Francisco, el Hombre

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Francisco, el Hombre
A banda ao vivo em Cotia em abril de 2016. Da esquerda para a direita: Juliana Strassacapa, Rafael Gomes, Sebastián Piracés-Ugarte, dois membros de apoio não-identificados, Andrei Martinez Kozyreff e Mateo Piracés-Ugarte.
Informação geral
Origem Campinas,  São Paulo
País  Brasil
Gênero(s) Pop rock, MPB, música mexicana, música folclórica
Período em atividade 2013 - atualmente
Gravadora(s) Independente
Integrantes Sebastián Piracés-Ugarte
Mateo Piracés-Ugarte
Andrei Martinez Kozyreff
Juliana Strassacapa
Rafael Gomes
Ex-integrantes Erin O'Connor
Victor V-B
Página oficial www.facebook.com/franciscoelhombreOFICIAL

Francisco, el Hombre é uma banda brasileira de rock, música mexicana, música brasileira e música latina em geral formada em 2013 pelos irmãos mexicanos naturalizados brasileiros[1] Sebastián e Mateo Piracés-Ugarte na cidade de Campinas, São Paulo.[2][3][4] Foi nominada ao Grammy Latino em 2017 por melhor canção em língua portuguesa.

Com mais três membros brasileiros de nascença,[5] o quinteto mistura elementos musicais de ambos os países e outros da América Latina, com base na experiência dos irmãos em viagens no continente, resultando em música cantada tanto em português como em espanhol e inglês. Autodefinem-se como um grupo de "pachanga folk".[2][4][6][7][8][9][10][11][12] Também já foram descritos como uma mistura de Manu Chao e Nação Zumbi[3] e já se autodefiniram como "uma fusão entre a batucada e a música latina" e "batuk freak tropikarlos".[13]

Suas primeiras turnês latino-americanas eram autofinanciadas e improvisadas, com poucos shows confirmados no início da viagem. Ao longo da jornada, aproveitavam-se de oportunidades para apresentações em ruas, praças, hostels, bares e festas de aniversário que iam surgindo.[1]

História[editar | editar código-fonte]

Após viajarem pelo mundo com seus instrumentos, os irmãos mexicanos Sebastián e Mateo Piracés-Ugarte se mudaram para o Brasil em meados dos anos 2000, naturalizaram-se,[1] firmaram-se no distrito de Barão Geraldo em Campinas, São Paulo,[6][7][12] e formaram a banda com o objetivo de "largar os empregos, faculdade e todas as 'amarras com a sociedade'".[9] O nome do grupo foi inspirado em uma figura de mesmo nome do folclore colombiano, conhecida por tocar acordeão pelas ruas das cidades.[2][9][10][12][14]

Até 2015, já haviam realizado duas turnês sul-americanas, com a segunda sendo denominada "Mochilazo"[7] No início daquele ano, após um show realizado em Mendoza, Argentina, sofreram um assalto e perderam todos os seus pertences, incluindo instrumentos e documentos. Só conseguiram voltar ao Brasil após uma campanha on-line, ajuda da população local e de amigos, e fundos arrecadados em apresentações nas ruas com instrumentos emprestados.[5][10][15][16] Os membros consideraram o episódio como um divisor de águas para o grupo, responsável por alterar a perspectiva que tinham de seu trabalho.[17]

Em abril de 2015, lançaram seu EP La Pachanga!, com seis faixas autorais.[4] O evento de lançamento se deu no Centro Cultural São Paulo no dia 7 do mês seguinte, onde também gravaram um vídeo para a faixa "Dicen" (cuja versão de estúdio traz a participação da cantora chilena Francisca Valenzuela[2]), que, segundo os irmãos fundadores, surgiu para que pudessem falar a seus pequenos sobrinhos sobre a ditadura.[18] O EP traz também a faixa "Minha Casa", a única totalmente em português, escrita na África.[2]

Em 2016, iniciaram a campanha #VaiPraCuba, por meio da qual pretendiam financiar um documentário sobre a cultura da ilha comunista, aproveitando uma viagem à capital Havana para participar do projeto "El Sur Suena", no festival "AMPM – América por Su Música".[10][16][19] No meio do ano, realizaram também uma turnê latino-americana.[6][14]

Em junho de 2016, lançaram um clipe para a faixa "Calor da Rua", produzida por Curumin e Zé Nigro, que trata de violência doméstica e figuraria no primeiro álbum completo do quinteto.[20] O álbum denominado SOLTASBRUXA, foi lançado no dia 2 de setembro. Foi produzido por Zé Nigro e trouxe participações de Liniker e Apanhador Só, além de letras politizadas e com comentários sociais.[5]

Integrantes[editar | editar código-fonte]

Formação atual[editar | editar código-fonte]

Ex-integrantes[editar | editar código-fonte]

  • André Cardoso - baixo
  • Erin O'Connor - vocal
  • Victor V-B - bateria

Discografia[editar | editar código-fonte]

EPs[editar | editar código-fonte]

  • Nudez (2013)
  • La Pachanga! (2015)

Álbuns[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c «Metrópolis: Francisco, el Hombre». Metrópolis. Fundação Padre Anchieta. 6 de dezembro de 2016. Consultado em 19 de janeiro de 2017 
  2. a b c d e Delalibera, Graziela (21 de julho de 2015). «Banda Francisco, El Hombre se apresenta no Sesc». Diário da Região. Consultado em 20 de setembro de 2016 
  3. a b Rabassallo, Luciana (16 de maio de 2015). «Bananada 2015: novatos do Francisco, el Hombre roubam a cena no festival em noite com encerramento do Pato Fu». Rolling Stone Brasil. Grupo Spring de Comunicação. Consultado em 20 de setembro de 2016 
  4. a b c «Francisco, El Hombre faz show bilíngue de folk dançante». G1. Grupo Globo. 13 de maio de 2016. Consultado em 19 de setembro de 2016 
  5. a b c «Francisco, el Hombre disponibiliza o primeiro disco cheio da carreira, SOLTASBRUXA, no YouTube». Inker Agência Cultural. 2 de setembro de 2016. Consultado em 20 de setembro de 2016 
  6. a b c «Grupo Francisco, El Hombre, llega a México para armar su "pachanga"». 20 minutos (em espanhol). Grupo 20 minutos. 20 de junho de 2016. Consultado em 20 de setembro de 2016 
  7. a b c «Banda de Campinas realiza turnê em países da América Latina em 2015». G1. Grupo Globo. 27 de dezembro de 2014. Consultado em 20 de setembro de 2016 
  8. Moretti, Juliene. «Francisco, El Hombre». Veja São Paulo. Grupo Abril. Consultado em 20 de setembro de 2016 
  9. a b c Galvão, Pedro (14 de setembro de 2016). «Formada por mexicanos e paulistas, banda Francisco El Hombre é uma das atrações do Festival Transborda». Uai. Diários Associados. Consultado em 20 de setembro de 2016 
  10. a b c d «Francisco El Hombre na Virada Cultural Sáb.21/05». El Guia Latino. 18 de maio de 2016. Consultado em 20 de setembro de 2016  |nome1= sem |sobrenome1= em Authors list (ajuda)
  11. «Rec-Beat confirma mais um nome: Francisco, el Hombre». Jornal do Commercio. Sistema Jornal do Commercio de Comunicação. 25 de janeiro de 2016. Consultado em 20 de setembro de 2016 
  12. a b c «Francisco, el Hombre». TNB. Consultado em 20 de setembro de 2016 
  13. Azevedo, Victoria (16 de outubro de 2016). «Banda Francisco, el Hombre lança o primeiro álbum da carreira e faz show em SP». Revista São Paulo. Grupo Folha. Consultado em 4 de novembro de 2016 
  14. a b «Banda Francisco, el Hombre pretende realizar documentário em Cuba». Rolling Stone Brasil. Grupo Spring de Comunicação. 29 de março de 2016. Consultado em 20 de setembro de 2016 
  15. «Banda brasileira é roubada na Argentina, cancela turnê e pede ajuda». G1. Grupo Globo. 16 de janeiro de 2015. Consultado em 20 de setembro de 2016 
  16. a b Menezes, Caio (9 de abril de 2016). «Após assalto na Argentina, Francisco, el Hombre planeja turnê e documentário em Cuba». Faixa 1. Ongoing Strategy Investments. Consultado em 20 de setembro de 2016 
  17. Curvelo, Rakky (3 de outubro de 2016). «O legado da Francisco, El Hombre: banda quer construir uma história para se orgulhar». Tenho Mais Discos Que Amigos!. Consultado em 5 de outubro de 2016 
  18. Brêda, Lucas (6 de agosto de 2015). «Francisco, El Hombre esbanja vitalidade em performance de "Dicen"; assista». Rolling Stone Brasil. Grupo Spring de Comunicação. Consultado em 20 de setembro de 2016 
  19. «Francisco, el Hombre lança financiamento coletivo para realizar documentário em Cuba». 89 FM a Rádio Rock. Grupo Camargo de Comunicação. 22 de março de 2016. Consultado em 20 de setembro de 2016 
  20. «Três videoclipes nacionais: Francisco, El Hombre, Rapha Moares e Zumbis do Espaço». Move That Jukebox. 15 de junho de 2016. Consultado em 20 de setembro de 2016