Mosaico na TV

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Este artigo é sobre o programa de televisão. Para a transmissão simultânea, veja Mosaico (Televisão).
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde dezembro de 2009). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Mosaico na TV
Informação geral
Formato Religioso
Gênero Aprendizado judaico
Duração 50 minutos (aprox.)
Criador(es) Francisco Gotthilf
País de origem  Brasil
Idioma original Língua portuguesa
Produção
Apresentador(es) Vanessa Reis
Localização São Paulo, SP
Exibição
Emissora de televisão original TV Excelsior (1961-1970)
Rede Tupi e TV Cultura (1970-1978)
TV Gazeta (1978-2000)
Canal 9 da NET e Canal 186 da Vivo TV (desde 2000)
Transmissão original 16 de julho de 1961 – presente

O Mosaico na TV é um programa de televisão brasileiro exibido nos canais 9 da NET e 186 da Vivo TV. É exibido desde 16 de julho de 1961, sendo o programa mais antigo da televisão brasileira ainda em exibição, seguido pelo Programa Silvio Santos. É um programa voltado à comunidade judaica da cidade de São Paulo.

História[editar | editar código-fonte]

Emissoras[editar | editar código-fonte]

Foi exibido primeiramente na TV Excelsior, mas com a extinção da emissora em 1970, o programa passou a ser exibido nas emissoras TV Cultura e TV Tupi, de 1970 a 1978. Com os problemas financeiros da Tupi, passou a ser exibido na TV Gazeta São Paulo, mas quando se afiliou à Rede CNT, em 1992, passou a ser exibido na CNT Gazeta até 2000, foi quando o programa de TV aberta passa a ser exclusivo para os assinantes de TV à cabo da NET e Vivo TV.

Produção[editar | editar código-fonte]

Baseado no programa de rádio com o nome de Mosaico, era dirigido por Álvaro de Moya, juntamente com o criador do programa Francisco Gotthilf

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Contém uma linha editorial pluralista com forte direcionamento cultural, o programa sempre recebeu convidados de diferentes religiões, bem como de todos os setores da comunidade Judaica, funcionando, de acordo com Francisco Gotthilf, seu idealizador, como uma ponte pelo entendimento e contra o preconceito.

Na época em que o programa comemorou 47 anos de exibição, no ano de 2008, a produtora Videcom lançou um documentário sobre a história do programa e de seu criador chamado de "Sr. Mosaico", como parte de um projeto que incluiu um livro e a digitalização de todo o acervo audiovisual do programa (que foi doado para o Arquivo Histórico Judaico de São Paulo).

Personalidades[editar | editar código-fonte]

Principais nomes citados por Francisco Gotthilf
Principais repórteres

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]