Peruca

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Peruca de cabelos lisos

Peruca é um acessório usado na cabeça para simular cabelo natural. Antes procurada por pessoas que possuíam poucos fios, a peruca se tornou uma opção de mudança de visual nos dias de hoje, principalmente entre as celebridades[1].

História[editar | editar código-fonte]

As perucas ainda são tratadas com um certo preconceito nos dias de hoje. Contudo, o acessório já foi visto como sinônimo de elegância e prestígio[2].

Origem

As primeiras perucas surgiram no Antigo Egito e se popularizou no século XVI e XVII (dando origem à profissão de peruqueiro). Por conta da raridade dos fios naturais, muitas perucas eram feitas com crina de cavalo e de bode. Os egípicios adotaram por conta das condições ambientais (como o calor e para evitar piolhos) e estéticas.

A sociedade egípicia sempre deu muito valor à moda e à beleza, e as perucas também foram usadas como forma de diferenciação social. As mais elaboradas e de material mais fino sempre reservadas aos nobres; quanto maior o status na sociedade egípicia mais ornamentada ela deveria ser.

No tempo dos romanos, a peruca ficou famosa principalmente entre as mulheres — era um jeito fácil de ser loira, algo desejável numa terra de morenas. Depois disso, não há registros de uso de perucas até o final do século XVI.

O auge na Europa[editar | editar código-fonte]

O século XVII é relacionado à época de ouro das perucas na Europa. Reis famosos como Luís XIII e Luís XIV, da França, e Carlos II, da Inglaterra, eram adeptos do acessório que, aos poucos, se tornou um objeto de prestígio entre a nobreza e uma das mais importantes peças do estilo masculino da época. Um cavalheiro não poderia sair nas ruas com os cabelos curtos. Em algumas classes, a falta da peruca era uma ofensa.[3]

A popularização era apenas uma questão de tempo. A alta demanda na venda de perucas elevou a procura por cabelos naturais, que se tornaram caros, evidentemente. Devido aos preços altíssimos, as crinas de bode e de cavalo foram usadas na confecção.

Alguns reis absolutistas, como o francês Luís XV, contavam com uma equipe de cerca de 40 profissionais.[4]

Declínio[editar | editar código-fonte]

Perucas usadas em tribunais no Reino Unido.

Acredita-se que o uso das perucas entrou em declínio com a Revolução Francesa, ocorrida em 1789, que rompeu com vários costumes da antiga nobreza. Hoje em dia, a peruca ainda é utilizada em ocasiões formais, como nos tribunais criminais da Inglaterra.

Tipos de peruca[editar | editar código-fonte]

As perucas podem ser vestidas ou coladas diretamente no couro cabeludo, a partir de pequenas fitas adesivas ou adesivo líquido. Os tipos de fios são os seguintes:

Cabelo humano[editar | editar código-fonte]

Os fios são naturais e exigem todos os cuidados conhecidos, tais quais o uso de produtos como shampoo e condicionador no momento da lavagem. Embora sejam necessários tempo e disposição para tratar este tipo de peruca, os fios naturais podem render um visual mais vistoso para o seu usuário.[5]

Cabelos sintéticos[editar | editar código-fonte]

Os fios sintéticos que mais se aproximam do cabelo natural são os de PVC e de modacrílica. Os cuidados empregados são menores, mas devem ser levados em conta. Por exemplo, o uso de secadores e chapinhas danificam os fios de maneira irreparável. É indicado que a peruca seja escovada após cada utilização e lavagem.[6]

Uso atual[editar | editar código-fonte]

Um dos usos de perucas é por indivíduos que sofrem de perda de cabelo por razões médicas, sendo mais comumente os pacientes de câncer que estão sob o tratamento de quimioterapia, ou também pela alopécia.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Perucas