Pandemia de COVID-19 em Cuba

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ver artigo principal: Pandemia de COVID-19 na América


Pandemia de COVID-19 em Cuba
Data de início 11 de março de 2020
Localidade Cuba
País Cuba
Estatísticas Globais
Casos confirmados 934 965 (17 outubro 2021)[1]
Mortes 8 058 (17 outubro 2021)[1]

Este artigo documenta os impactos da pandemia de coronavírus 2019-2020 em Cuba e pode não incluir todas as principais respostas e medidas contemporâneas.

Linha do tempo[editar | editar código-fonte]

Março[editar | editar código-fonte]

Em 11 de março de 2020, os três primeiros casos em Cuba foram confirmados.[2] Aqueles que deram positivo para a doença foram três turistas italianos. Eles foram mantidos em isolamento no Instituto de Medicina Tropical Pedro Kouri, em Havana.[3]

Em 12 de março, um quarto caso confirmado foi anunciado. Era um cubano, cuja esposa chegara de Milão, Itália, em 24 de fevereiro, e que começara a apresentar sintomas em 27 de fevereiro. O marido começou a apresentar sintomas em 8 de março. Ambos foram testados e ele foi positivo. A esposa foi declarada negativa porque a doença havia terminado.[4][5]

Em 16 de março, o navio MS Braemar, com mais de 1 000 passageiros a bordo, atracou em Cuba depois de ser rejeitado pelas Bahamas. Pelo menos cinco passageiros testaram positivo para coronavírus (Covid-19). Cidadãos britânicos pegaram voos de volta para sua terra natal depois que os dois governos chegarem a um acordo sobre seu repatriamento.[6][7]

Em 18 de março, o governo registrou a primeira morte pelo vírus no país.[8]

Em 22 de março, o presidente Miguel Díaz-Canel anunciou a ida de médicos e enfermeiros para a Itália para combater o perigoso surto de coronavírus no país.[9][10] No dia 23, eles chegaram na Lombardia, região bastante afetada na Itália.[11][12]

Em 23 de março, as autoridades em Cuba aumentaram o número de pacientes com coronavírus para 48.[13]

Em 30 de março, a quantidade de casos confirmados de coronavírus é de 170, com 4 mortes.[14]

Abril[editar | editar código-fonte]

Com efeito a partir da meia-noite de 1º de abril, Cuba suspendeu a chegada de todos os vôos internacionais.[15]

Em 4 de abril, as autoridades de Cuba elevaram o número de pacientes com coronavírus para 288.[16]

No dia 9 de abril, Cuba decidiu que a partir do dia 11, todo o transporte público será suspenso para impedir que o vírus se espalhe pela ilha.[17] Nessa data o país registrava 386 casos confirmado e 11 mortes.[18]

No dia 11 de abril, o presidente cubano, Miguel Díaz-Canel criticou o embargo imposto pelos Estados Unidos à ilha.[19] Diaz-Canel, classificou que o embargo em tempos de pandemia é "ainda mais cruel". [20][21] O embargo vem impedindo a chega da máscara e testes de COVID-19 para o país.[22][23] Nessa data, o país registrava 515 casos e 15 mortes.[24]

Em 15 de abril, foram registrados 755 casos de COVID-19 em Cuba, um total de 18.856 testes foram realizados até o momento.[25]

No dia 20 de abril, o país registrava 1.087 casos e 36 mortes.[26]

Maio[editar | editar código-fonte]

Em 12 de maio, novos casos haviam caído para menos de 20 por dia, e um programa de testes em massa estava sendo iniciado.[27][28][29]

Em 15 de maio, o país registrava 1 840 casos, 79 mortes e 1 425 pacientes recuperados.[30]

Em 20 de maio, o país registrava 1 900 casos confirmados e 79 mortes.[31] O país registrou uma semana sem novos mortos.[31]

Junho[editar | editar código-fonte]

No dia 2 de junho, o país registrava 2 092 casos confirmados, 1 827 pacientes recuperados e 83 mortes.[32] No dia 11 de junho de 2020 Cuba iniciou o semiconfinamento.

Em 11 de junho, após registrar onze dias sem nenhuma nova morte pelo coronavírus, o país registrou mais uma morte.[33] O paciente era um homem de 80 anos que sofria de doenças crônicas segundo o médico Francisco Durán, diretor nacional de Epidemiologia do Ministério da Saúde Pública.[34]

Julho[editar | editar código-fonte]

Em 2 de julho, Havana era o último reduto do vírus no país, como o país conseguiu controlar cada vez mais o vírus, após um forte confinamento, a capital começou a voltar ao seu cotidiano normal.[35] [36]

Em 15 de julho, o jogador de futebol português Cristiano Ronaldo que atuava pela Juventus nesse período, doou camisetas autografadas para os médicos cubanos enviados a Itália, como forma de agradecimento pelos serviços de ajuda humanitária prestados no país.[37][38][39]

Em 16 de julho, o país registrava 2.438 casos confirmados, 2.277 pacientes recuperados e 87 mortos.[40]

Agosto[editar | editar código-fonte]

No dia 10 de agosto de 2020, após 93 novos casos em Havana, o Minsap (Ministério de Saúde Pública Cubano) decidiu suspender o transporte público da capital.[41] Após essas medidas, o governo cubano optou pelo lockdown novamente, fechando bares, clubes e piscinas públicas.[42] Neste contexto, Cuba registrava 2.900 casos e 88 mortes.[42][43]

O país começou a testar a vacina cubana (Soberana 01), em pequenos grupos humanos.[44] O objetivo é que a vacina fique pronta até fevereiro de 2021.[45][46]

Efeitos[editar | editar código-fonte]

Economia[editar | editar código-fonte]

Os efeitos econômicos no país foram duros, pois além do embargo econômico sofrido pela ilha pelos Estados Unidos, a chegada do vírus desacelerou a economia cubana.[47] Um dos pilares econômicos de Cuba é o turismo, e devido a pandemia teve-se que restringir o fluxo de visitantes estrangeiros no país, afetando fortemente o setor.[48]

Em alguns lugares do país, teme-se o desabastecimento e o racionamento de produtos começou a ser colocado em prática.[48]

Referências

  1. a b https://github.com/CSSEGISandData/COVID-19; data de acesso: 18 outubro 2021.
  2. «UPDATE 1-Cuba confirms first coronavirus cases, urges citizens to make own masks». Reuters (em inglês). 12 de março de 2020 
  3. Smith, Savanna. «Cuba reports the first three cases of coronavirus on the island». Miami herald. Consultado em 17 de março de 2020 
  4. cubanew/acn. «Cuba: Fourth case of coronavirus» (em inglês) 
  5. «Como cada país da América Latina está combatendo o coronavírus». BBC News Brasil. 15 de março de 2020 
  6. «Barrado no Caribe, cruzeiro com casos de coronavírus atracará em Cuba» 
  7. «Cuba receberá navio britânico que tem passageiros com coronavírus» 
  8. Robinson, Circles (18 de março de 2020). «Cuba Reports First Coronavirus Death, Welcomes British Cruisers» (em inglês) 
  9. Vicent, Mauricio (23 de março de 2020). «Cuba envia brigadas médicas contra o coronavírus a Itália e América Latina» 
  10. «Cuba envia médicos que combateram o ebola para ajudar a Itália» 
  11. «Médicos cubanos chegam à Itália para tratar pacientes com covid-19». 22 de março de 2020 
  12. http://www.jb.com.br (22 de março de 2020). «Cuba envia médicos à Itália enquanto se prepara para combater coronavírus em casa» 
  13. «Ocho nuevos casos de coronavirus en Cuba, ya son 48» (em espanhol) 
  14. Cuba, Ministerio de Salud Pública en; MINSAP, Redacción; MINSAP, Redacción (30 de março de 2020). «Parte de cierre del día 29 de marzo de 2020 a las 12:00 de la noche» (em espanhol) 
  15. «Cuba suspends arrival of international flights to stop coronavirus». Reuters (em inglês). 1 de abril de 2020 
  16. Agencias (4 de abril de 2020). «Cuba al filo de los 300 casos de COVID-19: ya son 288» (em espanhol) 
  17. «Cuba will suspend all public transportation» (em inglês). CNN. 9 de abril de 2020. Consultado em 9 de abril de 2020 
  18. «Cubans cast aside coronavirus fears to search for scarcer food». Reuters (em inglês). 9 de abril de 2020 
  19. «Entenda embargo americano a Cuba, alvo de mudança histórica na diplomacia brasileira». Folha de S. Paulo. 8 de novembro de 2019. Consultado em 11 de abril de 2020 
  20. «Embargo é 'ainda mais cruel' durante a pandemia, denuncia Cuba». IstoÉ. 10 de abril de 2020. Consultado em 11 de abril de 2020 
  21. «Embargo é "ainda mais cruel" durante a pandemia, denuncia Cuba». Zero Hora. 10 de abril de 2020. Consultado em 11 de abril de 2020 
  22. «Embargo dos EUA impede envio de máscaras e testes de coronavírus para Cuba». UOL. 2 de abril de 2020. Consultado em 11 de abril de 2020 
  23. «Bloqueio dos EUA impede chegada de máscaras e respiradores a Cuba». R7. 1 de abril de 2020. Consultado em 11 de abril de 2020 
  24. «Cuba supera a marca de 500 casos de infecção pelo novo coronavírus». R7. 9 de abril de 2020. Consultado em 11 de abril de 2020 
  25. Morris, Emily; Kelman, Ilan. «Coronavirus response: why Cuba is such an interesting case» (em inglês). The Conversation. Consultado em 15 de maio de 2020 
  26. «Cuba Coronavirus: 1,087 Cases and 36 Deaths - Worldometer» (em inglês) 
  27. «Cuba begins mass testing for Covid-19 as new cases fall to fewer than 20 per day». The Guardian (em inglês). 12 de maio de 2020. ISSN 0261-3077. Consultado em 15 de maio de 2020 
  28. Frank, Mark (13 de maio de 2020). «Coronavírus: casos em Cuba diminuem, mas governo intensifica testagem da população». O Globo. Consultado em 15 de maio de 2020 
  29. «Cuba registra menor número de casos de covid-19 em 24h desde março». Brasil 247. 14 de maio de 2020. Consultado em 15 de maio de 2020 
  30. «Cuba Coronavirus: 1,840 Cases and 79 Deaths - Worldometer» (em inglês). Worldometer. Consultado em 15 de maio de 2020 
  31. a b «Cuba completa uma semana sem mortes por coronavírus; país tem 1,9 mil casos». UOL. 20 de maio de 2020. Consultado em 2 de junho de 2020 
  32. «Cuba Coronavirus: 2,092 Cases and 83 Deaths - Worldometer». www.worldometers.info (em inglês). Consultado em 2 de junho de 2020 
  33. «Cuba está perto de declarar vitória contra coronavírus». Folha de S.Paulo. 9 de junho de 2020. Consultado em 16 de julho de 2020 
  34. «Após 11 dias, Cuba volta a registrar morte por covid-19». UOL. 11 de junho de 2020. Consultado em 16 de julho de 2020 
  35. «Havana deixa o confinamento por coronavírus e toda Cuba volta ao normal». UOL. 2 de julho de 2020. Consultado em 16 de julho de 2020 
  36. Brum, Maurício; Berti, Lucas (10 de julho de 2020). «Como Cuba vence a covid-19 apesar dos EUA». The Intercept (em inglês). Consultado em 16 de julho de 2020 
  37. «Cristiano Ronaldo doa camisas autografadas para médicos cubanos que lutaram contra o coronavírus na Itália». Globoesporte. 15 de julho de 2020. Consultado em 16 de julho de 2020 
  38. «Football ace Cristiano Ronaldo signs jerseys for Cuban doctors». Granma (em espanhol). 15 de julho de 2020. Consultado em 16 de julho de 2020 
  39. Comércio, Jornal do. «Médicos e enfermeiros cubanos que atuaram na pandemia na Itália voltam para casa». Jornal do Comércio. Consultado em 16 de julho de 2020 
  40. «Cuba Coronavirus: 2,438 Cases and 87 Deaths - Worldometer». www.worldometers.info (em inglês). Consultado em 16 de julho de 2020 
  41. Moreira, William (12 de agosto de 2020). «Coronavírus: Havana, em Cuba, suspende transporte público». Diário do Transporte. Consultado em 11 de janeiro de 2021 
  42. a b «Cuba volta a colocar Havana em lockdown com segunda onda da epidemia». CNN Brasil. 9 de agosto de 2020. Consultado em 11 de janeiro de 2021 
  43. Diniz, Carmen (4 de Agosto de 2020). «Coluna | Controle da pandemia em Cuba tem pesquisa contínua e monitoramento de assintomáticos». Brasil de Fato. Consultado em 11 de janeiro de 2021 
  44. «Cuba testa sua vacina contra Covid-19, a Soberana 01, em primeiros voluntários». Bem estar. G1. 25 de agosto de 2020. Consultado em 11 de janeiro de 2021 
  45. «As notícias mais importantes sobre coronavírus de 25 de agosto». Bem estar. G1. 25 de agosto de 2020. Consultado em 11 de janeiro de 2021 
  46. Miranda, Boris. «Vacina contra coronavírus: como é a Soberana 01, fórmula que Cuba começa a testar em humanos». BBC. BBC News Brasil. Consultado em 11 de janeiro de 2021 
  47. «Embargo dos EUA impede envio de máscaras e testes de coronavírus para Cuba». UOL. 2 de abril de 2020. Consultado em 16 de julho de 2020 
  48. a b Welle (www.dw.com), Deutsche. «Coronavírus empurra Cuba de volta à crise | DW | 03.07.2020». DW.COM. Consultado em 16 de julho de 2020