História da Suméria

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Mapa da Suméria
Antiga
Mesopotâmia
Babylonlion.JPG
EufratesTigre
História
Povos
Sumérios • Acadianos
GútiosAmoritas
Elamitas • Arameus
CassitasHurritas
Hititas
MedosPersas
Nações
SumériaImpério Acádio
ElamAssíria
MitaniImpério Hitita
Primeiro Império BabilônicoSegundo Império Babilônico
Império MedoImpério Aquemênida
Cidades
EriduKishUruk
UrLagash
NipurNgirsu
AcádiaMari
IsinLarsa
BabilôniaAssur
NimrudNínive
Dur Sharrukin
Mitologia
Mitologia suméria
Enuma Elish
Epopeia de Gilgamesh
Epopeia de Atrahasis
AnAdadIshtar
EnkiAntuEnlil
DamgalnunaNanna
NinhursagNingal
NinlilShamash
Dumuzi/Tamuz
Tiamat
Línguas
SumérioElamita
AcádioAramaico
AmoritaElamita
CassitaHurritaHitita

A História da Suméria, onde se incluem os períodos pré-históricos do período de al-Ubaid e do período de Uruk, abrange por volta do quinto milênio a.C. até o terceiro milênio a.C., terminando com a queda da Terceira dinastia de Ur por volta de 2 004 a.C., seguido por um período de transição dos estados amorita antes do surgimento da Babilônia no século XVIII a.C.. O primeiro assentamento no sul da Mesopotâmia foi Eridu. Os Sumérios acreditavam que sua civilização foi trazida, totalmente formada, para a cidade de Eridu por seu Deus Enki ou por seu conselheiro (ou Abgallu, de ab=água, gal=grande, lu=homem), Adapa U-an (chamado "Oannes" por Beroso). As primeiras pessoas que colonizaram Eridu trouxeram consigo a cultura Samarra do norte da Mesopotâmia e são identificados com o período de al-Ubaid, mas não se sabe até que pontos estes primeiros colonos eram sumérios (associados posteriormente com o período de Uruk. A Lista Real Sumeriana é antigo texto sumério em língua suméria, com escrita cuneiforme, listando os reis da Suméria e de dinastias estrangeiras. Algumas das dinastias mais antigas são descritas em termos míticos; e apenas alguns dos nomes antigos foram autenticados através da arqueologia. A dinastia mais bem conhecida, a de Lagash, não e citada.

Periodização[editar | editar código-fonte]

  • Período de al-Ubaid: 5 300–4 000 a.C.
  • Período de Uruk]]: 4 000–2 900 a.C.
    • Período Uruk XIV-V: 4 100–3 300 a.C.
    • Período Uruk IV: 3 300–3 000 a.C.
    • Uruk III = Período de Jemdet Nasr: 3 100–2 900 a.C.1
  • Período pré-dinástico
    • Período da I Pré-Dinastia: 2 900–2 800 a.C.
    • Período da II Pré-Dinastia: 2 800–2 600 a.C.
    • Período da IIIa Pré-Dinastia: 2 600–2 500 a.C.
    • Período da IIIb Pré-Dinastia: ca. 2 500–2 334 a.C.
  • Império Acádio: ca. 2 334–2 218 a.C.
  • Período Gutiano: ca. {{AC|2218–2047|x}
  • Período da III Dinastia de Ur: ca. 2 047–1 940 a.C.

Primeiras cidades-estados[editar | editar código-fonte]

Assentamentos urbanos permanentes durante todo o ano podem ter sido motivados por intensas práticas agrícolas. O trabalho exigido na manutenção dos canais de irrigação e o excedente resultante dos alimentos concentraram as populações. Os centros de Eridu e Uruk, duas das cidades mais antigas, tiveram complexos de templos sucessivamente mais elaborados construídos por tijolos de lama. Desenvolvendo-se a partir de pequenos santuários com os primeiros assentamentos, pelo período da I Pré-Dinastia, haviam se tornado o centro da maioria das estruturas se impondo em suas respectivas cidades, cada um dedicada a seu respectivo deus próprio. Do sul para o norte, o principais templos-cidades, seu complexo de templo principal, e os deuses a que serviam,2 foram:

Historiadores até recentemente concordam que antes de 3 000 a.C. a vida política da cidade era dirigida por um sacerdote-rei (Ensi) assistido por um conselho de anciões3 e era baseada nestes templos, mas alguns autores recentes tem afirmado que as cidades tiveram líderes seculares desde os tempos mais antigos. O desenvolvimento de um sofisticado sistema de administração levou a invenção da escrita de números por volta de 3 500 a.C. e a escrita ideográfica por volta de 3 000 a.C., a qual se desenvolveu na escrita logográfica por volta 2 600 a.C.

Período pré-dinástico[editar | editar código-fonte]

No possivelmente mítico período pré-dinástico[carece de fontes?], a Lista Real Sumeriana mostra a passagem de poder de Eridu para Shuruppak no sul, até que uma inundação ocorreu, de onde foi realocado para a cidade de Kish mais ao norte do início do período proto-dinástico. A hegemonia, que veio a ser conferida aos sacerdotes de Nipur, alternou-se entre várias dinastias competindo entre si, advindas das cidades-estado sumerianas tradicionalmente incluindo Kish, Uruk, Ur, Adab e Akshak, bem como algumas além do sul da Mesopotâmia, como Awan, Hamazi, and Mari, até os acadianos, sob Sargão da Acádia, tomarem a área. Arqueólogos confirmaram a presença de uma ampla camada de depósitos de lodo fluvial, logo após a Oscilação de Piora, interrompendo a sequência de residência, que deixou alguns pés de sedimento amarelo nas cidades de Shuruppak e Uruk e estendeu-se ao norte até Kish. A cerâmica policromada característica do período Nasr Jemdet (3 100-2 900 a.C.), abaixo da camada de sedimento foi seguido por artefatos de período protodinástico I acima da camada de sedimentos.

Notas[editar | editar código-fonte]

  1. Pollock, Susan. Case Studies in Early Societies. Ancient Mesopotamia: The Eden that never was (em inglês). Cambridge: Cambridge University Press, 1999. p. 2. ISBN 9780521575683
  2. George, Andrew (1993), House Most High. The Temples of Ancient Mesopotamia (Winona Lake: Eisenbrauns)
  3. Jacobsen, Thorkild (Ed) (1939),"The Sumerian King List" (Oriental Institute of the University of Chicago; Assyriological Studies, No. 11.)

Este artigo incorpora texto da Encyclopædia Britannica (11ª edição), publicação em domínio público.