Legba

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Legba, na África Ocidental, é um vodu precursor. É o vodu do bem e do mal. Geralmente instalado na entrada da aldeia, afasta todos os maus espíritos. É invocado antes de qualquer cerimônia, para garantir a calma e o bom andamento do ritual. É sempre representado em um montinho de terra e com atributos sexuais exorbitantes. [1] Entre os fon e os Éwé, Legba possui um aspecto eminentemente fálico, e seus iniciados, os Legbasi, transportam os sacra de Legba (assentamento), composto de uma complexa parafernália - na qual predominam cabaças e pequenas esculturas fálicas - para onde quer que forem e vestem uma saieta de ráfia tingida de roxo. Carregam ainda um falo esculpido em madeira (ogo), o qual, nas festas públicas, gostam de esfregar no nariz dos turistas. Legba pode ser encontrado em todos os templos, pois é ele quem abre o caminho para os demais voduns poderem atuar.

O Legba, guardião dos templos, das aldeias e casas particulares, montado na forma de um montículo de barro de onde sai um enorme falo ereto, é eminentemente uma entidade coletiva (Agbo-Legba), mas se conhece ainda um Legba feminino (Assi-Legba ou Legbayonu) que é montado e cultuado para proteger as mulheres e as crianças da comunidade. Mas, segundo os fon, a mulher de Legba é Awovi (cujo nome significa "filha do engano" e representa os acidentes), representada por uma estatueta de barro de aspecto feminino, sem cabeça e com os olhos no lugar dos seios, e a boca na altura da vagina. Normalmente é maior do que a representação de Legba. Minona (representação divinizada dos poder mágico atribuído às mulheres) e Ayizan são consideradas ora esposas, ora mães de Legba.

Embora introduza desordem e confusão no plano divino, Legba também abre caminho para uma nova ordem, mais dinâmica. Para os Fon do Benin, Legba é um desordeiro, que perturba a harmonia e semeia confusão, mas é reverenciado como um transformador e não visto como um mal.[2]

No Haiti[editar | editar código-fonte]

Veve de Papa Legba

No vodu haitiano, Papa Legba é o protetor do mundo espiritual e o mediador entre o homem e os Loa, que são os espíritos ou deuses menores. Ele está numa encruzilhada espiritual e dá (ou nega) a permissão para falar com os espíritos de Guinee. Acredita-se que fale todas as línguas humanas. Ele é sempre o primeiro e o último espírito invocado em qualquer cerimônia.

Denominações alternativas[editar | editar código-fonte]

  • Legba Atibon
  • Atibon Legba
  • Ati-Gbon Legba

Na cultura popular[editar | editar código-fonte]

O nome Legba foi utilizado no filme Encruzilhada (Crossroads), de 1986, como nome do demônio para quem a personagem Willie Brown vende sua alma para se tornar um grande bluesman. O filme faz analogia à lenda que diz que o conhecido bluesman Robert Johnson havia feito o mesmo. Este também aparece no filme.[3]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]