Nabopolassar

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Nabopolassar
Rei da Babilônia
Rei da Suméria e Acádia
Rei do Universo
Cilindro de Nabopolassar.
Reinado 626 – 605 a.C.
Antecessor(a) Sinsariscum
Sucessor(a) Nabucodonosor II
Nascimento século VII a.C.
Morte c. 605 a.C.
  Babilônia
Dinastia caldeia
Pai Nabucodonosor de Uruque (?)
Ocupação soberano
Filho(s) Nabucodonosor II, Nabusumalisir
Religião antiga religião mesopotâmica

Nabopolassar (em acádio: Nabopolassar in Akkadian.png; romaniz.: Nabu-apla-usur , lit. "Nabu, proteja o filho") foi o fundador e primeiro rei do Império Neobabilônico, reinando de 626 a 605 a.C.

História[editar | editar código-fonte]

Origem[editar | editar código-fonte]

De origem obscura, Nabopolassar foi um líder caldeu que se ergueu contra o despótico domínio da Assíria, aproveitando-se da morte de Assurbanípal, em 627 a.C. e de Candalanu, o rei-títere que governava Babilônia. O vazio de poder criado por essas mortes, permitiu-lhe fazer crescer suas forças e adotar uma conduta audaciosa, lançando-se, exitosamente, contra as cidades assírias de Nipur e Uruque. Essas vitórias aumentaram-lhe seu prestígio e poder, abrindo-lhe o caminho para seu reconhecimento como novo rei de Babilônia (626 a.C.).[carece de fontes?]

Reinado[editar | editar código-fonte]

Os assírios mantiveram seu domínio sobre uma parte considerável do território babilônio e a luta continuou por vários anos. Em 616 a.C., Nabopolassar conduziu suas tropas ao longo do rio Tigre e sitiou Assur, porém viu-se obrigado a desistir, em parte devido ao apoio que os assírios receberam Neco II (r. 660–593 a.C.) do Egito. Foi então que, em 614 a.C., ele aproximou-se do medos (referidos como umman-manda, de acordo com as "crônicas babilônicas"), um povo aguerrido, cujo poderio de encontrava em pleno processo de expansão.[carece de fontes?]

Em 612 a.C., os aliados convergiram sobre Nínive e, após um longo cerco, afinal conquistaram a orgulhosa capital da Assíria. A cidade foi devastada e o rei assírio Sinsariscum desapareceu entre as chamas ateadas pelos invasores. Seu sucessor, Assurubalite II, ainda tentou resistir em Harã, com o apoio dos egípcios, mas essa cidade também caiu, três anos depois (609 a.C.).[1]

Para manter a aliança entre medos e babilônios e não houver conflitos futuros, Nabopolassar deu seu filho Nabucodonosor II para se casar com a filha de Ciaxares (r. 625–585 a.C.), Amitis. Em 605 a.C., o rei babilônico morreu na Batalha de Carquemis, quando tinha 53 anos, deixando o Império Neobabilônico com Nabucodonosor.[2][3]

Referências

  1. «British Museum - Cuneiform tablet with part of the Babylonian Chronicle (616-609 BC)». web.archive.org. 17 de outubro de 2015. Consultado em 11 de novembro de 2020 
  2. Trentini 2018, p. 5.
  3. Mieroop, Marc Van De (25 de junho de 2015). A History of the Ancient Near East, ca. 3000-323 BC (em inglês). [S.l.]: John Wiley & Sons 

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.