Luís Filipe Vieira

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Luís Filipe Vieira
Luís Filipe Vieira
Presidente do Benfica
Período 3 de novembro de 2003 - presente
Antecessor Manuel Lino Rodrigues Vilarinho
Sucessor Incumbente
Dados pessoais
Nascimento 22 de junho de 1949 (71 anos)
São Domingos de Benfica, Lisboa, Portugal
Nacionalidade português
Cônjuge Vanda Vieira
Profissão empresário

Luís Filipe Ferreira Vieira (Lisboa, São Domingos de Benfica, 22 de Junho de 1949) é um empresário e dirigente desportivo português[1], conhecido por ser presidente do clube Sport Lisboa e Benfica, desde 2003.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Luís Filipe Vieira foi eleito a 3 de Novembro de 2003 como 33.º presidente do Benfica.[2]

Empenhou-se no relançamento e reconstrução do clube, sendo um dos responsáveis pela construção do novo Estádio da Luz e pelo novo centro de estágios do Seixal.

Em 2016 tornou o clube no 21.º mais lucrativo da Europa.[3]

Durante os seus mandatos, a equipa principal de futebol do clube conquistou as Primeiras Ligas de 2004/2005, 2009/2010, 2013/2014, 2014/2015, 2015/2016 e 2016/2017 as Taças de Portugal de 2003/2004 e 2013/2014, as Taças de Liga de 2008/2009, 2009/2010, 2010/2011, 2011/2012, 2013/2014, 2014/2015 e 2015/2016, e as Supertaças Cândido de Oliveira de 2005 e 2014, e 2016 tendo sido por duas vezes consecutivas finalista vencido da Liga Europa de 2012/2013 e 2013/2014.

Foi reeleito para um segundo mandato a 27 de outubro de 2006. Três anos depois, a 3 de Julho de 2009, foi reeleito para um terceiro mandato, tendo vencido o seu adversário Bruno Costa Carvalho com 91,74% dos votos, depois de ter demitido a direção para provocar eleições antecipadas.

A 26 de outubro de 2012, Filipe Vieira foi reeleito presidente do Benfica com 83,02% dos votos, contra 13,83% de Rui Rangel e 3,15% de votos brancos.[4] Quarenta e dois dias depois, a 7 de dezembro, Vieira tornou-se no presidente com mais tempo de mandato na história do clube, ultrapassando Bento Mântua.

Em 2014, o clube alcançou um triplete inédito no futebol português ao ganhar a Primeira Liga, a Taça de Portugal e a Taça da Liga, sendo que repetiu a presença na final da Liga Europa da UEFA (visto que no ano anterior também lá tinha ido) e meses mais tarde ganhou a Supertaça Cândido de Oliveira, tendo vencido portanto todas as provas nacionais (feito inédito) num ano. A época 2014/15 foi particularmente bem-sucedida uma vez que o Benfica ganhou 64 títulos no total (1 internacional, 41 nacionais e 22 regionais) em desportos, escalões e géneros diferentes.[5]

Em 27 de outubro de 2016, foi reeleito presidente do SL Benfica para um quinto mandato, com 95,52% dos votos, não tendo tido adversários no acto eleitoral.[6]

A 19 de Janeiro de 2021 foi noticiado que testou positivo ao COVID-19 durante a pandemia de COVID-19 em Portugal, sendo um dos 17 elementos do clube aos quais os testes deram resultados positivos.[7]

Operação Lex[editar | editar código-fonte]

Em 2020, Filipe Vieira foi acusado do crime de recebimento indevido de vantagem, no contexto da Operação Lex, juntamente com 16 outros arguidos.[8] As circunstâncias desta acusação influenciaram a sua campanha de reeleição como presidente do Benfica, nomeadamente, através da exclusão do primeiro-ministro de Portugal, António Costa e do presidente da câmara municipal de Lisboa, Fernando Medina da sua comissão de honra. O dirigente declarou ainda a sua intenção de abandonar o cargo, caso seja condenado.[9][10] Paralelamente, é ainda arguido na Operação Saco Azul.[11]

Apesar da polémica em torno do dirigente, em 28 de outubro de 2020 foi reeleito para a presidência do clube encarnado, com cerca de 62% dos votos. No discurso de vitória, reiterou que seria o seu último mandato à frente do Benfica.[12]

Esta investigação debruçou-se sobre as atividades ilícitas de Rui Rangel (ex-juiz desembargador, demitido na sequência desta Operação),[13] acusado de montar um esquema para vender a sua influência em processos judiciais, com o apoio de vários advogados. O empresário José Veiga foi também acusado de ter pago centenas de milhares de euros para Rui Rangel o ajudar em alguns processos judiciais, um dos quais, um caso de fraude fiscal, em que tinha sido condenado.[9][10][14]

O presidente do Benfica foi acusado de ter usado a influência de Rangel para tentar resolver uma ação de uma sociedade do seu universo empresarial que estava pendente no Tribunal Administrativo e Fiscal de Sintra​. Esta acusação debruçou-se sobre a impugnação de um adicional de 1,6 milhões de euros exigidos pelas Finanças, a título de mais-valias. Luís Filipe Vieira foi acusado de ter pago a ajuda de Rangel com bilhetes para a bancada presidencial do Estádio da Luz, além de viagens e estadias para o então magistrado assistir a jogos do Benfica no estrangeiro.[9][10]

Em setembro de 2020, durante a sua campanha para reeleição do cargo de presidente do Benfica, Luis Filipe Vieira apresentou a sua comissão de honra, que incluía diversas personalidades relevantes, das quais se destacavam o primeiro-ministro de Portugal, António Costa, e o presidente da câmara municipal de Lisboa, Fernando Medina.[15] Perante as várias críticas dirigidas a ambos,[16][17] pelo seu apoio ao dirigente (nomeadamente, por este estar a ser investigado numa operação criminal de grande mediatismo),[18] incluíndo o Presidente da República Portuguesa, Marcelo Rebelo de Sousa,[19] ambos foram excluídos desta comissão.[9][10]

Palmarés no Benfica[editar | editar código-fonte]

Palmarés no Benfica (Futebol, principais modalidades de pavilhão e Atletismo — apenas títulos oficiais e em seniores [1ª divisão] masculinos):

Referências

  1. «Estado tem a receber mais de 72 milhões de euros de construtora falida». www.sabado.pt. Consultado em 18 de setembro de 2020. Cópia arquivada em 15 de dezembro de 2018 
  2. PÚBLICO. «Benfica convoca eleições para 26 de Outubro». PÚBLICO. Consultado em 18 de setembro de 2020. Cópia arquivada em 1 de maio de 2018 
  3. «Cópia arquivada» (PDF). Consultado em 27 de março de 2016. Cópia arquivada (PDF) em 4 de março de 2016 
  4. «Cópia arquivada». Consultado em 26 de outubro de 2012. Cópia arquivada em 29 de outubro de 2012 
  5. «Ecletismo...Sempre!». S.L. Benfica. 26 de junho de 2015. Consultado em 24 de junho de 2015. Cópia arquivada em 8 de abril de 2016 
  6. «Luís Filipe Vieira reeleito presidente do Benfica, 27.10.2016». Consultado em 5 de março de 2017. Cópia arquivada em 6 de março de 2017 
  7. «Luís Filipe Vieira testou positivo à Covid-19». Record. 19 de Janeiro de 2021. Consultado em 1 de Fevereiro de 2021 
  8. Oliveira, Mariana. «Dois ex-juízes, antigo presidente da Relação de Lisboa e líder do Benfica acusados na "Operação Lex"». PÚBLICO. Consultado em 18 de setembro de 2020. Cópia arquivada em 18 de setembro de 2020 
  9. a b c d «Tribuna Expresso | Luís Filipe Vieira retira António Costa, Fernando Medina e todos os "os titulares de cargos públicos" da comissão de honra». Tribuna Expresso. Consultado em 18 de setembro de 2020. Cópia arquivada em 17 de setembro de 2020 
  10. a b c d Ferreira, Marta Leite. «Vieira retira Costa e Medina da comissão de honra e promete: "Se for condenado, sairei pelo meu pé do Benfica"». Observador. Consultado em 18 de setembro de 2020 
  11. Trigueirão, Sónia. «Luís Filipe Vieira arguido em dois processos. Benfica está envolvido em seis casos judiciais». PÚBLICO. Consultado em 18 de setembro de 2020. Cópia arquivada em 18 de setembro de 2020 
  12. «Vieira reeleito em votação histórica: ″Espero que respeitem os resultados″ - JN». www.jn.pt. Consultado em 29 de outubro de 2020 
  13. Lusa, Agência. «Supremo Tribunal rejeita recurso de Rui Rangel e confirma demissão da magistratura». Observador. Consultado em 18 de setembro de 2020. Cópia arquivada em 27 de julho de 2020 
  14. «Tribuna Expresso | Operação Lex. Luís Filipe Vieira entre os 17 acusados. Três são juízes». Tribuna Expresso. Consultado em 18 de setembro de 2020. Cópia arquivada em 18 de setembro de 2020 
  15. «De António Costa a Cristina Ferreira. Comissão de Honra de Vieira tem mais de 500 nomes». zap.aeiou.pt. Consultado em 18 de setembro de 2020. Cópia arquivada em 16 de setembro de 2020 
  16. Renascença (12 de setembro de 2020). «Oposição critica Costa por integrar comissão de honra de Luís Filipe Vieira - Renascença». Rádio Renascença. Consultado em 18 de setembro de 2020. Cópia arquivada em 15 de setembro de 2020 
  17. «SIC Notícias | Costa reage às críticas por estar na comissão de honra de Vieira». SIC Notícias. Consultado em 18 de setembro de 2020. Cópia arquivada em 12 de setembro de 2020 
  18. «Ana Gomes critica Costa por apoiar Presidente do Benfica». www.sabado.pt. Consultado em 18 de setembro de 2020. Cópia arquivada em 16 de setembro de 2020 
  19. «Marcelo pressiona Costa a sair da comissão de honra de Luís Filipe Vieira». zap.aeiou.pt. Consultado em 18 de setembro de 2020. Cópia arquivada em 18 de setembro de 2020 
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço relacionado ao Projeto Biografias. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.