Jumanji

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Jumanji
Jumanji (PT/BR)
 Estados Unidos
 Canadá

1995 •  cor •  107 min 
Direção Joe Johnston
Roteiro Jonathan Hensleigh
Greg Taylor
Jim Strain
Elenco Robin Williams
Bonnie Hunt
Kirsten Dunst
Bradley Pierce
Jonathan Hyde
David Alan Grier
Bebe Neuwirth
Género Aventura
Fantasia
Comédia dramática
Música James Horner
Distribuição TriStar Pictures
Lançamento Estados Unidos Canadá 15 de dezembro de 1995
Portugal 1 de março de 1996
Brasil26 de janeiro de 1996
Idioma Inglês
Página no IMDb (em inglês)

Jumanji é um filme americano de 1995 baseado em Jumanji, um livro infantil de 1982 escrito e ilustrado por Chris Van Allsburg. A história descreve um jogo de tabuleiro com temática da natureza, onde animais reais e outros elementos aparecem magicamente assim que um jogador joga os dados.

O filme é estrelado por Robin Williams, Bonnie Hunt, Kirsten Dunst, Bradley Pierce, Jonathan Hyde e Adam Hann-Byrd, e é dirigido por Joe Johnston. Foram gastos em sua produção 65 milhões de dólares, com um retorno de US$ 262 milhões em todo o mundo.[1] Recebeu críticas geralmente negativas.[2]

Enredo[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

Em 1869, perto de Brantford, New Hampshire, dois irmãos enterram um baú numa fundação ao som de estranhos tambores tribais, esperando que ninguém nunca vá encontrá-lo.

Cem anos mais tarde, em 1969, um garoto de 12 anos, Alan Parrish, visita a fábrica de calçados de propriedade de seu pai, Samuel. Ele visita seu amigo Carl Bentley, um empregado, que revela um novo protótipo de sapato que ele mesmo inventou. Alan move o sapato e acaba quebrando uma máquina importante, mas Carl assume a responsabilidade e perde o emprego. Depois de ser atacado por vários agressores que também roubam sua bicicleta, Alan segue o som de tambores tribais até um canteiro de obras. Lá ele encontra o baú contendo um jogo de tabuleiro chamado Jumanji, e o leva para casa. Em casa, após uma discussão com Samuel sobre visitar um colégio interno, Alan planeja fugir. Sarah Whittle, sua amiga, chega para buscar sua bicicleta e eles começam a jogar Jumanji. Com cada rodada dos dados, uma peça do jogo se move sozinha e uma mensagem enigmática que descreve o resultado da jogada é mostrado na bola de cristal no centro do tabuleiro. Sarah joga os dados, mas nada acontece. Alan joga os dados e uma mensagem lhe diz para esperar na selva até que alguém consiga tirar com os dados o número 5 ou 8; ele então é sugado para dentro do jogo. Logo após, um bando de morcegos aparece e persegue Sarah para fora da mansão.

Vinte e seis anos depois, Judy e Peter Shepherd se mudam para a mansão abandonada dos Parrish com sua tia Nora, já que seus pais morreram em um acidente numa viagem de esqui no Canadá. No dia seguinte, Judy e Peter escutam os tambores tribais e encontram Jumanji no sótão; logo começam a jogar. O resultado dos números no lance dos dados invoca mosquitos gigantes e um grupo de macacos. As regras do jogo afirmam que tudo votará ao normal quando o jogo terminar, ainda assim o jogo deve ser jogado até o fim. A jogada seguinte de Peter invoca um leão e libera um Alan agora adulto, que corre até a fábrica de seu pai. No caminho, ele reencontra Carl, que agora está trabalhando como um oficial de polícia. Na fábrica, agora abandonada, um homem sem-teto diz a Alan que após o seu desaparecimento Samuel abandonou o negócio e procurou pelo seu filho até sua morte, quatro anos antes. O fechamento da fábrica devastou a economia da cidade. Percebendo que eles precisam de Sarah para terminar o jogo, os três a localizam — agora adulta e sofrendo vários traumas pelo desaparecimento de Alan no Jumanji — e a convencem a continuar jogando. A jogada dos dados por Sarah faz crescer rapidamente plantas carnívoras e venenosas gigantes por toda a mansão, e junto a jogada de Alan é invocado um caçador maldoso chamado Van Pelt, que caça Alan desde sua infância na selva. A próxima rodada invoca um estouro da manada com diversos animais, causando um enorme tumulto, o que permite que um pelicano acabe roubando o jogo. Peter recupera o tabuleiro, mas Alan é preso por Carl, e Van Pelt rouba o jogo. Peter, Sarah e Judy localizam Van Pelt numa loja de departamentos, onde montaram armadilhas para detê-lo e recuperar o jogo, enquanto Alan escapa do carro de Carl.

Quando os quatro retornam à mansão — agora completamente tomada pela selva e por animais selvagens — eles continuam jogando e liberando uma calamidade após a outra, até que um terremoto parte a mansão ao meio. Quando Van Pelt chega até Alan e se prepara para matá-lo, Alan finalmente chega ao fim do jogo, fazendo com que tudo o que aconteceu até então seja revertido completamente.

De volta a 1969, Alan e Sarah continuam crianças mas com todas as memórias dos eventos do jogo. Alan se reconcilia com seu pai e admite que ele mesmo danificou a máquina da fábrica. Carl é recontratado e Samuel diz a seu filho que ele não tem que frequentar o colégio interno. Alan e Sarah jogam o Jumanji em um rio; em seguida compartilham seu primeiro beijo.

Nos dias atuais, Alan acaba assumindo os negócios do pai. Ele se casa com Sarah ​​e estão a espera de seu primeiro filho. Numa festa de Natal da família Perrish, Judy, Peter e seus pais Jim e Martha são convidados, e Alan e Sarah acabam reencontrando as crianças. Alan oferece a Jim um emprego na fábrica, e o convence a começar o serviço o quanto antes e cancelar sua próxima viagem ao Canadá, evitando a morte dos dois.

Longe dali, numa praia na França, duas jovens escutam estranhos tambores tribais durante sua caminhada; o tabuleiro de Jumanji é mostrado parcialmente enterrado na areia...

Gtk-paste.svg Aviso: Terminam aqui as revelações sobre o enredo.

Elenco[editar | editar código-fonte]

  • Robin Williams - Alan Parrish
  • Bonnie Hunt - Sarah Whittle
  • Jonathan Hyde - Van Pelt / Sam Parrish
  • Kirsten Dunst - Judy Sheperd
  • Bradley Pierce - Peter Sheperd
  • Bebe Neuwirth - Tia Nora Sheperd
  • David Alan Grier - Oficial Carl Bentley
  • Patricia Clarkson - Carol Parrish
  • Adam Hann-Byrd - Alan (1969)
  • Laura Bell Bundy - Sarah (1969)
  • James Handy - Caçador
  • Gillian Barber - Sra. Thomas
  • Brandon Obray - Benjamin
  • Brenda Lockmuller - Pianista
  • Cyrus Theideke - Caleb
  • Darryl Henriques - Vendedor de armas
  • Frank Welker - Efeitos vocais especiais
  • Frederick Richardson - Barbeiro
  • Gary Joseph Thorup - Billy Jessup
  • June Lion - Baker
  • Leonard Zola - Cop
  • Lloyd Berry - Bum
  • Malcolm Stewart - Jim Sheperd
  • Annabel Kershaw - Martha Sheperd
  • Mike Mitchell - Sr. Williams (dublê #1)
  • Adam Bryant - Sr. Williams (dublê #2)
  • Robyn Driscoll - Paramédico #1
  • Peter Bryant - Paramédico #2
  • Sarah Gilson - Menina #1
  • Florica Vlad - Menina #2
  • Fabio Pontes - Menino #1

Dubladores brasileiros[editar | editar código-fonte]

Créditos[editar | editar código-fonte]

Elenco de voz[editar | editar código-fonte]

  • Nelson Machado - Alan Parrish
  • Tânia Gaidarji - Sarah Whittle
  • Luiz Antônio Lobue - Van Pelt / Sam Parrish
  • Letícia Quinto[3] - Judy Shepard
  • Angélica Santos[4] - Peter Shepard
  • Alessandra Araújo - Tia Nora Shepard
  • Ézio Ramos - Carl Bentley
  • Cecília Lemes - Carol Parrish
  • Alex Wendell - Alan (1969)
  • Márcia Morelli - Sarah (1969)
  • Mário Vilela - Outras vozes

Recepção[editar | editar código-fonte]

Charles Cassady, em sua crítica para o Common Sense Media disse que o filme tem "algumas emoções, mas pode ser demais para os mais pequenos." Michael Dequina, do TheMovieReport.com escreveu que "todos os efeitos no mundo não podem disfarçar o enredo fino." Neil Smith, do BBC.com disse que "retirando o caos CGI (...) o que emerge é um conto bastante tocante de segundas chances e inocência prematuramente perdida." Roger Ebert, escrevendo para o Chicago Sun-Times chamou de "uma extravagância sombria de efeitos especiais cheia de imagens grotescas, gerando medo e desespero." No Rotten Tomatoes tem uma classificação "podre" de 48%.[2] No Metacritic alcançou 39 dos 100 pontos, indicando "revisões geralmente desfavoráveis".[5]

Referências

  1. «Jumanji». Box Office Mojo (em inglês). Consultado em 19 de janeiro de 2017 
  2. a b «Jumanji (1995)». Rotten Tomatoes (em inglês). Consultado em 19 de janeiro de 2017 
  3. «Letícia Quinto». Dublapédia. Consultado em 30 de maio de 2013 
  4. «Angélica Santos». Dublapédia. Consultado em 30 de maio de 2013 
  5. «Jumanji». Metacritic (em inglês). Consultado em 19 de janeiro de 2017 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um filme é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.