Missionário José Olímpio

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Missionário José Olímpio
José Olímpio Silveira Moraes
Missionário José Olímpio
Deputado federal por São Paulo
Período - 1 de fevereiro de 2011 até 31 de janeiro de 2015
- 1 de fevereiro de 2015 até atualidade
Vereador de São Paulo
Período - 1999 até 2000
- 2001 até 2004
- 1 de janeiro de 2009
até 31 de janeiro de 2011
Vereador de Itu
Período - 1982 até 1988
- 1989 até 1992
- 1993 até 1996[1]
Dados pessoais
Nascimento 11 de dezembro de 1956 (60 anos)[1]
Itu, SP[1]
Nacionalidade  Brasileiro
Progenitores Mãe: Ignacia Silveira Arruda[1]
Pai: Vicente Silveira Moraes[1]
Alma mater Faculdade de Direito de Itapetininga
Partido DEM

José Olímpio Silveira Moraes (Itu, 11 de dezembro de 1956)[1], mais conhecido como José Olímpio é um político brasileiro, ligado à Igreja Mundial do Poder de Deus[2] e filiado ao Democratas (DEM)[1], sendo deputado federal por São Paulo em seu segundo mandato.[3]

Biografia[editar | editar código-fonte]

José Olímpio é um dos citados na Operação Lava Jato como beneficiário de dinheiro ilícito da Petrobras, segundo informação encaminhada pelas investigações.[4]

Foi um dos 71 deputados que, em 27 de maio de 2015, alterou seu voto sobre o financiamento privado das eleições no Brasil, dado no dia anterior. Na terça, 26 de maio, em sessão do Congresso, José Olímpio votou contra o financiamento privado das eleições no Brasil. No dia 27, sem explicações maiores e após o presidente da câmara recolocar o tema em votação, votou a favor.

Pertenceu ao MDB, PMDB, em 2007 ingressou no PP e em 2016 se filiou ao Democratas (DEM).

Votou a favor do Processo de impeachment de Dilma Rousseff.[5] Já durante o Governo Michel Temer, votou a favor da PEC do Teto dos Gastos Públicos.[5] Em abril de 2017 foi favorável à Reforma Trabalhista.[5] [6] Em agosto de 2017 votou contra o processo em que se pedia abertura de investigação do então presidente Michel Temer, ajudando a arquivar a denúncia do Ministério Público Federal.[5][7]

Desempenho em eleições[editar | editar código-fonte]

Ano Eleição Coligação Partido Candidato a Votos Votos em Itu Resultado
1982 Municipal de Itu PMDB PMDB Vereador 488 (12º) Eleito[8]
1988 Municipal de Itu PMDB PMDB Vereador 847 (2º) Eleito[8]
1992 Municipal de Itu PMDB PMDB Vereador 775 (6º) Eleito[8]
1996 Municipal de São Paulo PMDB PMDB Vereador Suplente[8]
2000 Municipal de São Paulo PMDB, PFL PMDB Vereador 30.095 (19º)
(São Paulo)
Eleito[9]
2004 Municipal de São Paulo PSB, PMDB PMDB Vereador 6.445 (153º)
(São Paulo)
Suplente[9]
2006 Estadual de São Paulo PMDB PMDB Deputado Estadual 35.549 (144º) 2.329 (5º) Suplente[9]
2008 Municipal de São Paulo PP PP Vereador 28.921 (40º)
(São Paulo)
Eleito[9]
2010 Estadual de São Paulo PP PP Deputado Federal 160.813 (26º) 1.499 (8º) Eleito[9]
2014 Estadual de São Paulo PMDB, PROS, PP, PSD PP Deputado Federal 154.597 (29º) 6.540 (4º) Eleito[9]

Referências

  1. a b c d e f g «MISSIONÁRIO JOSÉ OLIMPIO - PP/SP». Câmara dos Deputados do Brasil. Consultado em 27 de junho de 2013 
  2. «A Confiança em Deus / Missionário José Olimpio». Igreja Mundial do Poder de Deus. Consultado em 27 de junho de 2013 
  3. Fernando Rodrigues. «Missionário José Olimpio (2010)». UOL. Consultado em 27 de junho de 2013 
  4. «Saiba quais indícios motivaram investigação de políticos na Lava Jato». G1. 6 de março de 2015. Consultado em 7 de março de 2015. Missionário José Olímpio (PP-SP) (...) De acordo com o doleiro, os parlamentares e ex-parlamentares faziam parte do grupo de menor expressão dentro do PP, que recebia repasses mensais entre R$ 30 mil e R$ 150 mil da "cota" da legenda no esquema de corrupção que atuava dentro da Petrobras 
  5. a b c d G1 (2 de agosto de 2017). «Veja como deputados votaram no impeachment de Dilma, na PEC 241, na reforma trabalhista e na denúncia contra Temer». Consultado em 11 de outubro de 2017 
  6. Redação (27 de abril de 2017). «Reforma trabalhista: como votaram os deputados». Consultado em 18 de setembro de 2017 
  7. Carta Capital (3 de agosto de 2017). «Como votou cada deputado sobre a denúncia contra Temer». Consultado em 18 de setembro de 2017 
  8. a b c d Seade (26 de abril de 1996). «Eleição em família vira marca de Itu-SP». Consultado em 2 de junho de 2017 
  9. a b c d e f Seade (2 outubro de 2016). «Maria do Carmo Thomaz Piunti». Consultado em 2 de junho de 2017 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre um político brasileiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.