Mr. Eko

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde fevereiro de 2010). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)


Eko
Personagem de Lost
Adewalegfdl.PNG
Adewale Akinnuoye-Agbaje interpretou Mr. Eko
Nome Mr. Eko
Residência
formal
Nigéria
Profissão (Formal) Padre/mercenário
Interpretado por(s) Adewale Akinnuoye-Agbaje
Projeto Lost

Mr. Eko é um personagem fictício do seriado norte-americano de suspense/drama Lost da ABC interpretado por Adewale Akinnuoye-Agbaje.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

Antes da queda do voo 815 da Oceanic[editar | editar código-fonte]

Antes de chegar à ilha, Eko era um cruel senhor da guerra na Nigéria, conhecido pela sua falta de compaixão e maldade. Ele foi arrastado para esta vida muito cedo, quando umas guerrilhas atacaram a vila dele em busca de novos recrutas. Fazendo um idoso refém, os guerrilheiros ordenaram ao irmão mais novo de Eko, Yemi, que o matasse. Quando Yemi hesita, os guerrilheiros ameaçam mata-lo também se não o fizer, para salvar a vida do irmão Eko pega na arma e mata o idoso. Impressionados, os guerrilheiros levam Eko consigo, arrancando-lhe antes de partirem a cruz que ele tinha no pescoço.

Anos mais tarde, depois de se ter tornado o líder do grupo guerrilheiro, Eko adquire uma grande quantidade de heroína, que tenciona depois contrabandear para fora do país. Sabendo que a maneira mais segura de o fazer é usando os privilégios dados aos grupos missionários, Eko regressa à sua antiga aldeia onde o seu irmão se tinha tornado padre. Lá pede ao irmão que o ajude no contrabando da droga, pedindo uma grande quantidade de estátuas de Virgem Maria e o uso do avião da sua missão. Como recompensa, Eko oferece-lhe uma grande quantidade de dinheiro para ele usar em vacinas para a sua aldeia. Embora tentado, Yemi recusa. Algum tempo depois, Eko regressa com uma segunda proposta. Yemi assina uns papéis que fariam de Eko e os seus homens padres ou então vê a sua igreja a ser arrasado pelo fogo. Yemi é obrigado a concordar.

Quando está tudo pronto, Eko e os seus homens estão no hangar vestidos como padres. Enquanto estão a carregar o avião, um Beechcraft 18, Yemi aparece para tentar convencer o seu irmão a desistir. Momentos depois chegam os militares, que tinham sido avisados pelo próprio Yemi, para prender os contrabandistas. Os homens de Eko e ele tentam entrar no avião, mas um dos homens trai Eko e faz Yemi refém levando-o para o interior do avião e impedindo a entrada de Eko. À medida que o avião parte, os militares chegam perto do carro de Yemi. Confundindo Eko pelo padre que fez a denúncia, eles deixam que ele parta em liberdade.

Ao retornar à igreja onde seu irmão era o padre, Eko assume o lugar deste. Logo fica sabendo do acordo que Yemi tinha com a milícia local: 80% das vacinas recebidas seriam entregues ao grupo em troca de proteção. Revoltado com a situação, Eko busca revertê-la utilizando seus contatos no mercado negro. No entanto é descoberto e amarrado dentro da igreja para que seus braços sejam cortados como punição. Eko, então, reaje e à sangue-frio mata todos os envolvidos. Após o ocorrido, parte para Londres, em viagem de estudos religiosos programada para Yemi sobre os olhares de reprovação de toda a comunidade local, que trata de fechar para sempre a igreja que foi profanada.

Algum tempo depois, encontramos Eko a servir como padre num igreja australiana a receber a confissão de um homem que na realidade está ali para lhe arranjar um passaporte falso para que ele possa viajar para Los Angeles. É-lhe pedido para investigar um suposto milagre, a aparente ressurreição de uma jovem mulher que se tinha afogado. Eko visita o médico legista que lhe mostra uma cassete do procedimento da autópsia.

Mais tarde ele visita a casa da mulher, Charlote, e encontra o pai dela, Richard Malkin, que lhe diz que o “milagre” é apenas uma tentativa do médico legista disfarçar a sua incompetência. Richard é o psíquico que disse a Claire para viajar para Los Angeles, e admite a Eko que ele é uma fraude.

No aeroporto em Sydney, antes de embarcar no Oceanic 815, Eko encontra Charlotte, que lhe diz que viu o irmão dela. Eko diz-lhe agitado para ela não brincar com o assunto mas ela mantêm o que disse e que o irmão lhe disse para ele que tenha fé.

Na Ilha[editar | editar código-fonte]

Na ilha, Eko é um dos sobreviventes da secção da cauda, e é o primeiro a voltar para a água na tentativa de salvar mais gente. É também quem retira os corpos da água daqueles que não sobreviveram.. Quando os sobreviventes são atacados pelos Outros, ele está entre aqueles que eles queriam raptar. Mas ao contrário dos outros, Eko consegue lutar e durante a luta mata dois deles. Perturbado e triste com o que fez, embora em legitima defesa, Eko fica em silencio durante os 40 dias seguintes, fazendo durante esse período um cajado que adorna com referências da bíblia (ao qual Charlie se refere como o “Jesus Stick”).

Eko torna-se simultaneamente no músculo e alma dos sobreviventes da cauda. A sua força é bem demonstrada quando apenas com uma mão ele derruba Sawyer, Michael e Jin quando os confundiram com os misteriosos atacantes. No entanto, ele também fala em defesa do trio, não concordando muitas vezes com as decisões de Ana-Lucia. Também é o primeiro a ajudá-los, como demonstra quando não deixa Jin ir sozinho à procura de Michael que tinha ido atrás de Walt.

Depois de começarem a sua caminhada em direcção ao acampamento dos outros sobreviventes, Eko torna-se essencial quando os grupos se encontram em circunstancias verdadeiramente trágicas. Depois de Ana-Lucia ter matado Shannon e feito Sayid refém, Eko a enfrenta e deixa a para trás para carregar nas costas um Sawyer à beira da morte até Jack.

Já no bunker, Eko conhece Locke, ao qual conta sobre a morte de Shannon. Jack ouve e começa a se preparar para ir atrás dos assassinos. Não querendo ver mais derrame de sangue Eko pára Jack e diz-lhe que o leva até ao seu grupo se ele prometer não levar armas.

Mais tarde quando Locke mostra a Eko o filme de orientação de Estação 3 da Dharma Initiative, este revela-lhe que tinha encontrado um pedaço de filme noutro bunker. Este pedaço de filme tinha sido retirado do filme de orientação e estava escondido numa bíblia.

Depois de descobrir por Claire que Charlie tem uma estátua da Virgem Maria, ele vai ter com Charlie e obriga-o a levá-lo até ao avião. Enquanto percorrem a floresta, o monstro aparece e vai em direcção a Eko. Destemido, Eko não se move e enfrenta-o, este não o ataca e retrocede para o interior da floresta. Imperturbado pelo encontro Eko continua até chegar com Charlie ao avião, o mesmo que ele ia usar na Nigéria.

No seu interior, Eko encontra o corpo do seu irmão, e, como que fechando o círculo, retira do pescoço dele a cruz que os guerrilheiros lhe tinham arrancado do pescoço e atirado ao chão e que o irmão tinha apanhado e passado a usar desde essa altura.

Ele e Charlie queimam o avião e enquanto o observam a arder recitam o Salmo 23.

Depois de Charlie ter o que parecem ser sonhos proféticos e visões de Aaron em perigo Eko baptiza Claire e Aaron.

No episódio Maternity Leave, Eko descobre Henry Gale e obriga Jack a permitir um encontro com ele. Ele diz a Henry que está arrependido de matar os dois homens que o tentaram arrastar da praia. Ele então prossegue e corta os dois pedaços de barba que tinha deixado crescer e dá ao Henry.

Mais tarde, Charlie encontra Eko a cortar árvores para construir algum tipo de estrutura. Charlie brinca a perguntar se vai ser um Starbucks mas Eko ignora e diz que com o tempo vai descobrir. Charlie passa a ajudar Eko e mais tarde descobrimos que se trata de um igreja.

Em ? Eko sonha que Ana-Lucia, a qual ainda não sabia que tinha morrido, e Yemi lhe pedem para ajudar John porque ele está a perder a fé. Yemi diz-lhe que ele tem de perguntar a Locke sobre o “ponto de interrogação” e que embora Locke não lhe vá querer dizer ele tem de insistir.

Quando acorda, Eko vai até à escotilha onde se depara com a tragédia que tinha acontecido. Ele pede a Locke que o acompanhe na busca de Henry, que tinha escapado. Na realidade Eko quer que John o leve ate ao ponto de interrogação, embora nem sequer saiba o que isso é. Quando Locke não coopera Eko dá-lhe uma cabeçada que o deixa inconsciente. Quando acorda, Locke mostra-lhe o mapa que desenhou do que viu na parede durante o Lockdown. No centro do mapa está um enorme ponto de interrogação, e Eko percebe que eles têm de ir até lá.

Embora a fé de Locke na ilha esteja a fraquejar, ele admite a Eko que teve um sonho onde Yemi aparecia, pedindo-lhe para escalar a colina onde o Beechcraft estava. Eko assim o faz e quando olha para o chão onde estava e onde Locke se encontra, ele vê o desenho de um ponto de interrogação gigante. Quando desce e inspecciona o chão, descobre outra escotilha.

Eko e Locke entram nela – de nome Pérola (Pearl) – que tem vários monitores de televisão. Eles assistem a um vídeo que explica que o seu objectivo é verificar se os membros das outras escotilhas estão a cumprir o seu objectivo, uma “experiência psicológica” porque na verdade os objectivos são insignificantes.

Embora Locke fique devastado com a revelação, Eko esta rejuvenescido por ela. Ele diz a Locke que o que ele sempre acreditou ainda pode ser verdade. Explica-lhe as circunstancias extraordinárias de ele se ter despenhado na mesma ilha que o irmão e o sonho de Yemi a falar-lhe do “?”. Eko acredita que a ilha e o botão realmente significam algo e diz a Locke que se ele não continuar a pressionar a tecla que ele próprio o fará.

No episódio seguinte, Eko mantêm a palavra. Ele deixa a construção da igreja e muda-se para a escotilha para assumir o seu papel, que ele acredita ser de grande importância.

Em Live Together, Die Alone Locke aproxima-se de Eko e ordena-lhe que ele pare de carregar no botão. Quando Eko se recusa, Locke tenta destruir o computador, mas Eko esmurra-o na cara e expulsa-o da escotilha. Algum tempo mais tarde, Eko deixa o computador para ir investigar uma estranha diminuição na luz, era uma armadilha de Locke e Desmond para o afastar da sala, Desmond força um lockdown e as portas de segurança fecham-se deixando Locke e Desmond na sala e Eko sem acesso a ela.

Eko sai a escotilha e vai pedir ajuda a Charlie. Apesar de Charlie estar chateado com ele por ter abandonado a ele e a construção da igreja, Eko convence-o que algo de terrível irá acontecer se o botão não for carregado. Charlie leva Eko até ao resto da dinamite que foi usada para explodir a entrada da escotilha. Os dois voltam para a escotilha, Eko coloca-a numa das portas de segurança e acende o rastilho.

Depois da explosão Eko fica inconsciente e é acordado por Charlie alguns minutos depois. A dinamite não fez nada às portas. Pouco depois elas abrem porque Desmond acabou com o lockdown. Nesta altura o botão não foi carregado, o temporizador já passou o zero e uma força electromagnética está literalmente a destruir a escotilha. Eko diz a Charlie para sair enquanto que ele vai atrás de Locke, quando o encontra este apenas lhe diz “Estava errado.”.

Após a explosão da escotilha, no episódio "Further Instructions", Eko desaparece, e cabe a John Locke procurá-lo. Locke segue à trilha de um dos ursos polares que vivem na ilha, que teria levado o padre até o seu esconderijo. Ao encontrar o local, John enfrenta o urso, afastando-o com fogo e assim resgatando Eko, que está muito ferido e inconsciente. Eko então é levado por Locke e Charlie de volta à praia.

Em "The Cost of Living", algum tempo depois de ser resgatado, Eko é acordado na cabana onde repousa por uma visão de seu irmão que lhe diz, com um isqueiro aceso em mãos que é chegada a hora de se confessar. Assim que a aparição some, misteriosamente a barraca começa a pegar fogo. Eko é socorrido por Charlie e Hurley, que o deixam deitado na areia. Neste breve momento em que Charlie tenta explicar a Locke e Sayid o que houve, Eko mais uma vez desaparece.

Após a visão, Eko, mesmo claramente debilitado, segue em direção ao avião onde está o corpo de Yemi. No caminho, é atingido por mais uma visão, desta vez ao ver os homens que matou dentro da igreja de seu irmão. Ao reagir da mesma maneira que antes, o padre vê seu antigo coroinha daquele vilarejo, que também lhe diz que é chegada a hora de se confessar. Logo depois desta segunda visão, encontra um pequeno grupo liderado por Locke que vai para o mesmo lugar, a fim de encontrar alguma forma de comunicação nos computadores da escotilha Pérola.

Ao chegar na marca da interrogação, Sayid, Desmond, Nikki e Paulo descem a escotilha. Eko, acompanhado de Locke, procura o corpo de Yemi dentro do avião. Antes disso, Locke pergunta a ele o que viu quando encarou a fumaça negra. A resposta revela que, ao contrário de John, o que Eko viu não era nada bonito.

Eko não encontra o corpo de seu irmão. Locke, antes de entrar na escotilha Pérola, lhe devolve o crucifixo que encontrou quando o procurava. Eko, agora sozinho na superfície, novamente vê Yemi e o segue até um campo. Ali, a visão pergunta se ele está pronto para a confissão. O padre então se ajoelha e revela que jamais se arrependeu de tudo o que fez para proteger seu irmão. A visão então lhe diz que não é o seu irmão, sumindo e retornando como a fumaça negra que Eko já havia encontrado outra vez.

A fumaça ataca e joga Eko contra as arvores e o chão. Quando o grupo que estava na Pérola retorna, o encontra caído, à beira da morte. Locke se aproxima, e antes de fechar os olhos de Eko pela última vez, ouve suas últimas palavras: "Vocês são os próximos.".