Olavo Rodrigues Barbosa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Nena
Informações pessoais
Nome completo Olavo Rodrigues Barbosa
Data de nasc. 11 de julho de 1923
Local de nasc. Porto Alegre (RS), Brasil
Nacionalidade brasileiro
Falecido em 17 de novembro de 2010 (87 anos)
Local da morte Goiânia (GO), Brasil
Apelido Nena
Parada 18[1]
Informações profissionais
Posição Zagueiro
Lateral-esquerdo[2]
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos e gol(o)s
1942–1951
1951–1958
Internacional
Portuguesa
00000 0000(0)
00000 0000(0)
Seleção nacional
1948–1950 Brasil 00005 0000(0)[3]

Olavo Rodrigues Barbosa mais conhecido como Nena, (Porto Alegre, 11 de junho de 1923Goiânia, 17 de novembro de 2010), foi um futebolista brasileiro que atuou como zagueiro e lateral-esquerdo.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Começou jogando na várzea portoalegrense, no Esporte Clube Paraná, onde foi descoberto pelo técnico Ricardo Diéz e levado para o Internacional, aos 18 anos.

Estreou no Inter no dia 12 de abril de 1942, na vitória de 5 a 2 sobre o São José, quando marcou seu primeiro gol. Logo firmou-se como zagueiro titular, passando a fazer parte do lendário Rolo Compressor, que ganhou oito títulos gaúchos nos anos 1940, e cuja formação clássica contava com Ivo; Alfeu e Nena; Assis, Ávila e Abigail; Tesourinha, Adãozinho, Russinho, Ruy e Carlitos.[4]

Nena também ficou conhecido como Parada 18, referência a um ponto de ônibus no bairro Tristeza, na zona sul de Porto Alegre, localizado em frente a uma loja de atacado muito popular na época. Segundo a propaganda da loja no rádio, nenhum passageiro do ônibus Tristeza passava da Parada 18. Segundo os torcedores do Inter, nenhum atacante adversário conseguia passar por Nena. Ele era excelente nas bolas aéreas e tinha um bom porte físico.

Em 1948, Nena foi convocado pela primeira vez para a seleção brasileira, na Copa Rio Branco, estreando num empate em 1 a 1 com o Uruguai. Pela seleção, jogou 6 partidas (2 vitórias, 3 empates e 1 derrota). Integrou a delegação brasileira na Copa do Mundo de 1950, mas não chegou a jogar.[5]

Em 1951, transferiu-se para a Portuguesa, onde fez parte do melhor time da Lusa de todos os tempos, jogando ao lado de craques como Júlio Botelho, Pinga e Simão, e conquistando os títulos do Torneio Rio-São Paulo de 1952 e 1955.[2]

Títulos[editar | editar código-fonte]

Internacional
Portuguesa

Morte[editar | editar código-fonte]

Parou de jogar em 1958, mas ainda ficou alguns anos na Portuguesa, como auxiliar técnico e mais tarde funcionário administrativo. Nos anos 1960, foi técnico das categorias de base do Corinthians. A partir de 2003, residiu em Goiânia com a esposa Juraci Rodrigues Barbosa, com quem teve cinco filhos, dez netos e dois bisnetos. Faleceu no dia 17 de novembro de 2010, vítima de um câncer de pulmão.

Referências

  1. a b Leonardo Fister. «Nena, o Parada 18». Site Oficial do Clube (matéria publicada na edição 60 da Revista do Inter). Consultado em 3 de outubro de 2018. 
  2. a b c d «Nena... Ex-zagueiro do Internacional». Terceiro Tempo. Consultado em 3 de outubro de 2018. 
  3. a b c «Todos os brasileiros 1950». Folha de São Paulo. 9 de dezembro de 2015. Consultado em 3 de outubro de 2018. 
  4. Dados biográficos retirados de: BRAGA, Kenny: "Rolo compressor, memória de um time fabuloso", Já Editores, Porto Alegre, 2008, pp. 87-88
  5. «RSSSF: jogos da seleção brasileira entre 1947 e 1952». Consultado em 19 de março de 2009. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Bandeira de BrasilSoccer icon Este artigo sobre um futebolista brasileiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.