoft Windows, macOS, Android, iOS, Linux, Navegador Web
Gênero(s) VoIP, mensageiro instantâneo e mídia social
Licença Proprietária
Estado do desenvolvimento Ativo
Tamanho Cerca de 145 MB
Página oficial discord.com

Discord é um aplicativo de voz sobre IP proprietário e gratuito, projetado inicialmente para comunidades de jogos. O aplicativo Discord está disponível para os sistemas operacionais Microsoft Windows, MacOS, Android, iOS, Linux e em navegadores da Web.[1] Em dezembro de 2016, os desenvolvedores anunciaram que Discord tinha mais de 25 milhões de usuários.[2]

História[editar | editar código-fonte]

A desenvolvedora de jogos Hammer & Chisel, agora chamada de Discord Inc, criou o Discord inicialmente para o jogo MOBA Fates Forever.[3]

O serviço foi popularizado por eSports e jogadores de torneios LAN, incluindo usuários populares no serviço de streaming Twitch e comunidades de jogos como o de Star Citizen. A empresa, que tem o mesmo nome do serviço, foi fundada pelo fundador da OpenFeint, Jason Citron, que pretende manter a empresa independente.[4]

A empresa arrecadou US $ 20 milhões adicionais em financiamento para o software em janeiro de 2016.[5]

A partir de junho de 2020, Discord anunciou que estava mudando o foco dos videogames especificamente para um cliente de comunicação e bate-papo mais abrangente para todas as funções, revelando seu novo slogan "Your place to talk", juntamente com um site revisado. Entre outras mudanças planejadas, estaria a redução do número de piadas internas de jogos que ele usa no cliente, melhorando a experiência de integração do usuário e aumentando a capacidade e a confiabilidade do servidor. A empresa anunciou que recebeu US$ 100 milhões adicionais em investimentos para ajudar nessas mudanças.[6]

Software[editar | editar código-fonte]

O Discord pode ser utilizado no Windows, MacOS, Android, iOS, Linux, Xbox One, Xbox Series ou em um navegador web, que suportam recursos fundamentais de texto baseados em bate-papo. O aplicativo Discord para computadores pessoais foi projetado para uso durante jogos, incluindo recursos como baixa latência, servidores de bate-papo de voz gratuitos para usuários e uma infraestrutura de servidor dedicada. Na versão atual já há suporte a chamadas de vídeo e compartilhamento de tela. As chamadas diretas foram adicionadas em uma atualização em 28 de julho de 2016, com suporte para chamadas entre dois ou mais usuários. A companhia introduziu seu GameBridge API em dezembro de 2016 que permite que os desenvolvedores de jogos para apoiar diretamente a integração com Discord dentro de jogos. Nos consoles Xbox, o aplicativo que disponibiliza o acesso é o Quarrel.

Embora o software em si seja gratuito, os desenvolvedores investigaram maneiras de monetizá-lo, incluindo possíveis opções de personalização pagas, como emojis ou adesivos. Em janeiro de 2017 os primeiros recursos pagos foram lançados com o 'Discord Nitro'. Por uma taxa de assinatura mensal, os usuários podem obter um avatar animado, usar emojis personalizados e/ou animados em todos os servidores, aumentar o tamanho máximo do arquivo de upload de 8 megabytes para 50 megabytes (Nitro Classic) ou para 100 megabytes (Nitro), poder impulsionar servidores (Nitro), conseguir fazer transmissões em 1080p a 60 quadros por segundo (Nitro Classic) e em qualidade fonte a 60 quadros por segundo (Nitro), uma insígnia de perfil exclusiva, e mudar sua "tag".[7]

Servidores[editar | editar código-fonte]

As comunidades do Discord são organizadas em coleções discretas de canais chamados servidores. Embora sejam chamados de servidores no front-end, eles são chamados de "guildas" na documentação do desenvolvedor.[8] Os usuários podem criar servidores gratuitamente, gerenciar sua visibilidade pública e criar canais de voz, canais de texto e categorias para classificar os canais. Qualquer servidor pode ter até 800.000 membros, como descoberto quando o servidor oficial do Discord para o videogame Genshin Impact atingiu a capacidade máxima[9], embora o Discord tenha aumentado a capacidade para mais de um milhão de membros para o Snowsgiving 2021, um servidor oficial controlado pelo Discord feito para a temporada de férias de inverno de 2021.[10]

A partir de outubro de 2017, o Discord permitiu que desenvolvedores e editores de jogos verifiquem seus servidores. Servidores verificados, como contas verificadas em sites de mídia social, possuem selos para marcá-los como comunidades oficiais. Um servidor verificado é moderado pela própria equipe de moderação de seus desenvolvedores ou editores. A verificação foi posteriormente estendida em fevereiro de 2018 para incluir equipes de eSports e artistas musicais.[11]

Os membros podem ajudar os servidores a obter vantagens em três níveis por meio do recurso "Server Boost", que desbloqueia canais de voz de maior qualidade, mais espaços de emojis personalizados e outras vantagens. Os usuários podem comprar impulsos para servidores por R$ 26,99 por mês. Os assinantes do "Discord Nitro" recebem dois impulsos inclusos no preço do Nitro e 30% de desconto para impulsos adicionais.

Em 2020, o Discord revelou um novo recurso, conhecido como "servidores da comunidade". Inclui recursos como uma tela de boas-vindas personalizada, insights do servidor e a capacidade de anunciar na página Server Discovery do Discord.

Mensagens diretas[editar | editar código-fonte]

O Discord permite que os usuários enviem mensagens de texto, compartilhem arquivos, transmitam sua tela ao vivo e liguem para outras pessoas em particular fora dos servidores. Um recurso adicional nas mensagens diretas do Discord é a capacidade de criar grupos de mensagens de até 10 usuários. Funciona de forma semelhante ao canal de texto de um servidor, com a capacidade de iniciar uma chamada simultaneamente para todos os membros de um grupo.

Perfis de usuário[editar | editar código-fonte]

Os usuários se registram no Discord com um endereço de e-mail e devem criar um nome de usuário. Para permitir que vários usuários usem o mesmo nome de usuário, eles recebem um número de quatro dígitos chamado "discriminador" (coloquialmente uma "tag Discord"), prefixado com '#', que é adicionado ao final do nome de usuário.[12]

O Discord permite que os usuários conectem várias plataformas externas à sua conta, incluindo Steam, Reddit, Twitch, Twitter, Spotify, Xbox, PlayStation e muito mais. Essas contas podem ser exibidas opcionalmente no perfil do usuário.

Os usuários podem atribuir a si mesmos uma foto de perfil. Os assinantes do Discord Nitro, parte do plano de monetização do Discord, podem usar fotos de perfil animadas.

Em junho de 2021, o Discord adicionou um recurso que permite que todos os usuários adicionem uma seção "sobre mim" ao perfil, além de um banner colorido personalizado na parte superior do perfil. Os assinantes do Discord Nitro têm a capacidade adicional de fazer upload de uma imagem estática ou animada como seu banner em vez de uma cor sólida.[13]

Recepção[editar | editar código-fonte]

Em janeiro de 2016, a Hammer & Chisel alegou que Discord tinha sido usado por 3 milhões de pessoas, com crescimento de 1 milhão por mês, alcançando 11 milhões de usuários em julho de 2016. Em dezembro de 2016, a empresa informou que tinha 25 milhões de usuários em todo o mundo.[carece de fontes?]

Controvérsias[editar | editar código-fonte]

O Discord tem tido problemas com comportamento hostil e abuso em bate-papos, com alguns servidores sendo "invadidos" (tomados por um grande número de usuários) por outras comunidades. Isso inclui inundações com tópicos relacionados a raça, religião, política e pornografia.[14] A companhia afirmou que tem planos para implementar mudanças que "livrariam a plataforma da questão".[15]

Para proteger melhor seus usuários e seus serviços desde esses eventos, o Discord implementou uma equipe de confiança e segurança que está disponível 24 horas por dia para monitorar os servidores e responder às denúncias. O grupo lida com assédio de usuários e servidores que violam os termos de serviço do Discord, além de proteger comunidades contra invasões e spam de usuários ou bots mal-intencionados. Embora eles não monitorem diretamente as mensagens, a equipe de confiança e segurança pode determinar a atividade mal-intencionada dos padrões de uso do serviço e tomar as medidas apropriadas, incluindo uma investigação mais detalhada, para lidar com o assunto. O serviço planeja expandir essa equipe à medida que continuam ganhando novos usuários.[16][17]

O Discord também tem tido problemas com exploração sexual de crianças e adolescentes na sua plataforma.[18]

Questões legais[editar | editar código-fonte]

Brasil[editar | editar código-fonte]

Racismo

Em 2022, um estudante de informática de 18 anos foi processado por racismo. Ele teria usado o Discord para fazer ameaças e ofensas racistas contra três estudantes negros do Instituto Federal de Mato Grosso do Sul (IFMS). O jovem prometeu que iria fazer um massacre na IFMS e os três colegas seriam mortos por serem negros.[19]

Crueldade aos animais

Em fevereiro de 2022, a justiça condenou um adolescente de 17 anos, morador de Lindolfo Collor, cidade do Rio Grande do Sul, a cumprir medidas socioeducativas por rapto de animal e tortura seguida de morte. Na véspera do Natal de 2021, o adolescente teria roubado o cachorro do seu vizinho para abrir uma transmissão ao vivo em um grupo criminoso do Discord que estimula adolescentes a torturarem animais. O cachorro foi torturado ao vivo e havia cerca de 30 telespectadores incentivando o crime.[20]

Compra pela Microsoft[editar | editar código-fonte]

A Microsoft, negociou a compra do Discord por mais de 10 bilhões de dólares.[21] Porém a negociação não foi finalizada. O Discord já pretendia ser vendido a Amazon e a Epic Games também negociaram a compra da plataforma, que vem crescendo rapidamente durante a pandemia, e recebeu US$100 milhões em investimentos na plataforma da Sony.[21]

O Discord apesar de se manter independente não descarta voltar a negociar partes da empresa através de uma IPO.

Referências

  1. «Discord Web» 
  2. Francis, Bryant (19 de Maio de 2017). «There's now 45 million people gabbing about games on Discord» (em inglês). Gamasutra. Consultado em 31 de Agosto de 2017 
  3. Lazarides, Tasos (14 de Novembro de 2015). «Ex-'Fates Forever' Developers Making 'Discord', a Voice Comm App For Multiplayer Mobile Games» (em inglês). Touch Arcade. Consultado em 31 de Agosto de 2017 
  4. Brightman, James (26 de Janeiro de 2016). «Jason Citron lands $20m for Discord» (em inglês). gamesindustry.biz. Consultado em 31 de Agosto de 2017 
  5. Walker, Alex (27 de janeiro de 2016). «The Latest App For Third-Party Voice Chat Just Raised Almost US$20 Million». Kotaku Australia. Consultado em 1 de maio de 2016 
  6. Chin, Monica (30 de junho de 2020). «Discord raises $100 million and plans to move beyond gaming». The Verge (em inglês). Consultado em 20 de março de 2022 
  7. «Discord — Nitro». Discord. Consultado em 13 de junho de 2020 
  8. «Discord Developer Portal — API Docs for Bots and Developers». Discord Developer Portal. Consultado em 20 de março de 2022 
  9. «Genshin Impact's Official Discord Hit Its Max User Capacity Forcing Devs To Create A Second Server». Kotaku (em inglês). Consultado em 20 de março de 2022 
  10. «Discord Server Gets Over 1,000,000 Members For The First Time Ever». Kotaku (em inglês). Consultado em 20 de março de 2022 
  11. Alexander, Julia (12 de outubro de 2017). «Discord launches Verified servers for game developers, publishers». Polygon (em inglês). Consultado em 20 de março de 2022 
  12. «Friends List 101 – Discord». web.archive.org. 15 de maio de 2020. Consultado em 20 de março de 2022 
  13. Peters, Jay (30 de junho de 2021). «Discord now lets you share a little more about yourself in your profile». The Verge (em inglês). Consultado em 20 de março de 2022 
  14. Menegus, Bryan. «How a Video Game Chat Client Became the Web's New Cesspool of Abuse». Gizmodo (em inglês). Consultado em 7 de fevereiro de 2017 
  15. Alexander, Julia (Julho, 27, 2017). "Discord has a major raiding issue, but the developers are trying to fix it". (Em inglês) Polygon. Arquivado desde o original em 9 de outubro de 2017. Retirado em 9 de outubro de 2017.
  16. Alexander, Julia (Dezembro 7, 2017). "As Discord nears 100 million users, safety concerns are heard". (Em inglês) Polygon. Retirado em Dezembro 7, 2017.
  17. Crecente, Brian (Dezembro, 7, 2017). "Discord: 87M Users, Nintendo Switch Wishes and Dealing With Alt-Right". Glixel. Retirado em 7 de Dezembro de 2017.
  18. Business, Samantha Murphy Kelly, CNN. «The dark side of Discord for teens». CNN. Consultado em 23 de abril de 2022 
  19. «'Tu não é ariano. Te coloco pra assar': Estudantes acusam colega de racismo e apologia ao nazismo em instituição federal de MS». O Globo. 18 de março de 2022. Consultado em 20 de março de 2022 
  20. «Adolescente é investigado por suspeita de matar e torturar cachorro em transmissão pela internet em Lindolfo Collor». G1. Consultado em 20 de março de 2022 
  21. a b «Microsoft negocia compra do Discord por US$ 10 bilhões». www.tecmundo.com.br. Consultado em 3 de abril de 2021 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]