José Ramos Tinhorão

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, comprometendo a sua verificabilidade (desde maio de 2010).
Por favor, adicione mais referências inserindo-as no texto. Material sem fontes poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
José Ramos Tinhorão
Nascimento
Santos,  Brasil
Género literário História, música brasileira

José Ramos Tinhorão (Santos, 7 de fevereiro de 1928) é um jornalista, crítico musical e pesquisador musical brasileiro.[1]

Em 1938 passou a morar no Rio de Janeiro, onde formou-se na Faculdade de Direito do Rio de Janeiro e na Faculdade de Filosofia da Universidade Nacional (RJ), em jornalismo.

A partir de 1951 publicou em veículos de comunicação, como a Revista da Semana (RJ), Revista Guaíra (PR), jornal Última Hora, revistas Veja e Senhor, além das redes de televisão TV Globo e TV Rio.

Em 1966, escreveu o primeiro dos mais de vinte livros que viria a publicar sobre a história da música popular brasileira, o Música Popular: um tema em debate.

Foi redator e colaborador dos Cadernos de Estudos Brasileiros e do Caderno B do Jornal do Brasil. Escrevendo neste periódico, entre os anos de 1975 a 1980, se envolveu em polêmicas com artistas da música popular brasileira, como Paulinho da Viola.

Durante sua vida reuniu cerca de 6,5 mil discos de 76 e 78 rpm, que foram gravados e lançados comercialmente entre os anos de 1902 e 1964, e seis mil LPs (long-plays ou discos de 33 rpm), com datas de lançamento entre 1960 e meados da década de 1990.

O acervo de Tinhorão foi comprado pelo Instituto Moreira Salles, que o digitalizou e o disponibiliza abertamente na internet.[2]

Obras[editar | editar código-fonte]

  • Música Popular;
  • Música Popular no Romance Brasileiro (3 volumes);
  • Os Sons Que Vêm da Rua
  • Os Sons dos Negros no Brasil
  • Os negros em Portugal: uma presença silenciosa (1988);
  • Fado: dança do Brasil, cantar de Lisboa, o fim de um mito (1994);
  • História social da música popular brasileira (1990);
  • As origens da canção urbana (1997);
  • As festas no Brasil colonial (2000);
  • Cultura Popular - Temas e Questões (2001);
  • Domingos Caldas Barbosa - O Poeta da Viola, da Modinha e do Lundu (1740-1800) (2004);
  • O rasga: uma dança negro-portuguesa (2007);
  • A Música Popular que Surge na Era da Revolução (2009);
  • Festa de Negro em Devoção de Branco (2012);
  • Pequena História da Música Popular (2012);

Referências

  1. «José Ramos Tinhorão». dicionariompb.com.br. Consultado em 28 de dezembro de 2014 
  2. Revista Época - O rap salva a palavra

Ligações externas[editar | editar código-fonte]