Jorge Curi

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Jorge Curis
Nascimento 25 de fevereiro de 1920
Caxambu
 Minas Gerais
Morte 23 de dezembro de 1985 (65 anos)
Caxambu
 Minas Gerais
Nacionalidade brasileiro
Ocupação radialista
locutor esportivo
Principais trabalhos Rádio Nacional
Rádio Globo

Jorge Curi (Caxambu, 25 de fevereiro de 1920 - 23 de dezembro de 1985) foi radialista e locutor esportivo brasileiro.

Filho do comerciante José Kalil Curi e de Maria Curi, teve oito irmãos, entre os quais, o cantor, compositor e humorista Ivon Curi e o também radialista Alberto Curi.

Iniciou sua carreira numa emissora local de sua cidade natal, Caxambu, em 1942. No ano seguinte, teve a chance de fazer um teste para a Rádio Nacional, onde, aprovado, permaneceu até 1972, quando se transferiu para a Rádio Globo.

Foi um dos maiores locutores de seu tempo, ao lado de Oduvaldo Cozzi, Waldir Amaral e Doalcey Bueno de Camargo. Além de locutor esportivo, também conduziu o programa dominical de calouros A Hora do Pato.

Narrou nove Copas do Mundo e era torcedor fanático do Clube de Regatas do Flamengo.

Em 1985 foi demitido da Rádio Globo e no final da última partida que narrou na Globo (Vasco da Gama X Botafogo), fez uma despedida e um desabafo contra os dois diretores que o demitiram, Paulo Cesar Ferreira e Jorge Guilherme, sendo substituído por Washington Rodrigues e José Carlos Araújo, em seu desabafo ele disse abertamente ter sido "tocaiado" por esses diretores citando o título de uma obra de Jorge Amado.

Sua morte ocorreu devido a um acidente automobilístico próximo a Caxambu, para onde se dirigia para os festejos de Natal e de Ano Novo. Pouco antes, havia se transferido para a Rádio Tupi.