Grande Prêmio da Malásia de 2010

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Grande Prêmio da Malásia
de Fórmula 1 de 2010
Sepang.svg
Mapa do circuito.
Detalhes da corrida
Categoria Fórmula 1
Data 4 de abril de 2010
Nome oficial XII Petronas Malaysian Grand Prix
Local Sepang International Circuit,
Kuala Lumpur, Malásia
Total 56 voltas / 310.408 km
Pole
Piloto
Austrália Mark Webber Red Bull-Renault
Tempo 1:49.327
Volta mais rápida
Piloto
Austrália Mark Webber Red Bull-Renault
Tempo 1:37.054 (na volta 53)
Pódio
Primeiro
Alemanha Sebastian Vettel Red Bull-Renault
Segundo
Austrália Mark Webber Red Bull-Renault
Terceiro
Alemanha Nico Rosberg Mercedes

O Grande Prémio da Malásia de 2010 (formalmente XII Petronas Grande Prêmio da Malásia) foi a terceira corrida da temporada de 2010 da Fórmula 1 e ocorreu no Circuito Internacional de Sepang, Malásia, em 4 de abril de 2010.

Alinharam no grid três vencedores do Grande Prêmio em Sepang: Michael Schumacher, Fernando Alonso e Jenson Button. Na corrida a vitória coube a Sebastian Vettel com Mark Webber em segundo e Nico Rosberg em terceiro. Com o resultado, Felipe Massa assumiu a liderança do campeonato com 39 pontos, seguido por Fernando Alonso (Ferrari) e Sebastian Vettel (Red Bull), ambos com 37 pontos.

Detalhes[editar | editar código-fonte]

Ainda sob os eflúvios da corrida australiana, Fernando Alonso rebateu as críticas de Michael Schumacher, segundo as quais o ferrarista obstruiu uma volta rápida do alemão durante o treino oficial em Albert Park. Para o líder do campeonato, as reclamações do heptacampeão mundial deveriam ser dirigidas aos comissários da FIA e não aos jornalistas, o que denotava para Alonso a clara intenção de Schumacher, em não esclarecer o incidente, de encenar uma pantomima para a imprensa.[1]

Recordista de vitórias na prova malaia, o vetusto Schumacher concedeu o título de construtores para a Ferrari ao triunfar no ano 2000 e não satisfeito subiu ao topo do pódio novamente em 2001 e 2004, mantendo ainda a insígnia de ter pontuado em todas as provas que disputou em Sepang. Para Alonso a pista serviu como local de seu primeiro pódio em 2003 e de vitórias em 2005, ano de seu primeiro título, e em 2007 quando fez dobradinha com Hamilton na McLaren. A pista de Sepang foi o palco do primeiro ponto na carreira de Felipe Massa em seus tempos de Sauber. Em 2009, o vencedor do Grande Prêmio foi o inglês Jenson Button, pela Brawn GP.

Com o circuito atingido por uma forte chuva na quinta-feira, os pilotos fizeram piada com a situação, notadamente Barrichello e Di Grassi, que sugeriram o uso de bóias ou jet skis para viabilizar a prova caso o céu insistisse em descarregar tamanho volume d'água, aliás, o temor de que a chuva resultasse em uma meia-corrida como em 2009, adiantou a largada em uma hora. Em meio a tantas amenidades, a cartolagem anunciou novas regras quanto à fixação dos retrovisores, em vigor a partir do Grande Prêmio da Espanha, como forma de devolver-lhes a condição de instrumentos de visibilidade e não a de peças aerodinâmicas.[2]

Treinos[editar | editar código-fonte]

Na sexta-feira os treinos livres ocorreram sob sol forte e pista seca e nesse cenário melhor para Lewis Hamilton, mas para os malaios o que importava não era o melhor tempo do inglês e sim a participação de Fairuz Fauzy na contenda como piloto da Lotus. Veio o sábado e nele Webber foi o melhor nos treinos livres em pista seca, mas a chuva apareceu na hora do treino oficial e introduziu novas variáveis à disputa embora não tenha impedido mais uma pole do australiano da Red Bull, em que pese o melhor tempo de Kubica ao final do Q1.[3]

Graças a uma síntese de hesitação e soberba, McLaren e Ferrari foram relegadas a coadjuvantes visto que Button ficou na caixa de brita enquanto que Hamilton, Alonso e Massa foram deslocados para o fundo do grid, punidos pelo capricho de irem para a pista sob forte chuva. No Q2 Glock e Kovalainen levaram seus bólidos adiante em que pesem as limitações dos carros enquanto Petrov fez um treino convincente em décimo primeiro lugar. Quanto a Michael Schumacher este sentiu o sabor de liderar uma sessão de treinos oficiais em quatro anos, alegria efêmera graças ao aprumo dos rivais com Vettel à frente.

Aberta a terceira fase da classificação uma surpresa: com Sutil perfilado à frente do pelotão instantes antes de se lançar ao asfalto eis que Kubica "fura a fila" e vai à pista em primeiro graças ao embuste de ter se posicionado "por fora" na saída dos boxes, todavia uma bandeira vermelha devido a uma forte chuva põe fim ao intento do polonês. Passados quinze minutos a porfia foi reiniciada e para evitar um novo ardil os carros da Force India bloquearam a saída do pit lane. Sutil foi à pista e chegou a marcar o melhor tempo, mas o furor de Mark Webber em usar pneus intermediários quando seus rivais usavam pneus de chuva, resultou numa pole ousada. Competente em sua lida o piloto australiano suplantou quatro alemães (Rosberg, Vettel, Sutil e Hülkenberg) vindo a seguir Kubica e Barrichello extraindo o máximo de seus carros com Schumacher num discreto oitavo lugar adiante de Kobayashi e Liuzzi.

Corrida[editar | editar código-fonte]

Sem que a chuva aparecesse os pilotos duelaram em asfalto seco durante toda a prova e logo na primeira curva Vettel ascendeu à ponta e fez de Webber um escudo contra os ataques dos demais membros do pelotão e assim rumou sem sobressaltos para a vitória.[4] Ainda na volta de apresentação o motor de De La Rosa explodiu e apagadas as luzes o carro de Barrichello falhou e caiu para as últimas posições, contudo a largada transcorreu sem acidentes. Situados em posições desfavoráveis Hamilton e Massa saltaram sete posições e se posicionaram adiante de seus companheiros de equipe com o inglês avançando sobre Buemi e fazendo deste um anteparo a Massa enquanto Alonso superava Button. Lépido e com um carro veloz nas retas, o campeão de 2008 duelou com Petrov e alternou ultrapassagens com o russo, porém ao se posicionar em zigue-zague diante da Renault o piloto da McLaren recebeu uma advertência dos comissários de prova ao tempo que seu companheiro de equipe trocou os pneus e passou a girar mais rápido que os demais.

Na Ferrari Massa foi aos boxes antes de Alonso e ao retornar ao combate aproveitou seus pneus novos para estabelecer voltas velozes em sequência mas ao ser limitado pelo ritmo de Button viu seu companheiro descontar a diferença após passagem pelos boxes, entretanto o piloto brasileiro superou o campeão mundial e o deixou às voltas com Alonso que iniciou uma nova perseguição ao inglês, mas a quebra do motor Ferrari na penúltima volta deixou o espanhol sem marcar pontos. Sem ameaças às suas pretensões a Red Bull conseguiu sua primeira dobradinha no ano e Nico Rosberg conquistou seu primeiro pódio pela Mercedes. Kubica, Sutil e Hamilton vieram a seguir com Felipe Massa em sétimo, o que lhe garantiu pontos suficientes para assumir a liderança do certame com 39 pontos enquanto Alonso e Vettel ostentam 37 cada um. Button, Alguersuari e Hülkenberg completaram a zona dos pontos. Michael Schumacher deixou a prova após nove voltas com um problema na roda ao passo que Di Grassi e Senna finalmente completaram uma prova.

Classificação[editar | editar código-fonte]

Treino oficial[editar | editar código-fonte]

Pos Piloto Construtor Parte 1 Parte 2 Parte 3 Grid
1 6 Austrália Mark Webber Red Bull-Renault 1:51.886 1:48.210 1:49.327 1
2 4 Alemanha Nico Rosberg Mercedes 1:52.560 1:47.417 1:50.673 2
3 5 Alemanha Sebastian Vettel Red Bull-Renault 1:48.945 1:46.828 1:50.789 3
4 14 Alemanha Adrian Sutil Force India-Mercedes 1:49.479 1:47.085 1:50.914 4
5 10 Alemanha Nico Hülkenberg Williams-Cosworth 1:49.664 1:47.346 1:51.001 5
6 11 Polónia Robert Kubica Renault 1:46.283 1:46.951 1:51.051 6
7 9 Brasil Rubens Barrichello Williams-Cosworth 1:50.301 1:48.371 1:51.511 7
8 3 Alemanha Michael Schumacher Mercedes 1:52.239 1:48.400 1:51.717 8
9 23 Japão Kamui Kobayashi BMW Sauber-Ferrari 1:48.467 1:47.792 1:51.767 9
10 15 Itália Vitantonio Liuzzi Force India-Mercedes 1:49.922 1:48.238 1:52.254 10
11 12 Rússia Vitaly Petrov Renault 1:47.952 1:48.760 11
12 22 Espanha Pedro de la Rosa BMW Sauber-Ferrari 1:47.153 1:48.771 12
13 16 Suíça Sébastien Buemi Toro Rosso-Ferrari 1:48.945 1:49.207 13
14 17 Espanha Jaime Alguersuari Toro Rosso-Ferrari 1:48.655 1:49.464 14
15 19 Finlândia Heikki Kovalainen Lotus-Cosworth 1:52.875 1:52.270 15
16 24 Alemanha Timo Glock Virgin-Cosworth 1:52.398 1:52.520 16
17 1 Reino Unido Jenson Button McLaren-Mercedes 1:52.211 Sem tempo 17
18 18 Itália Jarno Trulli Lotus-Cosworth 1:52.884 18
19 8 Espanha Fernando Alonso Ferrari 1:53.044 19
20 2 Reino Unido Lewis Hamilton McLaren-Mercedes 1:53.050 20
21 7 Brasil Felipe Massa Ferrari 1:53.283 21
22 20 Índia Karun Chandhok HRT-Cosworth 1:56.299 22
23 21 Brasil Bruno Senna HRT-Cosworth 1:57.269 23
24 25 Brasil Lucas Di Grassi Virgin-Cosworth 1:59.977 24

Corrida[editar | editar código-fonte]

Pos Piloto Construtor Voltas Tempo/Aband. Grid Pontos
1 5 Alemanha Sebastian Vettel Red Bull-Renault 56 1:33:48.412 3 25
2 6 Austrália Mark Webber Red Bull-Renault 56 +4.849 1 18
3 4 Alemanha Nico Rosberg Mercedes 56 +13.504 2 15
4 11 Polónia Robert Kubica Renault 56 +18.589 6 12
5 14 Alemanha Adrian Sutil Force India-Mercedes 56 +21.059 4 10
6 2 Reino Unido Lewis Hamilton McLaren-Mercedes 56 +23.471 20 8
7 7 Brasil Felipe Massa Ferrari 56 +27.068 21 6
8 1 Reino Unido Jenson Button McLaren-Mercedes 56 +37.918 17 4
9 17 Espanha Jaime Alguersuari Toro Rosso-Ferrari 56 +1:10.602 14 2
10 10 Alemanha Nico Hulkenberg Williams-Cosworth 56 +1:13.399 5 1
11 16 Suíça Sebastien Buemi Toro Rosso-Ferrari 56 +1:18.938 13
12 9 Brasil Rubens Barrichello Williams-Cosworth 55 +1 volta 7
13 8 Espanha Fernando Alonso Ferrari 54 Motor 19
14 25 Brasil Lucas di Grassi Virgin-Cosworth 53 +3 voltas 24
15 20 Índia Karun Chandhok HRT-Cosworth 53 +3 voltas 22
16 21 Brasil Bruno Senna HRT-Cosworth 52 +4 voltas 23
17 18 Itália Jarno Trulli Lotus-Cosworth 51 +5 voltas 18
18 19 Finlândia Heikki Kovalainen Lotus-Cosworth 46 +10 voltas 15
Ret 12 Rússia Vitaly Petrov Renault 32 Caixa de Câmbio 11
Ret 15 Itália Vitantonio Liuzzi Force India-Mercedes 12 Acelerador 10
Ret 3 Alemanha Michael Schumacher Mercedes 9 Porca da Roda 8
Ret 23 Japão Kamui Kobayashi BMW Sauber-Ferrari 8 Motor 9
Ret 24 Alemanha Timo Glock Virgin-Cosworth 2 Colisão 16
NL 22 Espanha Pedro de la Rosa BMW Sauber-Ferrari 0 Motor 12

Notas[editar | editar código-fonte]

Tabela do campeonato após a corrida[editar | editar código-fonte]

Observe que somente as cinco primeiras posições estão incluídas na tabela.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

Prova Anterior:
Grande Prêmio da Austrália de 2010
Campeonato do Mundo FIA de Fórmula 1
Temporada 2010
Próxima Prova:
Grande Prêmio da China de 2010

Prova Anterior:
Grande Prêmio da Malásia de 2009
Grande Prêmio da Malásia Próxima Prova:
Grande Prêmio da Malásia de 2011
Ícone de esboço Este artigo sobre Automobilismo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.