Morning Glory (filme de 2010)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Morning Glory
Manhãs Gloriosas[1] (PRT)
Uma Manhã Gloriosa[2] (BRA)
Cartaz do filme, com Rachel McAdams à frente
 Estados Unidos
2010 •  cor •  107 min 
Direção Roger Michell
Produção J. J. Abrams
Bryan Burk
Roteiro Aline Brosh McKenna
Elenco Rachel McAdams
Harrison Ford
Diane Keaton
Gênero filme de comédia
filme de drama
filme de romance
Música David Arnold
Cinematografia Alwin H. Kuchler
Edição Dan Farrell
Nick Moore
Steven Weisberg
Companhia(s) produtora(s) Bad Robot Productions
Distribuição Paramount Pictures
Lançamento Estados Unidos 10 de novembro de 2010
Portugal 24 de março de 2011
Brasil 1 de abril de 2011
Idioma inglês
Orçamento US$40 milhões[3]
Receita US$58,785,180[4]
Site oficial
Página no IMDb (em inglês)

Morning Glory (bra: Uma Manhã Gloriosa; prt: Manhãs Gloriosas) é um filme de comédia romântica e dramática estadunidense de 2010 dirigido por Roger Michell, escrito por Aline Brosh McKenna e produzido por J. J. Abrams e Bryan Burk.[5] É estrelado por Rachel McAdams, Harrison Ford e Diane Keaton, com Patrick Wilson e Jeff Goldblum aparecendo em papéis coadjuvantes.[6] O enredo gira em torno da jovem e dedicada produtora de televisão da manhã Becky Fuller (McAdams), que é contratada como produtora executiva no matinal DayBreak em uma outrora proeminente, mas atualmente deficiente estação em Nova York. Ansiosa para manter o programa no ar, ela contrata um ex-jornalista e âncora de notícias (Ford), que desaprova a co-apresentadora em um show que não lida com notícias reais.

Depois de alguns atrasos, o filme foi lançado nos Estados Unidos em 10 de novembro de 2010, e no exterior em 2011. Isto marca a primeira vez que a Bad Robot Productions produziu um filme de comédia. Ele recebeu críticas mistas e teve um sucesso moderado em uma bilheteria arrecadando mais de $59 milhões em todo o mundo.[7] A canção tema do filme é "Strip Me", de Natasha Bedingfield. Estreou nos Estados Unidos em 10 de Novembro de 2010. Em Portugal, foi lançado no dia 24 de Março de 2011 e no Brasil no dia 1º de Abril de 2011.[carece de fontes?]

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Becky Fuller (Rachel McAdams) é uma jovem e batalhadora produtora de TV que fora demitida de um programa local de notícia. Ela é então contratada como produtora executiva de um programa matinal chamado "Daybreak", que ocupa o último lugar na classificação nacional. Para fazer subir a audiência, Fuller resolve contratar o lendário âncora de televisão Mike Pomeroy (Harrison Ford). Pomeroy, porém, se recusa a reportar assuntos comuns dos programas matinais e entra em conflito aberto com a coapresentadora do programa, Coleen Peck (Diane Keaton), e com todos em seu redor.[2]

Elenco[editar | editar código-fonte]

  • Rachel McAdams como Becky Fuller, a nova produtora executiva de DayBreak, a décima quarta em 11 anos, desafiada com a melhoria da audiência do show.
  • Harrison Ford como Mike Pomeroy, um jornalista e âncora de notícias sérias que já trabalhou na televisão por mais de quarenta anos. Ele é infeliz por ter de co-sediar um show que não lida com notícias reais.
  • Diane Keaton como Colleen Peck, a apresentadora do DayBreak nos últimos 11 anos, tempo em que ela passou por vários co-anfitriões e produtores executivos.
  • Patrick Wilson como Adam Bennett, outro produtor no IBS, que começa a namorar Becky. Ele mostra a frustração em sua falta de vontade de tomar algum tempo longe do seu trabalho.
  • John Pankow como Lenny Bergman, o produtor sênior de longo prazo do show.
  • Jeff Goldblum como Jerry Barnes, um executivo da rede, ele faz as tarefas de Becky transformando o show em torno da audiência.
  • Matt Malloy como Ernie Appleby, o meteorologista do DayBreak.
  • Ty Burrell como Paul McVee, o co-apresentador do programa, no início do filme. Becky imediatamente é acionado por causa de seu efeito negativo sobre a moral do pessoal.
  • Patti D'Arbanville como Sra. Fuller, mãe de Becky.
  • Curtis "50 Cent" Jackson, Lloyd Banks, e Tony Yayo como eles mesmos.
  • Chris Matthews, Morley Safer, Jonathan Bennett, Bob Schieffer, e Elaine Kaufman fazem aparições rápidas.

Produção[editar | editar código-fonte]

A premissa do filme foi parcialmente inspirada em The Sunshine Boys de Neil Simon, onde o papel de Harrison Ford era semelhante a de Clark enquanto o papel de Diane Keaton era semelhante a Lewis e papel de Rachel McAdams era semelhante ao sobrinho de Clark, Ben. A roteirista Aline Brosh McKenna e produtor J. J. Abrams "sonhavam em ter Harrison Ford no filme" sob o ponto de desenvolvimento do roteiro inicial.[carece de fontes?] Pouco depois de Abrams conseguir Harrison Ford como Mike Pomeroy no elenco, Roger Michell assumiu como diretor.[8]

Apesar de suas longas carreiras em Hollywood, Keaton e Ford nunca tinham se encontrado antes de Morning Glory. [9] Harrison Ford explicou: "Estamos trabalhando no mesmo negócio, em diferentes ramos do negócio. Ela estava no ramo intelectual e eu estava na gestão, pulando e caindo no ramo. Então, nós nunca tivemos a oportunidade de trabalhar juntos. Mas foi um verdadeiro prazer de finalmente ter essa oportunidade."[carece de fontes?] Morning Glory marcou o segundo filme de Keaton e McAdams juntas. Elas já coestrelaram a comédia dramática de 2005 The Family Stone.

Música[editar | editar código-fonte]

A música-tema do filme é "Strip Me" de Natasha Bedingfield. A canção chamada "Same Changes" de The Weepies foi gravada exclusivamente para o filme.[10] David Arnold também compôs a trilha sonora. Nenhuma trilha sonora oficial foi lançada, embora as seguintes canções foram usadas no filme:[carece de fontes?]

Recepção[editar | editar código-fonte]

Bilheteria[editar | editar código-fonte]

O filme foi originalmente programado para ser lançado em 30 de julho de 2010, nos EUA. Em seguida, foi adiado para 12 de novembro, 2010.[11] Finalmente, Paramount Pictures mudou a data de lançamento para 10 de novembro de 2010.[12] Em sua semana de abertura, Morning Glory ganhou cerca de $12 milhões nas bilheterias norte-americanas, que foi considerado um resultado ruim para um filme com grandes estrelas como Keaton e Ford. Na quarta-feira de 10 de novembro de 2010, ele estreou em terceiro atrás de Due Date e Megamind, embora no dia seguinte, desceu para quarto quando For Colored Girls vencê-lo e avançou para terceiro. Ele continuou a mudar de número cinco para o número quatro várias vezes, até 19 de novembro, quando ele desceu para o número seis. De 19 novembro - 24 novembro, ele ficou número seis, até que finalmente a descer para o número dez. Ficou em cartaz até 20 de janeiro de 2011.[13] Em última análise, o filme ganhou mais de $31 milhões nos Estados Unidos, e mais $27 milhões internacional para um total mundial de quase $59 milhões.[4]

Recepção da crítica[editar | editar código-fonte]

Morning Glory tem recepção mista por parte da crítica especializada. Com o tomatometer de 55% em base de 170 críticas, o Rotten Tomatoes chegou ao consenso: "É levantada por performances afáveis de seu elenco impecável e muitas vezes é encantador - mas Morning Glory também é inconsistente e derivado". Por parte da audiência do site tem 51% de aprovação.[14]

Portal A Wikipédia tem os portais:

Referências

  1. «Manhãs Gloriosas». Portugal: SapoMag. Consultado em 22 de novembro de 2018 
  2. a b «Uma Manhã Gloriosa». Brasil: AdoroCinema. Consultado em 22 de novembro de 2018 
  3. Fritz, Ben (11 de novembro de 2010). «Movie Projector: 'Unstoppable' seeks to derail 'Megamind' as 'Morning Glory' looks dim». Los Angeles Times. Tribune Company. Consultado em 13 de novembro de 2010 
  4. a b Morning Glory (em inglês) no Box Office Mojo
  5. Fleming, Michael (6 de abril de 2009). «Keaton, Goldblum join 'Glory'». Variety. Consultado em 18 de junho de 2009 
  6. Fleming, Michael (6 de abril de 2009). «Keaton, Goldblum join 'Glory'». Variety (em inglês). Consultado em 18 de junho de 2009 
  7. http://www.rottentomatoes.com/m/morning-glory-2010/
  8. «Morning Glory Official Movie Site: Production Notes». Consultado em 23 de janeiro de 2011 
  9. "The time of their lives" Arquivado em 16 de novembro de 2010, no Wayback Machine.. USA Weekend. Retrieved November 24, 2010.
  10. «The Weepies, 'Same Changes': An EW exclusive song from the upcoming movie 'Morning Glory'». Entertainment Weekly. Time. Consultado em 14 de novembro de 2010 
  11. Brown, Audrey (April 6, 2010). Script Bits - Mavericks, Morning Glory, and The Three Musketeers. FiveSprockets.com. Retrieved November 24, 2010.
  12. (October 21, 2010). Paramount Shifts 'Morning Glory' Release Date to Nov. 10. The Hollywood Reporter. Retrieved November 24, 2010.
  13. Brooks Barnes. 'Megamind' Remains a Box-Office Hero. The New York Times. Retrieved November 24, 2010.
  14. «Morning Glory» (em inglês). Rotten Tomatoes. Consultado em 6 de fevereiro de 2014 
Ícone de esboço Este artigo sobre um filme estadunidense é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.