Porto de Estrela

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Porto de Estrela
Localização
País Brasil
Localização Estrela (RS)
Detalhes
Inauguração 15 de outubro de 1924 (95 anos)

O Porto de Estrela é um porto brasileiro localizado na cidade de Estrela, no rio Taquari, estado do Rio Grande do Sul.

O acesso até ele foi permitido com a construção da eclusa de Bom Retiro do Sul. O acesso é permitido a embarcações de até 2,5 metros de calado com até 90 metros de comprimento e 16 metros de boca, com capacidade de transportar até 3.000 toneladas. Nesse porto, inaugurado em 1977, encontra-se o entroncamento Rodo-Hidro-Ferroviário e está localizado a 142 km do porto de Porto Alegre,[1] a 400 km do porto de Pelotas e a 450 km do porto de Rio Grande.

A infra-estrutura para embarque, armazenagem e desembarque instalada no porto de Estrela permite a recepção de 4.000 toneladas diárias de grãos e conta com a capacidade estática de armazenamento de 90.000 toneladas, oportunizando a expedição de 10.000 toneladas diárias de cargas a granel. O porto conta ainda com um armazém de carga geral de 2.300 m². O cais é de 585 metros de comprimento, com seis berços de atracação e possui dois guindastes sobre esteiras. [carece de fontes?]

Está em estudos a implantação de equipamentos que permitam o transporte por containers, o que favoreceria o transporte de vários tipos de mercadorias, dentre as quais o fumo para exportação, beneficiado em Santa Cruz do Sul, distante 60 km de Estrela. [carece de fontes?]

O complexo do porto era administrado pela Companhia Docas, do Governo Federal (União).[1] A partir de 2014, o porto passou a ser administrado pela Superintendência de Portos e Hidrovias do estado do Rio Grande do Sul [2].

Dados gerais sobre o Porto de Estrela[editar | editar código-fonte]

Origem[editar | editar código-fonte]

Sua construção foi iniciada em dezembro de 1975, conforme projeto destinado a atender à demanda do transporte de trigo e soja no corredor de exportação do porto de Rio Grande. As instalações de atracação e armazenagem foram inauguradas em 12 de novembro de 1977.[1]

Área de influência[editar | editar código-fonte]

Abrange as áreas central, nordeste, norte e noroeste do estado do Rio Grande do Sul.

Área do porto organizado[editar | editar código-fonte]

Conforme a Portaria-MT nº 1.042, de 20 de dezembro de 1993 (D.O.U. de 24 de dezembro de 1993), a área do porto organizado de Estrela, no estado do Rio Grande do Sul, é constituída:

a) pelas instalações portuárias terrestres existentes na cidade de Estrela, na margem esquerda do rio Taquari, no trecho compreendido entre os pontos quilométricos (PKs) 140 e 145, abrangendo todos os cais, docas, pontes e píeres de atracação e de acostagem, armazéns, edificações em geral e vias internas de circulação rodoviária e ferroviária e ainda os terrenos ao longo dessas áreas e em suas adjacências pertencentes à União, incorporados ou não ao patrimônio do porto de Estrela ou sob sua guarda e responsabilidade;

b) pela infra-estrutura de proteção e acessos aquaviários, compreendendo as áreas de fundeio, bacias de evolução, canal de acesso e áreas adjacentes a esse até as margens das instalações terrestres do porto organizado, conforme definido no item "a" acima, existentes ou que venham a ser construídas e mantidas pela Administração do Porto ou por outro órgão do poder público.

Acessos[editar | editar código-fonte]

Instalações[editar | editar código-fonte]

O cais de acostagem, com 585m de extensão, dispõe de seis berços, sendo três para operações de embarque e três para desembarque. Conta com dois armazéns graneleiros, um para 13.000t e outro para 37.000t de capacidade estática, e um silo vertical de 40.000t, alugado para a Companhia Estadual de Silos e Armazéns (Cesa). Para carga geral, existe um armazém com 2.260m2.[1]

Referências

  1. a b c d «Ministério dos Transportes - Governo Federal». Transportes.gov.br. Consultado em 1 de julho de 2008 
  2. «Novo administrador promete melhorar aproveitamento do Porto de Estrela». 15 de agosto de 2014. Consultado em 15 de agosto de 2014. Arquivado do original em 19 de agosto de 2014